Etiqueta: vinhos naturais

Truques para escolher vinhos naturais sem engano

vinhos naturais biodinâmicos

Escolher vinhos naturais biodinâmicos pode ser difícil. São conceitos recentes no nosso país, mas que em outros já são conhecidos há algum tempo. Trazemos-lhe alguns conselhos para facilitar a sua escolha de vinhos naturais.

Apostar por adegas que já levam tempo neste tipo de produção. Alguns produtores têm uma grande quantidade de vinhos completamente naturais. Para além de deliciosos, são fruto de anos de experiência, o que oferece mais garantia. O melhor de tudo é o seu sabor.

Visitar feiras de vinho natural e ecológico. Normalmente, aqui encontrará muitos entendedores que pode consultar sobre quais os vinhos para cada ocasião.
Comprar vinho em lojas especializadas. Também aqui, os responsáveis são os mais indicados para aconselhar.

Mais qualidade do que quantidade. Os vinhos naturais tendem a ser um pouco mais caros, como tal, pode optar por beber um pouco menos mas melhor.

Uvas autóctones. Uma das facetas importantes dos produtores naturais é que o seu trabalho preserva o nosso património vinícola; a prioridade das variedades de uvas autóctones sobre as variedades internacionais estandardizadas. O que significa que os vinhos orgânicos biodinâmicos e naturais tendem a proporcionar uma maior diversidade de sabores e constituem uma oportunidade única de provar vinhos elaborados com uvas autóctones. É bom recordar que este tipo de vinho sempre se elabora com a menor quantidade possível de conservantes.

Conhecer novos sabores e vinhos. Ao escolher vinhos naturais, sem dúvida que o factor determinante será o sabor, o que lhe permite conhecer de perto novos sabores, o que é uma vantagem quando procuramos este tipo de vinho.

Participar em provas. Sejam gratuitas ou não, as provas de vinhos naturais permitem conhecê-los e aprender, o que será de grande ajuda quando quiser escolher vinhos com estas características.

Vinhas silvestres, a novidade dos vinhos naturais

 TAGS:undefined

Segundo o geneticista de uvas Jose Vouillamoz, a colheita derivada de vides silvestres anuncia-se como sendo o verdadeiro modo de obter autênticos vinhos biológicos, com colheitas naturais. Vouillamoz afirma que as vides que crescem a partir de sementes não são naturais.

Por outro lado, o produtor de vinho Frank Cornelissen tem a opinião de que a vinha cultivada por sementes pode possuir maior resistência às doenças, com o qual Vouillamoz discorda, já que acredita que as vides silvestres são muito mais resistentes.

Durante o simpósio MW, que decorreu em Maio, em Florença, Cornelissen declarou ter plantado uma vinha experimental nas encostas do Etna, esta vinha é constituída apenas por plantas desenvolvidas a partir de sementes e o objectivo é o de ?criar variedades resistentes a novas doenças?.

Vouillamoz, também presente neste simpósio, refutou a abordagem de Cornelissen, afirmando que estes sistemas de vinhas experimentais são susceptíveis de gerar vides mais vulneráveis. As palavras de Vouillamoz denotam a sua preocupação pela possibilidade de perda de essência das vinhas: ?Este tema preocupa-me, pois as sementes são um resultado da fecundação, ou seja, se por exemplo se tratasse de uma vide Nerello Mascalese, então estaríamos a transformar a sua identidade, esta vide não seria, jamais, uma Nerello Mascalese?.

Seguindo este raciocínio declarou: ? Porém, a produção é, sobretudo um resultado da auto-fertilização, portanto o resultado é muito menos resistente e extremamente susceptível a várias doenças?.

Vouillamoz acrescentou ainda que já tinha comentado as suas opiniões com o conhecido enólogo californiano Randall Grahm, cujas expectativas também passam pelo aguardar da colheita gerada por sementes para a sua quinta em Bonny Doon.

Vouillamoz salientou que o objectivo de Grahm difere do seu, já que este último pretende utilizar as vides de sementes de colheita própria como porta-enxertos (ou cavalo) por resultarem menos dependentes de rego e, finalmente, referiu que quanto maior for a idade da uva, maior será o número de clones.

Neste contexto, podemos concluir que o futuro das vides pode ser realmente diferenciado em relação aos métodos de produção e como estes, apresentando diferentes respostas, de vulnerabilidade ou resistência, perante as doenças, geram resultados mais ou menos efectivos para os produtores.

Qual é a tua opinião? Achas que as vinhas silvestres produzem vinhos mais autênticos ou será apenas uma moda?

Hoje recomendamos-te 2 vinhos biológicos para que possas apreciar as diferenças:

 

 TAGS:Ecologic de Binigrau Negre 2012Ecologic de Binigrau Negre 2012

Ecologic de Binigrau Negre 2012

 

 

 TAGS:Château Tour Des Gendres- Moulin Des Dames 2011Château Tour Des Gendres- Moulin Des Dames 2011

Château Tour Des Gendres- Moulin Des Dames 2011