Etiqueta: vinho tinto.

Escolher uma garrafeira

 TAGS:undefinedAntes de escolher e montar uma garrafeira, seja em casa, adega ou restaurante, devemos seguir alguns parâmetros, alguns deles estão relacionados com a temperatura mas há outros aspectos igualmente importantes.

Tipo de sistema

Algumas garrafeiras, mais sofisticadas, priorizam o tipo de sistema, o sistema termoeléctrico é um dos que oferece mais vantagens na *conservação do vinho*. Não produz vibrações que possam alterar o vinho e respeita o Meio Ambiente. É recomendável para uso caseiro e não tanto para uso profissional.

Tamanho

É um ponto fundamental na escolha da sua garrafeira, pensar no espaço disponível e na quantidade de vinho que pretendemos guardar , evita perder espaço, tempo e dinheiro.

O sítio

A garrafeira não pode ficar em qualquer espaço, deve colocar-se no sítio mais frio da casa e sem exposição directa ao sol. É recomendável que não fique perto de eletrodomésticos.

Temperatura

A verdade, é que actualmente todas as garrafeiras se encontram preparadas para conservar e manter o vinho à temperatura adequada, os seus sistemas são modernos e automáticos, tornam-nos a vida mais fácil em relação ao desenvolvimento do vinho e permitem-nos saborear a pérola dos líquidos, directamente saída da garrafeira.

 TAGS:Adega 35 garrafas Ls35B la SommelièreAdega 35 garrafas Ls35B la Sommelière

Adega 35 garrafas Ls35B la Sommelière: La Sommelière é um dos líderes de vendas de garrafeiras de climatização na Europa, na área da hotelaria e restauração, entre os seus clientes encontram-se hotéis e restaurantes de excelente reputação.

 

 

 TAGS:Vinoteca 8 Garrafas Cv008Ns CavanovaVinoteca 8 Garrafas Cv008Ns Cavanova

Vinoteca 8 Garrafas Cv008Ns Cavanova: A ampla gama de garrafeiras de conserva e climatização Cavanova converteu-se em padrão de qualidade comercial, a sua utilização em hotelaria e residências permite-nos saborear uma agradecida experiência. 

 

 

 

 

 

Hambúrgueres gourmet: mais do que uma moda

 TAGS:undefinedOs hambúrgueres passaram da perspectiva de comida rápida à qualidade gourmet, uma tendência que não passa despercebida nos bares e restaurantes. O hambúrguer foi, durante muito tempo, um prato ideal para os mais pequenos sobretudo porque a carne é suculenta e tenra. Felizmente, hoje em dia, os seus sabores multiplicaram-se com novos ingredientes e texturas e a harmonização, incluindo com Gin tónico, não só é possível como agradecida.

Hambúrgueres ecológicos: Uma tendência que veio para ficar: cuidar do nosso corpo e da nossa alimentação. Em relação aos hambúrgueres, a carne de vitela ecológica costuma ser servida junto a outros ingredientes mais saudáveis como o pimento, tomate, queijos de processamento ecológico e molhos suaves.

Hambúrgueres de autor: Uma das experiências deste tipo de hambúrgueres, que abandonaram definitivamente o conceito de “comida rápida”, são os mini-hambúrgueres de autor. As miniaturas permitem-nos provar vários sabores: com ou sem pão, com cebola frita ou queijo parmesão, em vinha-d’alhos ou com azeitonas recheadas.

O molho: o segredo: Alguns destes hambúrgueres destacam-se precisamente devido ao molho. Às maioneses e mostardas tradicionais, juntaram-se o vinagrete, a mostarda com mel, molhos de queijo e pesto. Na criatividade vale tudo e os molhos artesanais chegam a ser verdadeiros protagonistas do hambúrguer gourmet.

Pão artesanal: Na procura de qualidade, já não serve qualquer tipo de carne ou de pão. O pão destes hambúrgueres deve ser saboroso, com alguma textura e papel secundário, com ou sem sementes ou ervas aromáticas, mas de qualidade.

Em relação à harmonização, os hambúrgueres de qualidade, vão bem com um tinto novo e frutado, uma boa cerveja ou um gin tónico clássico.

Hoje, estas são as nossas recomendações:

 TAGS:Château Prieuré Lichine 2008Château Prieuré Lichine 2008

Château Prieuré Lichine 2008: um vinhos tinto com D.O. Margaux a base das castas cabernet franc e merlot da colheita 2008 e 12.00º de grau alcoólico. 

 

 

 TAGS:Paulaner 50clPaulaner 50cl

Paulaner 50cl: uma cerveja weißbier da cervejaria Paulaner feita em Alemanha elaborada com fermentação baixa com um ABV de 5.5º.

 

 

Vinho em pintura

 TAGS:undefinedO artista plástico Jorge Martorell utiliza o vinho com uma nova e original técnica. As suas telas são pintadas com vinhos das castas Malbec, Syrah, Cabernet e Chardonnay, entre outros.

Martorell substitui o acrílico pelo vinho e tudo começou por um acidente, uma mancha de vinho caiu na tela em que trabalhava e o artista decidiu que esta faria parte da obra. Gostou tanto do resultado que passou a utilizar o vinho nas suas seguintes obras.
Deste modo, o vinho tinto, em gotas, esguichos e jactos, começaram a integrar as suas pinturas. Martorell usa todo o tipo de vinhos, castas e variedades: vinhos de alta e baixa gama, vinho puro e vinho adulterado ou quimicamente modificado, borras e tintas vegetais.
O seu objectivo é aproveitar os comportamentos e qualidades do vinho, semelhante às aguarelas, o vinho tinto oferece uma grande variedade de cor após a oxidação; vermelhos, violetas, cinzentos, azuis arroxeados, pardos e castanhos. No caso do vinho branco e dos espumantes, obtêm-se tons alaranjados e amarelados.

“O processo de pintar com vinho, implica provas e erros”, afirma Martorell, que utiliza vinho oxidado para obter as cores pretendidas no seu trabalho. Para travar a oxidação recorre ao verniz, acrílico, tintas vegetais e óxidos de ferro. Para além da técnica descoberta por acidente, Martorell trabalha com um enólogo, que o ajuda a obter as cores e texturas pretendidas.

A música também faz parte do conceito do seu trabalho, inspiradas em tangos, com frases e nomes emblemáticos: Uno, Tinta Roja, La última curda, Las vueltas de la vida, Déjame que llore, Me quedé mirándola, Rodando por Callao… entre outras.

Mas a lista de materiais pouco convencionais que utiliza nas suas obras continua a crescer. Em “Last tango in Paris”, díptico inspirado na composição do argentino Gato Barbieri para o filme de Bertolucci, incorporou uma gota de sangue na última fase da sua obra.
E se por acaso duvidam…o artista garante que entre pintura e pintura “ unicamente molho os lábios”.

 TAGS:Duorum 2013Duorum 2013

Duorum 2013: um vinhos tinto com D.O. Douro cujo coupage contém tinta roriz e touriga nacional de 2013 e com um grau alcoólico de 13,5º. 

 

 

 TAGS:Carm cm 2011Carm cm 2011

Carm cm 2011:  um vinhos tinto com D.O. Douro com uvas 2011. 

 

 

Alguns tipos de garrafas de vinho

 TAGS:undefinedAté ao séc. XVII não se utilizaram garrafas para embalar o vinho, antes do vidro, os materiais eram outros: ânforas de cerâmica, barris de madeira e mesmo tripas de animais.

Hoje em dia a garrafa de vidro é elementar para a conservação do vinho, uma vez saído da adega. No interior da garrafa, o vinho segue o seu percurso para o estado de consumo ideal, dependendo dos tipos de vinho e das garrafas este tempo varia, mas o momento correcto sempre chega.

Tipo de material:

Na sua maioria, o vinho é embalado em garrafas de vinho, apesar de também serem utilizados outros materiais, como bricks ou latas especiais, nenhum deles é tão aconselhável como o vidro, para conservar o vinho por um longo período de tempo.

Tipos de garrafa segundo a sua forma:

  • Borgonha: A forma conhecida como mais antiga. Vem, evidentemente, da Borgonha, tem um corpo largo e os ombros seguem uma curva longa até ao bojo. Muitas garrafas de vinho português possuem esta forma.
  • Bordalesa: A garrafa mais comum de todas. Possui ombros marcados, corpo recto e é cilíndrica, o que permite um bom armazenamento na horizontal. É habitualmente cor-de-canela (mercado nacional) e transparente nos vinhos brancos. Nos tintos a garrafa é verde.
  • Cava ou Champanhe: Garrafa de vidro grosso e ombros baixos, possui uma concavidade na base, concebida para resistir à pressão e própria dos vinhos espumantes.
  • Jerezana: Foi criada por espanhóis. Tem un gargalo bojudo em duas fases. É utilizada para engarrafar Xerez e licores.

Tipos de garrafa segundo a sua capacidade:

O envelhecimento e conservação do vinho são grandemente influenciados pelo tamanho da garrafa onde repousam, já que a evolução do vinho é tão mais lenta quanto maior for a garrafa. Aqui ficam algumas delas:

  • Split: 187,5cl.
  • Meia-garrafa: 375ml.
  • Garrafa convencional: 750ml
  • Magnum:1,5L.
  • Jeroboam: 3L.
  • Imperial: 4L.
  • Rehoboam: 4,8L.
  • Methuselah: 6,4L.
  • Salmanazar: 9,6L.
  • Balthazar: 12,8L.
  • Nebuchadnezzar: 16L.
  • Solomon: 18L.

Tipos de garrafa segundo a sua cor:

A cor da garrafa influencia a conservação e protecção do vinho em relação à luz solar. As cores mais utilizadas são verde, azul ou negro acastanhado. Os vinhos que se pretendem envelhecer, normalmente são embalados em garrafas de cores escuras, enquanto que os vinhos brancos novos são engarrafados em vidro transparente ou de cores claras.

 TAGS:Mumm Cordon Rouge JeroboamMumm Cordon Rouge Jeroboam

Mumm Cordon Rouge Jeroboam: Vinho espumante com Denominação de Origem Champagne. Castas: Pinot noir e Pinot meunier. Graduação alcoólica – 13º.

 

 

 TAGS:Pago de los Capellanes Crianza Magnum 2010Pago de los Capellanes Crianza Magnum 2010

Pago de los Capellanes Crianza Magnum 2010: Vinho tinto com Denominação de Origem Ribera del Duero. Castas: Cabernet sauvignon e Tempranillo de 2010. Graduação alcoólica – 13.49º.

 

 

 

 

Como mudou o consumo de vinho nos últimos anos

 TAGS:undefinedTal como o mercado gastronómico avança, também os consumidores se tornaram mais exigentes e o aumento do consumo de vinho não é excepção. Hoje fazemos um resumo sobre o consumo dos nossos dias.

Não qualquer vinho. Um excesso de informação nos últimos anos levou os novos, e os não tão novos, consumidores de vinho a aumentar o nível de exigência: qualidade e profissionalismo.

Novos consumidores. Uma das consequências do aparecimento das redes sociais e dos blogs foi o número de pessoas que passou a deixar-se guiar/informar pelas opiniões e comentários alheios. Normalmente consumidores dispostos a aprender, na sua maioria jovens. Ainda que as suas compras não sejam em grande quantidade, é um público que pede novas colheitas e Denominações de Origem menos conhecidas.

Onde compram o seu vinho. Segundo os estudos da SymphonyIRI, os consumidores já não compram apenas em adegas ou lojas especializadas. Uma grande maioria, em primeiro lugar procura e compra vinho de qualidade em supermercados e hipermercados, e em segundo lugar em sítios especializados como as cooperativas, por exemplo. A compra de vinho online, também aumentou, evidentemente.

Onde consomem o seu vinho. Os sítios onde os “novos” consumidores bebem vinho, também mudou. Não só em restaurante, o hábito ampliou-se, ou voltou: às tascas, às pequenas e médias adegas urbanas e aos bares com organização de provas de vinhos e gastronomia. Os marketplace de vinhos, também passaram a fazer parte desta lista.

 

 TAGS:Porca de Murça 2013Porca de Murça 2013

Porca de Murça 2013: um vinho tinto com D.O. Douro cujo coupage contém tinta roriz e touriga nacional de 2013 e tem um volume de álcool de 13º.

 

 

 TAGS:Quinta do Vale Bragão Colheita Branco 2014Quinta do Vale Bragão Colheita Branco 2014

Quinta do Vale Bragão Colheita Branco 2014: um vinho branco com D.O. Douro elaborado com uvas de 2014 e 13º de álcool en volume.

 

 

O vinho tinto ajuda a perder peso

 TAGS:undefinedJá várias vezes referimos alguns dos benefícios do vinho na nossa saúde; em relação às doenças cardiovasculares, como factor anti-envelhecimento, etc… Mas até agora não havia notícias sobre a sua possível influência como acelerador de perda de peso, algo que, a ser verdade, junta-se à enorme lista de boas razões para consumir vinho. Isso sim, sempre com moderação.

Segundo um estudo da Oregon State University, existe um tipo específico de vinho que trava o crescimento das células gordas no fígado. Uma descoberta, que uma vez passado todas as provas necessárias, pode indicar que o consumo de uvas frescas, em forma de mosto ou fermentadas como vinho, talvez ajude a solucionar problemas de saúde relacionados com o tratamento de inflamações crónicas, colesterol, radicais livres, certos tipos de cancro, obesidade e especialmente a esteatose hepática, também conhecida como “fígado gorduroso”.

Concretamente, o composto responsável pelo comportamento benéfico de alguns tipos de uva, é o ácido elágico, também presente em frutas como a castanha, a noz, framboesa vermelha e romã, nos chás verde e nos chás oolong e inclusive nas bolotas dos carvalhos.

Em relação a uvas, este polifenol encontra-se em variedades como a Red Muscadine, Cabernet Sauvignon e Malbec. O envelhecimento do vinho em barris de carvalho multiplica a sua presença no vinho fermentado, de modo que, quanto mais envelhecido, melhor.

O estudo foi realizado por bioquímicos e biólogos moleculares da Escola de Ciências Agrícolas de OSU, em colaboração com as Universidades da Florida e do Nebraska, e conclui que o ácido elágico melhora a acumulação de gordura no fígado e reduz a presença de açúcar no sangue (as experiências foram feitas com ratos sobrealimentados com uma alimentação rica em gorduras).

Confirmando-se um comportamento similar nos humanos, esta descoberta poderia prevenir o aparecimento de gordura hepática, bastante frequente em pessoas com problemas de obesidade e diabetes, simplesmente adicionando à alimentação equilibrada e exercício moderado, o consumo de um cacho de uvas por dia, um copo de mosto ou de vinho tinto ou o seu equivalente em alimentos onde se encontra presente o ácido elágico.

 

 TAGS:Pedra Basta 2010Pedra Basta 2010

Pedra Basta 2010

 

 

 TAGS:Quinta Nova Colheita 2011Quinta Nova Colheita 2011

Quinta Nova Colheita 2011

 

 

O vinho tinto poderia ajudar a prevenir a disfunção eréctil

 TAGS:undefinedSegundo um recente estudo efectuado em conjunto pelo Reino Unido e pelos Estados Unidos, o vinho, as bagas silvestres e as uvas são “alimentos sexuais” que podem ajudar a prevenir a disfunção eréctil. Ou seja, mais uma razão para juntar à lista de benefícios do vinho na nossa saúde.

O estudo foi realizado pelas equipas da Universidade de Harvard e da Universidade de East Anglia e a revista American Journal Of Clinical Nutrition publicou as conclusões; os homens com idades médias que consumiram bagas silvestres, cítricos e vinho tinto tinham 10% menos probabilidade de padecer disfunção eréctil, graças à presença dos flavonoides nestes alimentos.

Estes pigmentos naturais ajudam a proteger o organismo das deteriorações causadas pelas substâncias oxidantes, como os raios ultra-violeta e a contaminação ambiental e ajudam também a prevenir algumas doenças. As bebidas como o vinho e o chá, assim como a fruta e a verdura, possuem uma elevada presença de flavonoides.

Para realizar este estudo foram analisados mais de 50.000 homens, assim como a sua capacidade de ter e manter uma ereção. De 4 em 4 anos registaram-se os seus hábitos dietéticos, o seu peso corporal, actividade física e quantidade de cafeína consumida, assim como em relação ao tabaco.

Um terço dos indivíduos analisados sofreu disfunção eréctil durante o estudo. Aqueles que mantinham uma alimentação rica em antocianinas, flavonas e flavanonas demonstraram ter menos propensão para sofrer esta disfunção. Por outro lado, os homens que mantinham uma actividade física activa, como caminhar cerca de 5h semanais, unida a uma alimentação rica em flavonoides, apresentaram uma taxa de disfunção eréctil mais baixa.

Sobre o resultado deste estudo o Professor da Universidade de East Anglia – Aedin Cassidy – comunicou: “ Examinámos 6 tipos de flavonoides principais de consumo habitual e descobrimos que 3 deles –antocianinas, flavanonas e flavonas – são benéficos” … “os homens que consomem regularmente alimentos ricos em flavonoides, têm 10% menos de propensão a sofrer disfunção eréctil”.

 TAGS:Mob 2012Mob 2012

Mob 2012: um vinho branco da D.O. Dao da colheita 2012 e 12.5º de álcool en volume.

 

 

 TAGS:Herdade do Rocim Touriga Nacional 2014Herdade do Rocim Touriga Nacional 2014

Herdade do Rocim Touriga Nacional 2014: um vinho tinto Alentejo está elaborado com touriga nacional de 2014 e de um grau alcoólico de 14º.

 

 

Duas vezes vinho?

 TAGS:undefinedBeber vinho, moderadamente, proporciona uma grande quantidade de benefícios. E se o bebermos em grandes tragos? Muito melhor, ou isso afirma um estudo realizado pela Universidade de Nápoles, cuja conclusão aponta para a quantidade de vinho que se toma em cada trago e como este facto tem uma grande influência sobre o sabor do vinho.

Este estudo utilizou uma casta autóctone de vinho branco, a Falanghina. As conclusões e perguntas foram várias, entre elas: o aroma continua a ser extremamente importante, sobretudo nas provas de vinhos, mas como se modifica o seu sabor?

Um vinho pode ser muito diferente, tanto em relação ao seu aroma como ao paladar, o qual é devido à libertação de marcadores voláteis que proporcionam as características frutadas e oxidativas do vinho. Estes marcadores são influenciados pela quantidade de vinho de um só trago e pela interacção do vinho com a saliva.

O que indica este estudo é o facto dos sabores frutados ou florais se libertarem mais facilmente quando os tragos de vinho são grandes. E ainda: os sabores procedentes de frutas vermelhas, como as cerejas, ou outros, mais doces, como o mel são mais fáceis de detectar quando o vinho é tomado num grande trago. Ou seja, algo que devemos ter em conta quando provamos vinhos com estas características.

Estes dados, novos, podem transformar as provas de vinho a curto prazo, tornando-as mais eficazes. E tanto escanções como enólogos podem enriquecer e variar as suas provas profissionais de vinhos, alternando pequenos e grandes tragos para distinguir os diferentes efeitos sobre o aroma e o sabor.

 TAGS:Remelluri Reserva 2008Remelluri Reserva 2008

Remelluri Reserva 2008: Vinho tinto com Denominação de Origem Rioja. Castas: Tempranillo e Graciano de 2008. 13.5º de graduação alcoólica.

 

 

 TAGS:Abadía Retuerta Selección Especial 2011Abadía Retuerta Selección Especial 2011

Abadía Retuerta Selección Especial 2011: Vinho tinto com Denominação de Origem VT Castela e Leão. Castas: Syrah e Tempranillo de 2011. 14º de graduação alcoólica

 

 

Mais vinho e melhor vida sexual

 TAGS:undefinedA melhor maneira de começar o ano é com boas notícias. 

Dizem por aí que, para além dos já conhecidos benefícios do vinho na nossa saúde, também pode ajudar a melhorar a vida sexual das mulheres.

Quem o afirma são Ricardo Bartoletti e Nicola Mondaini, doutores da Universidade de Florença, que realizaram uma investigação sobre o consumo de vinho.
O estudo revela uma relação directa entre o tipo de consumo, moderado e frequente, e a vida sexual feminina e conclui que consumir um ou dois copos de vinho diariamente gera desinibição e distensão nas mulheres.

A investigação baseou-se nas respostas de cerca de 1000 mulheres italianas, entre os 18 e os 50 anos de idade e com diferentes hábitos de consumo.

O objectivo era o de medir um índice de funções sexuais femininas, uma medida habitualmente utilizada em estudos sobre a sexualidade feminina que inclui questões sobre a vida sexual, como o desejo, interesse, lubrificação, orgasmos, satisfação e dor.
Os resultados indicam que as mulheres consumidoras de 1 a 2 copos de vinho por dia apresentam um índice de desejo sexual mais elevado que outras mulheres do estudo com outros tipos de consumo.

Os médicos afirmam que “existe uma relação potencial entre a ingestão de vinho e a qualidade da vida sexual” já que surgiu a hipótese de que os componentes do vinho aumentem o fluxo de sangue nas zonas erógenas e portanto, o estímulo sexual aumente.

Mondaini disse que o vinho tinto “faz com que as mulheres se sintam mais relaxadas aumenta a sensibilidade dos estímulos sexuais” e sugeriu seguir uma dieta mediterrânica, onde se inclui o vinho, para melhorar a saúde e o sexo.

 TAGS:Pombal do Vesúvio 2011Pombal do Vesúvio 2011

Pombal do Vesúvio 2011: um vinhos tinto com D.O. Douro da colheita 2011 e 14º de álcool. 

 

 

 TAGS:Porca de Murça 2014Porca de Murça 2014

Porca de Murça 2014: um vinhos tinto Douro do ano 2014. 

 

 

2 sobremesas irresistíveis com chocolate e vinho

 TAGS:undefinedSe o vinho e o chocolate são duas das tuas paixões, hoje estás com sorte. A nossa publicação combina estas duas maravilhas em duas receitas muito saborosas de sobremesas com vinho.

Bolo francês de chocolate e vinho

Ingredientes:

  • 6 gemas de ovo
  • 1 ½ chávena de farinha
  • ½ chávena de cacau amargo
  • 1 copo de vinho branco doce
  • 1 colherada de açúcar

Recheio:

  • 2 chávenas de creme de leite
  • 1 colher de fermento
  • 4 colheres de açúcar
  • 2 colheres de cacau amargo
  • 2 colheres de café instantâneo

Calda de vinho:

  • 1 chávena de água
  • 1 chávena de açúcar
  • 3 colheres de vinho branco doce

Elaboração:

  1. Deixar ferver a água e o açúcar para a calda durante pelo menos 5 minutos. Retirar do lume e juntar o vinho.
  2. Para o bolo, bater as gemas com o açúcar durante 15 minutos. Peneirar a farinha e juntar às gemas, com o cacau, fermento e o vinho.
  3. Untar uma forma com 22 cm de diâmetro, deitar o creme e levar ao forno a 170º c, durante 40 minutos.
  4. Para fazer o recheio, bater o creme de leite com o açúcar e depois juntar o cacau e o café e misturar novamente.
  5. Cortar o bolo horizontalmente em 4 partes. Molhar a segunda, a terceira e a quarta capa na calda de vinho e depois no creme batido.
  6. Montar o bolo e cobrir com o creme batido.

Bolos de chocolate com vinho tinto

Ingredientes:

  • 90gr de chocolate preto
  • 1 ovo
  • 30gr de manteiga
  • 30gr de açúcar
  • 40gr de farinha
  • 1 pitada de baunilha
  • 70ml de vinho tinto

Creme:

  • 370gr de leite condensado
  • 50ml de leite evaporado
  • 3 gemas de ovo
  • ½ vagem de baunilha

Elaboração:

  1. Bater o açúcar com os ovos, juntar o chocolate e a manteiga derretida.
  2. Juntar o vinho, o interior da vagem de baunilha e a farinha. Misturar bem.
  3. Deitar a massa nas formas untadas com manteiga.
  4. Levar ao forno durante 40 minutos a 170ºc.
  5. Para preparar o creme: aquecer os dois tipos de leite e sem deixar de misturar, juntar meia vagem de baunilha (retirar quando estiver quente).
  6. Bater as gemas com o leite quente.
  7. Deitar o creme numa panela e aquecer em lume brando, mexendo sempre até que fique espesso.
  8. Retirar do lume e levar ao frigorífico.
  9. Servir os bolos com um pouco de creme por cima.

E para acompanhar, que tal um champagne?

 TAGS:Mumm Cordon RougeMumm Cordon Rouge

Mumm Cordon Rouge: um vinhos espumantes com D.O. Champagne de Os mejores cachos de pinot meunier e chardonnay e com uma teor de álcool de 12º.

 

 

 TAGS:Moët & Chandon Brut ImpérialMoët & Chandon Brut Impérial

Moët & Chandon Brut Impérial: um vinhos espumantes com D.O. Champagne das adegas Moët & Chandon cujo coupage contém pinot noir e pinot meunier e 12,5º de grau alcoólico.