Etiqueta: vinho

As zonas vitivinícolas alemãs (III/III)

 TAGS:undefinedOs vinhos alemães ocupam diversas áreas de grande beleza no país. Vale a pena, não só descobrir as regiões vinícolas, como conhecer os seus diferentes vinhos. Hoje fazemos uma visita a outras zonas de produção de vinho e conhecemos um pouco das suas castas, tipos de vinho e extensão de produção.

Mittelrhein

Ainda que seja uma zona de reduzida dimensão, produz diversos vinhos de grande importância, tais como, Riesling, Müller-Thurgau e Kerner, sendo o primeiro o que mais se destaca entre eles, com 70% do total de variedades. Aqui também se encontram uvas Weißburgunder (Pinot blanc) e Grauburgunder (Pinot gris).

Comarca de Saale-Unstrut

Talvez seja uma das mais belas zonas da Alemanha. São paisagens repletas de vinha e onde se destacam mais de 30 variedades de uvas, entre as quais: Müller-Thurgau, Weißburgunder e Silvaner. A Riesling e a Gutedel representam os vinhos brancos, nos vinhos tintos; Portugieser, Blauer Zweigelt e Spätburgunder. São cerca de 500 produtores dedicados ao vinho nesta região de vinhos de qualidade.

Platz ou Região de Palatinado

Uma grande parte das vinhas localiza-se na região de Mittelhaardt. A zona compreende mais de 5000ha de superfície, onde se destaca o Riesling sobre qualquer outra variedade. Não é injustificado, como tal, que este seja um dos vinhos com maior exportação da Alemanha. No vinho branco, a exploração dirige-se sobretudo às castas Gewürztraminer e Scheurebe e nos vinhos tintos: Dornfelder, Portugieser, Spätburgunder e Regent. 3000 famílias dedicam-se à produção de vinho nesta zona, muitos dos quais são vendidos nas suas próprias adegas.

Rheingau – Uma longa tradição

Compreende 3000ha de superfície vinícola, onde se destaca o cultivo de Riesling, e outras variedades como Spätburgunder, Müller-Thurgau, Ehrenfelser, Weißburgunder. Também as castas internacionais como a Chardonnay e a Sauvignon blanc fazm parte da produção regional.

Se pretende conhecer mais sobre as regiões vitivinícolas alemãs, não perca os dois artigos anteriores desta série: As zonas vitivinícolas alemãs (I/III) e As zonas vitivinícolas alemãs (II/III).

 TAGS:Markus Pfaffmann Riesling Trocken 2015Markus Pfaffmann Riesling Trocken 2015

Markus Pfaffmann Riesling Trocken 2015: Vinho branco com Denominação de Origem Pfalz. Colheita de 2015. Graduação alcoólica- 12.5º

 

 

 TAGS:Klumpp Grauburgunder Trocken 2015Klumpp Grauburgunder Trocken 2015

Klumpp Grauburgunder Trocken 2015: Vinho branco com Denominação de Origem Baden das adegas Klumpp elaborado com uvas de 2015. 

 

 

As zonas vitivinícolas alemãs (II/III)

 TAGS:undefinedGraças aos grandes contrastes de temperatura, a Alemanha possui diversas zonas vinícolas que produzem vinhos brancos e tintos. Já aqui foram descritas algumas destas rgiões no nosso primeiro artigo, desta vez revelamos algumas zonas mais onde é elaborado o bom vinho alemão.

Zona de Franken ou Francónia

São 6.040ha junto ao rio Main. Uma grande parte destes vinhedos encontra-se na Cidade de Würzburg e seus arredores e os vinhos que aqui se produzem são diversos, destacando-se entre eles: Steinwein, Silvaner e Müller-Thurgau. No vinho tinto as referências são as castas Domina e Spätburgunder (Pinot noir). Nesta zona agrupam-se mais de 5.400 empresas viticultoras, com vinhas de grande reputação como os de Homburger Kallmuth, Rödelseer Küchenmeister, Randersackerer Pfülben e Escherndorfer Lump.

Zona de Mosel-Saar-Ruwer

Esta região de vinho alemão é a mais antiga do país. Ocupa 10.400ha e possui vários microclimas que possibilitam a elaboração de um dos vinhos mais conhecidos do país, o famoso Riesling, vinho de acidez equilibrada e considerado um dos melhores brancos do mundo. A sua especialidade é a antiga variedade de uva Elbling, para além da Müller-Thurgau, a Burgunder Weiß e a Grau. No total, existem cerca de 2000 terrenos de vinha, cujos donos produzem os seus próprios vinhos. O enoturismo está bastante vinculado a esta zona onde se realizam provas de vinho muito variadas.

Comarca vitivinícola Hessische Bergstraße

Ainda sendo a mais pequena do país, é uma das zonas com mais história. São 440ha de superfície vitícola, onde, tal como em outras regiões, a preferência é dada aos vinhos brancos Neste caso as castas Riesling, Grauburgunder, Weißburgunder, Müller-Thurgau e Silvaner. As variedades tintas são a Blauer Spätburgunder, Dornfelder e Gewürztraminer.

Se pretende saber mais sobre as zonas vitivinícolas alemãs, não perca a primeira parte desta série de artigos, As zonas vitivinícolas alemãs (I/III).

 TAGS:Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014

Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014: um vinhos branco Mosel com os mejores cachos de riesling de 2014 e 10º de álcool en volume

 

 

 TAGS:Dr Loosen Dr L Riesling 2015Dr Loosen Dr L Riesling 2015

Dr Loosen Dr L Riesling 2015: Vinho branco Mosel-Saar-Ruwer com Riesling de 2015. 9º de graduação alcoólica.

 

 

As zonas vitivinícolas alemãs (I/III)

 TAGS:undefinedOs vinhos alemães já fazem parte de uma longa tradição e cada vez obtêm maior presença no mercado internacional de vinho. Para conhecer os seus vinhos é necessário saber quais são as principais regiões produtoras de vinho na Alemanha.

São 13, as zonas com uma extensão média de 100.000ha e a grande maioria concentra-se a Sul e Sudoeste, dadas as condições climáticas que permitem melhores resultados.

As castas principais são a Riesling e a Müller-Thurgau; as mais vendidas e exploradas a nível comercial, que apresentam vinhos frescos, na sua maioria brancos. A exportação dos vinhos alemães na Europa é feita principalmente para a Grã-Bretanha, fora do continente é vendido sobretudo nos EUA.

Algumas das suas regiões vinícolas são: Ahr, Baden, Franken, Hessische Bergstraße, Mittelrhein, Nahe, Pfalz, Rheinhessen, Saale-Unstrut e Württemberg.

Comarca vinícola de Ahr

As paisagens desta região têm como protagonista o rio com o mesmo nome. O Ahr possui 552ha de superfície plantada de vinha. A grande maioria da produção concentra-se nos vinhos tintos das castas Spätburgunder, Portugieser (que os ampelográfos suspeitam ter origem portuguesa e mais concretamente, no Porto), Dornfelder e Frühburgunder. A uva branca mais utilizada é a Riesling, que ocupa cerca de 41ha de plantação.
A maior parte dos produtores desenvolve uma atividade secundaria, ainda que se denote um crescimento a nível de uma nova geração de viticultores, o que provoca a reactivação do sector.

Zona de Baden

Baden, com um clima mais quente e paisagens belíssimas, é uma das melhores zonas para a produção de vinho. 60% do seu cultivo diz respeito a uva branca, enquanto que o restante 40% pertence à uva tinta. A casta de maior importância é a Spätburgunder, e a sua conhecida variedade Burgunder (da família da Pinot); para além dos brancos Riesling e Müller-Thurgau. De um modo geral, o vinho encontra-se em mãos de adegas familiares e conta com 77 cooperativas de viticultores e 400 plantações de vinha.

 

 TAGS:Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013

Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013

 

 

 TAGS:St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014

St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014

 

 

Quais são os alimentos mais afrodisíacos?

 TAGS:undefinedO chocolate, os morangos… são alimentos bem conhecidos por reavivar a paixão. Haverá mais alimentos afrodisíacos? A resposta é sim, há muitas e algumas que certamente nem conhece. Hoje mostramos-lhe algumas:

Amêndoas

Talvez pareça estranho que um fruto seco esteja entre os alimentos que afecte a libido. Mas para além das amêndoas, há mais frutos secos e podemos recordar que na obra, O Conde de Montecristo, o protagonista jantava sopa de amêndoas sempre que tinha um encontro amoroso.

Ostras

Entre os diversos moluscos com capacidade afrodisíaca (e existem vários), podemos dizer que as ostras ganham a medalha de ouro. Têm muitas propriedades benéficas para o organismo, como o zinco, que eleva a produção de esperma e de testosterona. Uma noite de prazer fica garantida.

Mel e canela

Para temperar diversos alimentos, o melhor é que seja com mel e canela, uma junção totalmente afrodisíaca e com muitos benefícios para a mente e para o corpo.

Cebola

O seu sabor é potencia a pulsão sexual, porém muitas pessoas não acham o “hálito de cebola” muito adequado para uma noite que promete. De qualquer forma, é recomendável em caso de impotência.

Vinho e cava

As bebidas são imprescindíveis para acompanhar um jantar romântico. Nada melhor que o vinho, ou as borbulhas do cava ou do champanhe para obter uma noite de sexo, principalmente o vinho tinto que proporciona uma série de vantagens ao organismo e aumenta a nossa qualidade de vida sexual.

Abacate

Utilizado por várias civilizações para potenciar o sexo, a árvore deste fruto significa “árvore dos testículos”. O abacate é rico em ácido fólico, vitamina B6, potássio, ácidos gordos Ómega-3 e ácido oleico, de modo que já sabemos que melhora o nosso estado de modo geral.

 TAGS:Pack Entre Burbujas Rose - para ella (Entre Bolhas Rose - para ela)Pack Entre Burbujas Rose – para ella (Entre Bolhas Rose – para ela)

Pack Entre Burbujas Rose – para ella (Entre Bolhas Rose – para ela)

 

 

 TAGS:Pack Fantasías Nómadas (Fantasias Nômadas) 2010Pack Fantasías Nómadas (Fantasias Nômadas) 2010

Pack Fantasías Nómadas (Fantasias Nômadas) 2010

 

Chaves para desfrutar uma prova de vinhos

 TAGS:undefinedNo mundo da gastronomia e do turismo, o prazer sensorial vai ganhando um grande protagonismo. A busca é a do prazer oferecido pela comida e pela bebida. Por essa razão, as melhores provas são aquelas que proporcionam o máximo prazer no momento de beber, por exemplo, vinho.

1. Bem rodeados. Uma cata deste tipo pede o melhor ambiente possível, seja com a família ou os amigos, o importante é que sejam pessoas que nos façam sentir bem ao mesmo tempo que saboreamos um bom vinho. Está tudo ligado: relaxamento e ambiente descontraído.

2. Divertimento. Para lá das provas profissionais, uma prova especialmente boa, procura a diversão, beber vinho por puro prazer, porque gostamos e nos entusiasma, sem obrigações.

3. Desfrutar dos sentidos. Neste tipo de prova entra, sem dúvida, a união dos sentidos. A visão, o olfato e o paladar são indispensáveis para aprender a procurar novos sabores e aromas que depois nos permitem distinguir vinhos, porém, sempre com o prazer da prova.

4. Vinhos cativantes. Segundo os especialistas, este tipo de provas são feitas com vinhos que fascinam e cativam, diferentes, talvez, ou um clássico imperdível.

5. Pode ser organizada em qualquer sítio. Ao contrário das provas profissionais, por vezes um pouco empertigadas, estas provas podem ser feitas onde o organizador queira; em casa, no jardim ou num bar, com amigos e alguém que entenda um pouco deste tema e ajude a desenvolver novos conhecimentos do paladar.

 

 TAGS:Quinta do Portal Grand Reserva 2011Quinta do Portal Grand Reserva 2011

Quinta do Portal Grand Reserva 2011: um vinhos tinto de D.O. Douro vendimiado en 2011 e 13º de teor de álcool. 

 

 

 TAGS:Carm cm 2011Carm cm 2011

Carm cm 2011: um vinhos tinto com D.O. Douro com uvas 2011.

 

 

Alteração climática e vinhos. Qual é a relação?

 TAGS:undefinedÉ por todos conhecido, que a actividade industrial das últimas décadas, caracterizada pelo uso intensivo dos combustíveis fosseis, tem responsabilidade sobre as lentas, porém dramáticas, alterações climáticas produzidas no planeta. A temperatura global aumentou e por consequência, também as características climáticas de cada zona sofrem alterações.

Esta situação é algo que devemos começar a controlar antes de que o processo seja acelerado. Porém, em determinadas regiões, esta mesma alteração tem vindo a possibilitar produções até hoje impensáveis. É precisamente o que está a suceder na produção de vinho sueco e de vinho inglês. O aumento de temperatura, permite agora, que as estações quentes destes países sejam cada vez mais longas, o que não apenas facilita o trabalho dos viticultores, como também aumenta a qualidade do seu vinho, cada vez mais apreciado dentro e fora do contexto nacional.

Na Região de Malmö, uma das maiores cidades suecas, as vinhas gozam verões um mês mais longos do que há 50 anos. Em Hällåkra, por exemplo, há mais de 20.000 vinhas numa superfície de aproximadamente 6 hectares.
O aumento de temperatura nesta latitude foi superior à média global, o que converteu a viticultura nórdica numa séria alternativa comercial, até à data vista como um hobby de reformados.

Apesar de que o vinho sueco seja ainda um grande desconhecido entre os apreciadores de vinho, a actividade destes pequenos produtores começa a despertar o interesse dos restaurantes locais com alta cozinha. Especialmente os vinhos brancos e os espumantes, já incluídos nas carta de vinhos destes restaurantes.

 TAGS:Vinzel Chasselas 1990Vinzel Chasselas 1990

Vinzel Chasselas 1990: um vinhos branco da D.O. Canton de Vaud elaborado com chasselas de 1990.

Ideias para reciclar barris de vinho

 TAGS:undefinedPara além do seu lugar assegurado nas adegas, os barris de vinho podem ter muitas outras funções.

Alguma vez pensou em usá-los como decoração?

Aqui vão algumas ideias. Anote!

Utilizado como balde de gelo

Após cumprir a função original e uma vez cortados a meio, os barris podem encher-se com gelo e servir como recipiente de bebidas frescas em eventos e comemorações organizados para espaços de tamanho médio.

Como cofre ou baú

Depois de restaurado, o barril de vinho pode ser utilizado como baú para guardar o que desejar. Graças à beleza da madeira, é um objeto útil para decoração.

E um candeeiro?

Outro modo de reciclar um barril, é transformando-o em candeeiro. Não é difícil, ainda que necessite um pouco de habilidade, basta perfurar o barril em vários pontos e introduzir um cabo eléctrico e uma lâmpada no seu interior. O resultado é um belo candeeiro de jardim.

Como mesa

Neste caso devemos cortar o barril a meio. A sua forma circular é ideal para uma mesa de apoio, e qualquer casa de estilo rural agradece a sua presença.

Como apoio para diversos usos

Não é necessário um grande trabalho. O barril, pela sua altura, peso e largura, serva para suportar uma tábua ou uma superfície plana que permita servir como espaço de apoio num evento, por exemplo.

Como estante

Para transformar o seu barril em estante é preciso ter um pouco mais de trabalho, mas é simples, basta cortar os barris em “fatias” circulares e depois pendurar as suas estantes redondas onde quiser.

 TAGS:Old St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 AñosOld St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 Años

Old St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 Años: 4 pontos de 5 es la classificação que os utilizadores de Uvinum colocaram a Old St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 Años.

 

8 cocktails com vinho para celebrar a chegada do bom tempo

 TAGS:undefined

Vai um cocktail à base de vinho? Hoje temos algumas propostas:

Com cola: Em Espanha este cocktail chama-se Kalimotxo. Se gostas de vinho tinto mas por vezes apetece-te de tomar uma bebida diferente, experimenta misturar cola e vinho em proporções iguais. Junta algum gelo e umas gotas de sumo de limão. 

Água com gás: Juntando 1 parte de água com gás e 2 partes de vinho bem frio com gelo e umas gotas de sumo de limão, obténs o cocktail ideal para refrescar os dias mais quentes.

Com fruta e brandy: Outra forma de transformar o vinho: 4 chávenas de vinho + 1 ou 2 chávenas de fruta cortada em quadrados + 2 colheres de brandy + 2 colheres de xarope de açúcar e um pouco de água com gás.

Com rodelas de ananás: Seja com vinho branco, rosé, tinto ou um espumante, sempre se podem juntar umas rodelas de ananás ao copo para obter uma bebida mais doce e também atraente.

Com melão: Com vinho branco ou rosé, juntar uns cubinhos de melão, polvilhar de hortelã picada e decorar com uma rodela de limão

Com limonada: É simples, vinho branco e limonada em partes iguais, um pouco de gelo picado, água com gás e…Voilá!

Com néctar: Se o objectivo é o de improvisar um Bellini, junta ao teu vinho, um pouco de néctar de fruta. Podes fazê-lo com espumante ou água com gás.

Granizado: Com uma chávena de vinho e duas colheres de xarope de açúcar no congelador, tens uma sobremesa fresca ou um cocktail granizado para as tardes de Verão.

 TAGS:Enate Chardonnay 234 2015Enate Chardonnay 234 2015

Enate Chardonnay 234 2015: um vinhos branco com D.O. Somontano vinificado com chardonnay de 2015 e com 13.5º de teor de álcool. Enate Chardonnay 234 2015 pode maridar com massa fresca e mariscos.

 

 

 TAGS:El Perro Verde 2015El Perro Verde 2015

El Perro Verde 2015: um vinhos branco da D.O. Rueda realizado com verdejo de 2015 e de um grau alcoólico de 13º. 

 

 

Quem bebe vinho ou cerveja, come melhor

 TAGS:undefinedSegundo um estudo da Universidade Miguel Hernández (UMH) em Elche, os estudantes que bebem cerveja e vinho, moderadamente, habitualmente consomem maior quantidade de peixe, frutas e hortaliças, ingredientes que fazem parte da dieta mediterrânica e considerados base de uma alimentação saudável.

Por outro lado, os jovens abstémios inquiridos (mais de 1000 entre 17 e 35 anos de idade), admitiram consumir uma menor quantidade de peixe, fruta e hortaliça e o dobro de carne, tal como indicaram também os inquéritos efectuados a consumidores de vários tipos de álcool, quando comparados com os bebedores moderados de cerveja e vinho.

Segundo estes resultados, 18,9% dos participantes tomava apenas vinho ou cerveja de forma moderada, 19,5% não bebia álcool e 61,6% consumia diversos tipos de álcool, incluindo bebidas de elevado teor alcoólico.

O consumo médio de álcool atingiu 4,3g diários, um valor possível de considerar entre baixo a moderado, já que é inferior a 11,8g/dia, o valor resultante do inquérito de 2011/2012, elaborado pela Pesquisa Nacional de Saúde a indivíduos da mesma idade adulta.
No entanto, os investigadores reconhecem a controvérsia existente na comunidade cientifica internacional sobre a recomendação de consumo de álcool, ainda que consumido moderadamente, devido aos efeitos negativos resultado de um consumo excessivo.

Os resultados do trabalho realizado pela UMH, demonstram principalmente a importância de estudar simultaneamente alimentação e consumo de álcool, quando o objecto de estudo são os efeitos do álcool no organismo. O que também nos recorda que a dieta mediterrânica inclui a presença de vinho nas refeições. Sempre moderadamente, é claro.

 TAGS:Quinta do Portal Grand Reserva 2011Quinta do Portal Grand Reserva 2011

Quinta do Portal Grand Reserva 2011: um vinhos tinto com D.O. Douro está elaborado com uvas de 2011 e com 13º de teor de álcool.

 

 

 TAGS:Herdade das Servas Touriga Nacional 2008Herdade das Servas Touriga Nacional 2008

Herdade das Servas Touriga Nacional 2008: um vinhos tinto Alentejo com os mejores cachos de touriga nacional de 2008 e com 14.5º de teor de álcool.

8 harmonizações para esquecer

 TAGS:undefinedAlgumas combinações de vinho com determinados pratos devem realmente ser evitadas e por vezes é mais importante saber quais as harmonizações que não se devem fazer do que seguir recomendações sobre as uniões gastronómicas ideais. Uma combinação infeliz pode provocar ressaca, azia ou arruinar completamente o sabor de um prato.

Com champanhe não deve… Uma das piores combinações com o champanhe seco são os bolos habitualmente servidos nas festas de casamento. Um sabor contraria o outro e o paladar é convertido num campo de batalha sem vencedores. A mesma fórmula é válida para caril com champanhe vintage.

O Cabernet Sauvignon não é grande amigo de… Um vinho Cabernet com elevada presença de taninos não deve ser acompanhado de gelado, o resultado é um vinho amargo e um gelado excessivamente doce. As ostras, também não são uma boa companhia para este vinho, a sua textura torna-se arenosa com um sabor desagradavelmente metálico, tal como o linguado, que ao ser combinado com Cabernet perde o sabor delicado que o caracteriza.

Pinot Noir com… Se o prato a saborear é um frango avinagrado com estragão, é melhor esquecer o Pinot Noir, o vinagre de ervas, tal como qualquer condimento de elevada acidez, reduz substancialmente o sabor frutado deste vinho.

Se o Sauvignon Blanc for um dos favoritos… O ideal é ficar longe de caviar e queijo azul, com o primeiro o vinho perde todas as suas características e com o segundo gera-se uma verdadeira competição no paladar.

O Chardonnay é inimigo de… Talvez a combinação de Chardonnay e gelado possa parecer interessante, porém esta é a receita infalível para ter uma ressaca inesquecível. É também recomendável manter a distância entre este vinho e peixes gordurosos como a cavala, que modificam totalmente o paladar do vinho, ou as ostras, que perdem o seu sabor subtil. Finalmente, o Chardonnay perde vida quando acompanhado por alimentos picantes.

Chianti, melhor longe de… Não é o melhor vinho para acompanhar uma salada de atum ou pratos similares, o vinho ganha um sabor metálico, nada equilibrado.

Não estragues o Merlot… Se as alcachofras, as couves de Bruxelas e o feijão verde são alguns dos pratos predilectos, é melhor guardar o Merlot tinto para outras refeições. No geral, com estes vegetais vai melhor um vinho branco.

Não desperdices uma garrafa de Borgonha… Lasanha e Borgonha, é um desses casamentos de final infeliz, ou seja, azia.
Borgonha, queijo e molho de tomate é uma associação demasiado fortes para o estômago.