Etiqueta: vinho tinto.

O personal shopper da Uvinum responde: Que vinhos biodinâmicos recomendas?

 TAGS:undefinedOs vinhos biodinâmicos encontram-se em ascensão, a atenção que se lhes dedica traduz-se no número de eventos e no crescimento do interesse dos consumidores por este tipo de vinhos. Os clientes da Uvinum, evidentemente, não são excepção e, na verdade, uma das consultas mais recentes, colocadas ao nosso personal shopper diz respeito a recomendações de vinhos biodinâmicos disponíveis na Uvinum.

Deste modo, queremos aproveitar a publicação de hoje para expor as recomendações do nosso personal shopper e para que os nossos leitores saibam um pouco mais sobre estes vinhos e tenham um ponto de referência para poder começar a descobri-los.

 TAGS:undefined

O que são os vinhos biodinâmicos?

Tal como explicou a nossa colega Eli, numa publicação de Abril de 2014, os vinhos biodinâmicos procedem da agricultura biodinâmica, um conceito antigo, no qual se considera a vinha ou o terreno como um ser vivo onde se utiliza a menor tecnologia e tratamentos possível.

O objectivo é o de que a vinha desenvolva o seu próprio processo imunitário contra doenças, micróbios e insectos. Como? Fomentando os microrganismos e a biodiversidade, tendo em conta as energias naturais, seguindo um calendário biodinâmico (lunar) e utilizando preparados biodinâmicos.

Recomendações da Uvinum:

 TAGS:Vi de Lluna 2007Vi de Lluna 2007

Vi de Lluna 2007 é um vinho de Mas Estela com Denominação de Origem do Empordà, elaborado com as castas Grenache negra e Syrah de 2007. Graduação alcoólica – 15º.

 

 

 TAGS:Planetes de Nin 2011Planetes de Nin 2011

Planetes de Nin 2011: Vinho tinto com Denominação de Origem Priorat, elaborado com Grenache negra e Cariñena de 2011.

 

 

 TAGS:Recaredo 2008Recaredo 2008

Recaredo 2008: Espumante com Denominação de Origem Cava, elaborado com Xarel·lo e Parellada de 2008. Graduação alcoólica – 12º. Costuma acompanhar peixe azul e paelha, entre outros.

 

 

França

 TAGS:Marcel Deiss Grasberg 1Er Cru Blanc 2009Marcel Deiss Grasberg 1Er Cru Blanc 2009

Marcel Deiss Grasberg 1Er Cru Blanc 2009: Marcel Deiss elabora Marcel Deiss Grasberg 1Er Cru Blanc 2009, um vinho branco com Denominação de Origem da Alsácia da colheita de 2009.

 

 

 TAGS:Domaine de la Pinte Arbois Vin Jaune 62cl 2005Domaine de la Pinte Arbois Vin Jaune 62cl 2005

Domaine de la Pinte Arbois Vin Jaune 62cl 2005: Um vinho branco com Denominação de Origem de Vins de Savoie.

 

 

Domaine de la Pinte Arbois Vin Jaune 62cl 2005
Um vinho branco com Denominação de Origem de Vins de Savoie.

 TAGS:Domaine Gourt de Mautens Blanc 2012Domaine Gourt de Mautens Blanc 2012

Domaine Gourt de Mautens Blanc 2012: Domaine Gourt de Mautens Blanc 2012
Domaine Gourt de Mautens elabora este vinho branco com Denominação de Origem de Côtes Du Rhône e colheita de 2012.

 

 

Alemanha

 TAGS:Wittmann Westhofener Kirchspiel Riesling Grosses Gewächs 2013Wittmann Westhofener Kirchspiel Riesling Grosses Gewächs 2013

Wittmann Westhofener Kirchspiel Riesling Grosses Gewächs 2013: Vinho branco com Denominação de Origem de Rheinhessen elaborado com Riesling de 2013.

 

 

 TAGS:Walter Riesling Pündericher Marienburg Trocken 2013Walter Riesling Pündericher Marienburg Trocken 2013

Walter Riesling Pündericher Marienburg Trocken 2013: Vinho branco com Denominação de Origem Mosel, das adegas Weingut Walter e com as melhores uvas Riesling de 2013 – Graduação alcoólica 12.9º.

 

 

Itália

 TAGS:Cascina Degli Ulivi Bellotti Rosso 2013Cascina Degli Ulivi Bellotti Rosso 2013

Cascina Degli Ulivi Bellotti Rosso 2013: Vinho tinto com Denominação de Origem de Barbaresco, colheita de 2013.

Uvas para cada pão

 TAGS:undefinedAinda que pão e vinho seja um duo bem conhecido de todos, harmonizá-los talvez seja uma tarefa complexa para muitos. Para os combinar é necessário provar e só depois então, escolher seguindo o nosso paladar.

Hoje deixámos aqui algumas das nossas opções preferidas para que proves antes de começar a experimentar as tuas alternativas.

Champanhe e brioche:
O brioche é conhecido por ser um pão de textura suave ao paladar e de crosta estaladiça, por outro lado, o champanhe tem fama graças às suas borbulhas. Em relação a sabores; o adocicado do pão equilibra-se com a acidez do champanhe. Se te apetecer podes juntar um pouco de salmão ao pão.

 

 TAGS:Moët & Chandon Brut ImpérialMoët & Chandon Brut Impérial

Moët & Chandon Brut Impérial: Um espumante com Denominação de Origem de Champagne. Elaborado com uvas Chardonnay e Pinot Noir e com 12.50º de graduação alcoólica.

 

 

Pinot Grigio e Baguete:
O sabor delicado da baguete permite combiná-la com vinho branco. Para acompanhar, recomenda-se queijos de sabor suave.

 

 TAGS:Pinot Gris Grand Cru Zinnkoeplfle Leon Boesch Blanc 2008Pinot Gris Grand Cru Zinnkoeplfle Leon Boesch Blanc 2008

Domaine Léon Boesch é o produtor deste Pinot Gris Grand Cru Zinnkoeplfle Leon Boesch Blanc 2008. Um vinho branco com Denominação de Origem da Alsácia, elaborado com Pinot Gris de 2008.

 

 

Vinho rosé e Focaccia:
A focaccia é um pão de textura suave e sabor forte. Pode ser muito bem acompanhado com vinho rosé, de sabor ácido e servido frio.

 

 TAGS:Miraval Rosé 2014Miraval Rosé 2014

Miraval Rosé 2014: Um vinho rosé com Denominação de Origem de Côtes De Provence, das adegas Château Miraval e elaborado com Cinsault e Syrah de 2013 e13º de graduação alcoólica.

 

 

Pinot Noir e pão de centeio:
O pão de centeio, de sabor amargo e forte e crosta dura, combina bastante bem com um Pinot Noir de intensos aromas frutados e toques de chocolate.

 TAGS:Cortijo los Aguilares Pinot Noir 2013Cortijo los Aguilares Pinot Noir 2013

Cortijo los Aguilares Pinot Noir 2013: Um vinho tinto elaborado com Pinot Noir de 2011 e 14º graduação alcoólica.

 

 

Riesling e pão doce de frutas:
Se os doces são da tua preferência vais apreciar este pão de frutas, de preferência acompanhado por um Riesling bem frio, de notas doces e indicado para acompanhar sobremesas.

 TAGS:Vi de Glass Riesling 375ml 2011Vi de Glass Riesling 375ml 2011

Vi de Glass Riesling 375ml 2011: Vinho doce do Penedés – Catalunha, com as melhores uvas de Riesling e Muscat de 2010.

 

Como organizar uma prova de vinhos

 TAGS:undefined

Habitualmente uma prova de vinhos realiza-se com o objectivo de classificar as propriedades visuais e o paladar de um vinho por meio dos seus aromas, sabores e cores e costuma ser dirigida por profissionais ou enólogos, porém, também é verdade que cada vez mais estas actividades se estendem a muitos outros públicos; amadores, apreciadores e curiosos sobre a cultura vinícola no geral.

Geralmente, uma prova costuma apresentar cinco vinhos diferentes, para melhor poder apreciar a diversidade de tons, cores, aromas, sabores e texturas e assim poder atribuir uma nota a cada um dos vinhos. Estas provas devem ser efectuadas em espaços bem iluminados, sem cheiros e boas condições de temperatura. Os copos utilizados devem ser transparentes e adequadas à prova.

Fases da prova de vinhos

São fundamentalmente três, as fases de uma prova de vinhos: Visual, olfactiva e gustativa. Normalmente inicia-se com uma explicação do enólogo (ou do técnico que dirige a prova) sobre os vinhos para depois se passar à parte prática. Cada uma das fases deve ser acompanhada por uma explicação das diferentes propriedades e os vinhos podem ser provados com alimentos para deste modo medir a potência dos sabores.

  • Fase visual – O vinho é observado a contraluz, sempre em fundo branco ou com luz natural para poder distinguir cores e tons. A fase visual fornece bastante informação sobre a qualidade e idade do vinho.
  • Fase olfactiva – O copo aproxima-se do nariz para que possamos sentir os diferentes aromas do vinho. Aqueles que primeiro nos chegam são os aromas primários, ao mover o copo obtemos os aromas secundários e se continuarmos a movê-lo podemos sentir também os aromas terciários, que muitas vezes revelam os vinhos de maior qualidade.
  • Fase gustativa – Provar o vinho talvez seja o passo mais importante. Deve ser retido na boca e depois cuspido (no recipiente indicado) para voltar a beber e desta vez engolir para obter todas as sensações possíveis ao paladar.

Algumas recomendações para a tua prova de vinhos:

 

 TAGS:Carvalhas Vinhas Velhas 2011Carvalhas Vinhas Velhas 2011

Carvalhas Vinhas Velhas 2011 é o produtor de Carvalhas Vinhas Velhas 2011, um vinhos tinto da D.O. Douro cujo coupage contém uvas de 2011. 

 

 

 TAGS:Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2011Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2011

Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2011 é um vinhos tinto da D.O. Douro com uvas 2011 e 14.5º de álcool en volume.

 

Imagens: Uvinum e Oscar Mateu

 

Stress? Bebe um bom copo de vinho

 TAGS:undefined

Se bem que conhecido especialmente pelo seu sabor e por ser a bebida preferida nas refeições em boa companhia, o vinho também oferece uma serie de benefícios para a saúde, aos quais se somam agora os resultados do estudo realizado pelo Instituto de Investigação Scripps em La Jolla, Califórnia, o qual indica que beber vinho reduz o stress.

Segundo o cardiologista Raúl Pastor, catedrático de Medicina Interna do Hospital de Buenos Aires, beber diariamente um copo de vinho, no caso das mulheres, e dois copos de vinho, para os homens, reduz consideravelmente o stress oxidativo, responsável pelos danos a nível celular (e envelhecimento) assim como pela formação de tumores e produção de doenças crónicas.

O resveratrol, substância presente nas uvas pretas e no vinho tinto, graças às usas propriedades antioxidantes, é uma das recentes alternativas utilizadas no combate às doenças cardiovasculares e na manutenção da juventude da pele.

Para além disso, o Instituto de Investigação Scripps, em La Jolla, Califórnia, descobriu que o resveratrol também estimula um gene anti-stress, que por sua vez activa outros genes, responsáveis pela protecção do organismo contra infecções e inclusive contra os raios ultravioleta.

Paul Schimmel, um dos técnicos a cargo desta investigação, indicou que “ a resposta do stress representa uma etapa biológica que tínhamos evitado e parece que o resveratrol a activa em concentrações muito mais baixas que aquelas utilizadas em estudos prévios”.

Outros benefícios do resveratrol:

  • Doenças cardiovasculares: Ajuda a diminuir a inflamação, evita a oxidação do colesterol impedindo que as plaquetas formem coágulos, responsáveis pelos ataques cardíacos.
  • Diabetes: Ajuda a prevenir a resistência à insulina.
  • Cancro: Diminui a propagação de células cancerígenas.
  • Alzheimer: É capaz de proteger as células nervosas da acumulação de placas responsáveis pelo Alzheimer.

Os benefícios do resveratrol já eram conhecidos, porém, o estudo em questão descobriu o modo como esta substância funciona no organismo: segundo os resultados, o resveratrol adere à proteína PARP-1, o que gera um factor de resposta anti-stress e de reparação do ADN.

O stress, em excesso, produz sentimentos de frustração e ansiedade, no entanto, em baixo nível pode contribuir para a realização das tarefas diárias. As causas do stress são várias: estilo de vida, trabalho, situação económica ou relações interpessoais e os seus sintomas podem ser identificados com; frequência cardíaca acelerada, tonturas, tremores e transpiração.

Praticar desporto, repousar, ter uma alimentação equilibrada e beber vinho com moderação, podem ajudar a reduzir o stress e melhorar a nossa qualidade de vida.

Recomendações:

 

 TAGS:Poliphonia Signature 2007Poliphonia Signature 2007

Granadeiro Vinhos elabora Poliphonia Signature 2007, um vinhos tinto com D.O. Alentejo com syrah de 2007 e possui um grau alcoólico de 14.5º.

 

 

 TAGS:Carvalhas Vinhas Velhas 2011Carvalhas Vinhas Velhas 2011

Quinta das Carvalhas é o produtor de Carvalhas Vinhas Velhas 2011, um vinhos tinto da D.O. Douro cujo coupage contém uvas de 2011.

 

 

 TAGS:Cedro do Noval 2008Cedro do Noval 2008

Quinta do Noval produz este Cedro do Noval 2008, um vinhos tinto da D.O. Douro vinificado com touriga Franca e tinta Roriz de 2008 e 14º de grau alcoólico.

 

Vinho para melhorar a memória

 TAGS:undefinedSegundo um estudo publicado pela revista Journal of Neuroscience, o resveratrol demonstrou melhorar a memória, este composto, presente na pele das uvas tintas, tem a capacidade de melhorar a memória a curto prazo.

Este estudo, realizado pelos investigadores da Universidade Charité de Berlim, centrou-se nos efeitos do resveratrol em pessoas com excesso de peso. Foram efectuadas várias provas, antes e depois do estudo, assim como provas de memória, uma análise de sangue e um scanner do cérebro dos participantes.
23 voluntários receberam 200 mg de resveratrol diariamente, enquanto que um segundo grupo, com igualmente 23 voluntários, receberam um placebo. No final do estudo foi possível concluir que aqueles que tinham consumido resveratrol tinham melhor memória a curto prazo do que aqueles que tinham recebido placebo.

Segundo a investigadora Veronica Witte: ? Este estudo é o primeiro que demonstra existir uma relação directa entre o composto do vinho tinto e a capacidade cognitiva de adultos com excesso de peso?.

As análises de sangue, através de um marcador de açúcar no sangue, mostraram níveis baixos nos indivíduos que tinham recebido resveratrol, o qual indica que o metabolismo do açúcar pode estar relacionado com a actividade cerebral e a memória.

Um outro estudo, da Universidade John Hopkins de Medicina, em Baltimore, Maryland, indicou que os benefícios do resveratrol para a saúde são um mito. Neste caso foi estudado um grupo de 783 anciãos italianos e durante um período de 16 anos. Os resultados indicaram que o resveratrol não se associou à redução de inflamações, doenças cardiovasculares, cancro ou mesmo longevidade.

Apesar de tudo, este é o antioxidante do vinho mais utilizado nas empresas dedicadas à pele. As suas propriedades anti- envelhecimento, perfeitamente comprovadas, deixam este composto no topo de lista dos tratamentos de pele.

 TAGS:Cabriz Colheita Seleccionada 2009Cabriz Colheita Seleccionada 2009

Cabriz Colheita Seleccionada 2009

 

 

 TAGS:Monte Velho 2010Monte Velho 2010

Monte Velho 2010

Menos homem se beberes vinho?

 TAGS:undefinedOs homens britânicos reconheceram recentemente ter medo de ser ridículos quando bebem vinho com os seus amigos, claro está referido a bares, não à intimidade dos seus lares.

Quando assistimos aos hábitos de outros países sempre se encontram diferenças, no que diz respeito ao consumo de vinho é semelhante, neste caso, alguns estudos lançam dados inesperados. Segundo um estudo realizado pela Associação de vinhos de Côte du Rhone com 1500 homens, 9 de cada 10 homens apreciam beber uma garrafa de vinho em casa, mas apenas 1 de cada 4 o faz em noites de copos com os amigos, por temor à troça.

O motivo da ?troça? talvez esteja associado a ser identificado como ?conhecedor do mundo do vinho? ou ainda pelo facto do indivíduo em questão não consumir bebidas mais fortes e populares, como outros homens. Seja como for, a verdade é que estas opiniões geram um padrão de consumo diferente do nosso, no Reino Unido.

Este estudo foi encomendado pela Associação de vinhos de Côte du Rhone, nele foi descoberto que uma quarta parte dos homens serve vinho nas suas reuniões para impressionar os convidados.

Estes dados demonstram que o vinho é mais apreciado nos jantares íntimos, em casa e entre amigos, ou nos brindes com almoços familiares. Talvez por esta razão seja habitual ver os compradores de vinho efectuar escolhas muito específicas.
E tu? Verias com maus olhos o amigo que pedisse vinho? Se tens coragem, recomendamos-te 2 vinhos excepcionais de Côtes du Rhone:

 TAGS:Coudoulet de Beaucastel 2010Coudoulet de Beaucastel 2010

Coudoulet de Beaucastel 2010

 

 

 TAGS:Louis Bernard Côtes du Rhône 2011Louis Bernard Côtes du Rhône 2011

Louis Bernard Côtes du Rhône 2011

Será melhor servir o vinho à noite?

 TAGS:Segundo os investigadores de Oxford, servir vinho nas suas melhores condições pode depender de factores como a luz e o som. Durante os próximos meses, a Oxford University e a adega espanhola Campo Viejo vão testar as influências da luz e do som no sabor do vinho.

Para esta experiência, e no âmbito do Festival Southbank de Londres, foram convidadas milhares de pessoas. No laboratório de cor do professor de Psicologia experimental da Universidade de Oxford, Charles Spence, os vinhos serão classificados após serem bebidos em copo preto e exposto à luz enquanto se ouvem diferentes sons. A Campo Viejo Color Lab inaugura o Southbank de Londres a 2 de Maio e durá até 5 de Maio.

A opinião de Spence é de que os resultados poderão vir a influir nos rótulos dos futuros vinhos, criando-se novas recomendações tal como, ? beber a ouvir música clássica? ou ?Servir à noite preferentemente?.

Spence declarou ao The Telegraph:

?Já todos estivemos nessa situação em que, trazendo uma garrafa de vinho ao voltar de férias, a abrimos para os amigos e descobrimos que não tem o sabor que recordávamos?.

Evidentemente, que se trata do mesmo vinho. A única coisa que foi modificada é o lugar onde se bebe. De modo que, se pretendes saborear o teu vinho de férias deves recrear, na medida do possível, todas as condições em que ele foi bebido pela primeira vez. Talvez seja melhor esperar por uma tarde de sol ou por uma noite calorosa de Verão e já procurar a música que se ouvia . Todos os pormenores te ajudarão a recuperar o sabor que recordas?.

O professor Spence acrescentou ainda que a actual tendência a escolher cores neutras para as casas, pode estar relacionada com o facto do vinho adquirir um sabor mais suave: ?Onde se bebe mais vinho? Em casa, em salas e cozinhas que normalmente se pintam de branco ou creme?.

?Se as pessoas gostam do seu vinho, provavelmente deveriam pensar numa injecção de cor em todas as oportunidades que surjam?.

Num estudo realizado pela Universidade de Oxford com provadores profissionais, o champanhe foi servido em copos negros o que provocou dificuldade em distinguir entre um espumante barato e um champanhe de alta qualidade.

Os resultados deste recente estudo, patrocinado pelo vinho espanhol Campo Viejo serão publicados pelo professor Spence, que se atreve a afirmar que, os resultados poderiam significar o fim do escanção tradicional: ?Creio que os resultados do nosso estudo vão alargar-se até restaurantes e bares chegarem a reconsiderar as cores que possuem as suas toalhas, copos, talheres e inclusive as cores das imagens situadas nas paredes?.

Hoje recomendamos 2 vinhos Campo Viejo para que os proves às escuras:

 TAGS:Campo Viejo TempranilloCampo Viejo Tempranillo

Campo Viejo Tempranillo

 

 

 TAGS:CV de Campo Viejo 2007CV de Campo Viejo 2007

CV de Campo Viejo 2007

Talvez o vinho tinto possa desacelerar o cancro de pulmão

 TAGS:Por várias vezes, já aqui foram analisados os benefícios do vinho na saúde, sempre e quando o seu consumo seja moderado e incluído numa alimentação variada, baseada na tradicional dieta mediterrânea.

Desta vez, queremos partilhar as notícias sobre uma investigação nova, desenvolvida pelas Universidades de Brock e McMaster em Ontario (Canadá).
Este estudo revela que os vinhos brancos e os vinhos tintos, detêm a propagação do cancro de pulmão, sendo os tintos, no entanto, mais eficazes contra esta doença.

Os investigadores canadianos encontraram evidências, no seu estudo ainda em fase preliminar, de ação de ambos tipos de vinho nas células cancerígenas, ainda que supõem que, o maior conteúdo fenólico das variedades tintas (testadas nas diferentes probas) talvez seja a chave para uma maior eficácia, comparativamente às variedades brancas.

Até agora, os efeitos benéficos do vinho tinto parecem ter sido já demonstrados em problemas de saúde como a obesidade e as doenças cardíacas, porém o progresso que pressupõe o estudo realizado pelas Universidades de Brock e McMaster, pode representar um passo de gigante na luta contra tumores malignos e talvez ainda outros tipos de cancro.

Atualmente, as provas, a ser publicadas proximamente na prestigiada Cancer Cell International, limitam-se a um exposição sobre o cultivo de células cancerígenas em laboratório , porém, se os resultados se confirmarem, prevê-se uma nova etapa de investigação, esta, com ratos de laboratório e doses de vinho correspondentes a um consumo moderado de 1 a 2 copos diários, de modo a comprovar o efeito de desaceleração do crescimento dos tumores e poder então avançar para uma fase de ensaios clínicos.

Hoje recomendamos:

 TAGS:Adega de Borba 2011Adega de Borba 2011

Adega de Borba 2011

 

 

 TAGS:Barca Velha 2004Barca Velha 2004

Barca Velha 2004

O vinho e a libido feminina

 TAGS:Vinho e desejo sexual femininoMuito se falou e especulou sobre o consumo de vinho e a libido feminina. Hoje se sabe que o consumo moderado de vinho tinto aumenta de forma notável o desejo sexual feminino. Já era conhecido que o vinho e outros licores aumentam o fluxo sanguíneo nos seres humanos. As propriedades do vinho fazem dele um poderoso afrodisíaco.

Um estudo realizado pela Universidade de Florença, na Itália, realizou uma prova com uma mostra de 798 mulheres, com idades entre 18 e 50 anos (italianas, da região de Chanti, na Toscana). As mulheres foram divididas em 3 grupos:

  • as que não bebiam sequer uma gota de vinho
  • as que bebiam pelo menos um copo por dia
  • e as que bebiam entre 1 e 2 copos diários

Os resultados do experimento foram que as mulheres do terceiro grupo (que bebiam entre 1 e 2 copos diários), davam mais respostas ao desejos sexuais em comparação com as mulheres dos outros dois grupos. Mesmo as mulheres de mais idades, que têm a libido mais baixa, também tiveram ajuda do vinho para incrementar o desejo sexual. Estes estudos foram publicados na prestigiosa revista Journal of Sexual Medicine (Revista de Medicina Sexual).

Para chegar a este resultado, as 798 mulheres responderam a um questionário de 19 perguntas, todas elas, obviamente, de carácter sexual e basicamente sobre o índice sexual feminino.

Como comentamos antes, os licores aumentam o fluxo sanguíneo, mas o vinho também o faz com que zonas chaves da mulher, de aí o seu poder “afrodisíaco” nas fêmeas. Os resultados surpreenderam a muitos, e, apesar do número pequeno de mulheres pesquisadas, é evidente que o vinho tem outro poder antes desconhecido.

Outro detalhe importante é o tipo de vinho usado nesta prova: o vinho tinto. Especulamos se seria porque é dos mais concentrados entre todas as variedades. Também não é descartado que o mesmo efeito seja causado por outras classes de vinhos.

Já que o assunto é vinho, não podemos deixar de dar nossas recomendações:

 TAGS:Monte das Anforas 2011Monte das Anforas 2011

Encorpado e macio, com sabores de compota de frutos vermelhos, combinados com notas de especiarias

 

 

 TAGS:Vega Sicilia Valbuena 5º Año 2006Vega Sicilia Valbuena 5º Año 2006

Na boca é muito equilibrado, saboroso, fresco, elegante e aveludado.