Etiqueta: vinho branco

Friuli: Vinhos brancos apaixonantes

 TAGS:undefinedNo Nordeste da Itália, em Friuli, encontram-se algumas das Denominações italianas mais conhecidas de vinhos brancos de montanha. Ainda que a região seja relativamente pequena, comparada com outras regiões da Itália, é uma das produtoras do melhor vinho branco do país.

Nesta região crescem cerca de trinta variedades de castas, que, muitas vezes, dão origem a vinhos produzidos em pequenas quantidades. Entre as zonas mais conhecidas da região encontram-se as seguintes:

1. Friuli grave
Friuli Grave representa mais de metade da produção. Situa-se num grande vale aplanado de solos pedregosos, onde as rochas de grande dimensão aquecem durante o dia e arrefecem à noite, o que ajuda a madurar as uvas e a manter uma elevada acidez. Hoje em dia, os vinhos elaborados com Pinot grigio e Prosecco são os reis indiscutíveis de Friuli-Grave. Os vinhos são ideais para harmonizar com sushi, verduras e queijos leves, ou, simplesmente, para tomar como um aperitivo refrescante.

2. Colli Orientali del Friuli
Localizada a Este de Udine, esta zona produz grandes variedades locais e internacionais, entre elas; Sauvignon blanc, Chardonnay e Pinot grigio. Os vinhos brancos de Colli Orientali del Friuli possuem aromas de flores brancas, maçãs maduras e sabores de pêssego com travo longo. As variedades locais mais importantes incluem: Friulano, uvas com delicadas notas de tomilho e alperce; Meyer, com sabores de limão, groselha madura e final de amêndoa amarga; Ribolla Gialla, uma uva de elevada acidez, saborosa, estruturada, com sabores de alperce, tangerina e pêra asiática; Malvasia, notas florais.

Ainda que estes vinhos não sejam baratos e talvez difíceis de encontrar, são realmente especiais e bastante apreciados pelos seus sabores, entre outros; mel de acácia, figos, frutos secos e aromas minerais em que a acidez e o açúcar se equilibram. Combinam muito bem com sobremesas elaboradas à base de avelãs, queijos curados ou simplesmente, sem nada mais.

3. Collio
Collio situa-se na fronteira com a Eslovénia, no distrito de Gorizia, e é famosa pelo seu Chardonnay envelhecido e misturado com o vinho branco local. Esta área diz respeito a pouco mais de 5% de vinhas. As variedades internacionais encontram aqui as condições favoráveis para desenvolver todo o seu potencial, exemplo disso são: Sauvignon blanc, Chardonnay e Pinot grigio. Os seus vinhos têm uma fermentação com muito pouco, ou nenhum, contacto com oxigénio, e como tal, é habitual a presença de notas frescas que lembram maçãs maduras, alperce e ananás, acompanhadas de aromas característicos do envelhecimento como os da avelã e da baunilha.

4. Carso
Situada nas colinas da zona do Trieste, esta é uma zona bastante pequena e conhecida pelos seus vinhos cor-de-laranja.

O Vinho Laranja é feito através de um método tradicional de elaboração do vinho branco, que deixa que o sumo da uva se mantenha em contacto com as peles. Estes são vinhos cada vez mais apreciados, sedutores, com aromas de fruta seca, folhas de chá, especiarias doces, com elevada acidez e taninos suaves. Travo longo.
Ainda que não existam regras escritas para as variedades de uva que podem ser utilizadas no vinho laranja de Carso, as mais habituais são a Pinot grigio, Ribolla gialla, Malvasia ou a mistura que o produtor decida.

 TAGS:Zuani Vigne Collio Bianco 2015Zuani Vigne Collio Bianco 2015

Zuani Vigne Collio Bianco 2015

 

 

 TAGS:Di Lenardo Toh! 2015Di Lenardo Toh! 2015

Di Lenardo Toh! 2015

 

4 cocktails veganos para combater o calor

 TAGS:undefinedSer vegano não é incompatível com saborear um bom cocktail. Hoje propomos-lhe 3 cocktails que não contêm nenhum ingrediente de origem animal. Para além de que, são bem frescos!

1. Bellini

Ingredientes:

  • 3 pêssegos de polpa branca
  • 1 colherada de sumo de limão
  • 1 garrafa de espumante Prosecco 

Preparação:

  1. Ferver os pêssegos em água, secar e descascar passados dois minutos.
  2. Cortar os pêssegos em pedaços e liquidificar com o sumo de limão.
  3. Deitar numa jarra de vidro e adicionar o Prosecco.
  4. Misturar e servir.

2. Mojito de laranja

Ingredientes:

  • 2 medidas de rum escuro
  • 1 laranja grande
  • 2 raminhos de hortelã
  • 2 colheradas rasas de açúcar castanho
  • Gelo picado a gosto
  • Fruta a gosto

 
Preparação:

  1. Colocar o açúcar, a hortelã e a laranja, previamente cortada em pedaços, num copo grande. Esmagar com um almofariz.
  2. Coar o líquido e servir em dois copos. Juntar o gelo picado e o rum e decorar com hortelã e fruta.

3. Sangria

Ingredientes:

  • ½ chávena de Brandy
  • ¼ de chávena de açúcar
  • 2 garrafas de vinho branco
  • 3 colheradas de sumo de limão
  • 6 pêssegos brancos cortados em quadrados
  • 2 limões cortados em rodelas
  • ½ chávena de mirtilos
  • ½ chávena de morangos
  • 2 chávenas de cubos de gelo 

Preparação:

  1. Numa taça grande, misturar o brandy e o açúcar até dissolver.
  2. Adicionar o vinho branco e a fruta.
  3. Repousar em frigorífico durante uma noite.
  4. Adicionar os cubos de gelo antes de servir.

 

4. Cocktail de Amaretto Aloha

Ingredientes:

  • 1 medida de sumo de mirtilo
  • 1 medida de sumo de um ananás
  • 1/2 medida de Amaretto 

Preparação:

  1. Misturar todos os ingredientes e servir em copo com gelo picado.

 

 TAGS:Nostalgia Alvarinho Branco 2013Nostalgia Alvarinho Branco 2013

Nostalgia Alvarinho Branco 2013

 

 

 TAGS:Alvarinho Soalheiro 2015Alvarinho Soalheiro 2015

Alvarinho Soalheiro 2015

 

 

Salada e vinho: um prazer divino (e saudável)

 TAGS:undefinedNestes dias de calor, a melhor opção para uma refeição é uma salada, que pode preparar de mil e um modos diferentes. Se for acompanhada de um bom vinho, ainda melhor. Hoje propomos-lhe algumas saladas, e vinhos correspondentes, para que que possa saborear um menu de verão.

1. Salada de arroz

Ingredientes:

  • 200gr de arroz basmati
  • 6 azeitonas pretas
  • 12 alcaparras
  • 2 ovos cozidos
  • 1 lata de atum
  • 2 rodelas de ananás de conserva
  • 4 tomates cherry
  • 16 uvas passas
  • 6 lagostins
  • Sal a gosto

Tempero:

  • 4 colheres de sopa de azeite virgem
  • 2 colheres de sopa de mostarda
  • 1 colher de nata líquida

Preparação:

  1. Cozinhar o arroz. Deixar arrefecer sob um jorro de água e escorrer.
  2. Cozer os ovos. Deixar as passas de molho para que se hidratem.
  3. Cortar os restantes ingredientes em pedacinhos. Misturar todos os ingredientes na saladeira e decorar com os pedaços grandes de atum.

Para esta receita, recomendamos um vinho tinto jovem e ligeiramente de agulha, como o Baigorri; um vinho de maceração carbónica, ideal para acompanhar saladas complexas.

2. Salada de feijão-verde e batata

Ingredientes:

Para a vinagreta:

  • 20 mililitros de vinagre de maçã
  • 60 mililitros de azeite virgem
  • 1 colherzinha de mostarda Dijon
  • 1 dente de alho
  • Pimenta preta a gosto
  • Sal a gosto

Para a salada:

  • 100gr de feijão-verde
  • 1/2 colherzinha de bicarbonato
  • 50gr de atum em azeite
  • 100gr de batata cozida para guarnição
  • 50gr de tomate cherry
  • 30gr de azeitonas pretas sem caroço
  • 4 ou 5 anchovas
  • 1 ovo cozido

Preparação:

  1. Colocar todos os ingredientes da vinagreta numa taça. Bater à mão até emulsionar. Reservar.
  2. Lavar o feijão-verde e retirar os extremos. Quando a água com bicarbonato ferver, deitar o feijão-verde e cozer durante 5 minutos.
  3. Retirar o feijão-verde e colocar num recipiente com água gelada, Deixar arrefecer, escorrer, secar e reservar.
  4. Escorrer o atum e partir em pedaços com as mãos. Cortar as batatas pequeninas, os tomates, as anchovas e as azeitonas a meio. Misturar todos os ingredientes.
  5. Descascar o ovo cozido, cortar em quatro partes e reservar. Regar a salada com a vinagreta e decorar com ovo.

E que tal um vinho rosé francês para uma salada do mesmo país? Este é um bom momento para saborear um bom rosé?

 

3. Salada de talharins de curgete

Ingredientes:

  • 4 curgetes
  • 8 tomates cherry
  • 2 fatias de presunto
  • 80gr de queijo parmesão
  • 40gr de pinhões
  • 1 dente de alho
  • 5 colheradas de azeite virgem
  • 1 molho de manjericão
  • Sal e pimenta a gosto

Preparação:

  1. Cortar o presunto em tiras finas. Dourar os pinhões numa frigideira.
  2. Lavar los tomates, secar e cortar em quartos. Lavar o manjericão e secar bem.
  3. Reservar alguns raminhos para decorar no final e cortar o resto.
  4. Cortar o queijo em fatias finas. Descascar o dente de alho e picar.
  5. Lavar as curgetes e cortar em lâminas finas sem chegar à parte central das sementes.
  6. Aquecer 3 colheradas de azeite. Dourar a curgete a fogo forte durante 2 minutos.
  7. Mexer continuamente com uma colher de madeira.
  8. Deitar o alho e os tomates, temperar com sal e pimenta recém moída. Cozinhar durante mais um minuto.
  9. Apagar o lume, polvilhar o manjericão e o parmesão, juntar os pinhões e o presunto e misturar bem.
  10. Empratar os talharins com um fio de azeite. Decorar com manjericão e servir.

Na nossa selecção não podia faltar um vinho branco. O corpo delicado e um tanto oleoso do Enate Chardonnay 234 2015, pode funcionar muito bem com esta suave salada. 

As zonas vitivinícolas alemãs (III/III)

 TAGS:undefinedOs vinhos alemães ocupam diversas áreas de grande beleza no país. Vale a pena, não só descobrir as regiões vinícolas, como conhecer os seus diferentes vinhos. Hoje fazemos uma visita a outras zonas de produção de vinho e conhecemos um pouco das suas castas, tipos de vinho e extensão de produção.

Mittelrhein

Ainda que seja uma zona de reduzida dimensão, produz diversos vinhos de grande importância, tais como, Riesling, Müller-Thurgau e Kerner, sendo o primeiro o que mais se destaca entre eles, com 70% do total de variedades. Aqui também se encontram uvas Weißburgunder (Pinot blanc) e Grauburgunder (Pinot gris).

Comarca de Saale-Unstrut

Talvez seja uma das mais belas zonas da Alemanha. São paisagens repletas de vinha e onde se destacam mais de 30 variedades de uvas, entre as quais: Müller-Thurgau, Weißburgunder e Silvaner. A Riesling e a Gutedel representam os vinhos brancos, nos vinhos tintos; Portugieser, Blauer Zweigelt e Spätburgunder. São cerca de 500 produtores dedicados ao vinho nesta região de vinhos de qualidade.

Platz ou Região de Palatinado

Uma grande parte das vinhas localiza-se na região de Mittelhaardt. A zona compreende mais de 5000ha de superfície, onde se destaca o Riesling sobre qualquer outra variedade. Não é injustificado, como tal, que este seja um dos vinhos com maior exportação da Alemanha. No vinho branco, a exploração dirige-se sobretudo às castas Gewürztraminer e Scheurebe e nos vinhos tintos: Dornfelder, Portugieser, Spätburgunder e Regent. 3000 famílias dedicam-se à produção de vinho nesta zona, muitos dos quais são vendidos nas suas próprias adegas.

Rheingau – Uma longa tradição

Compreende 3000ha de superfície vinícola, onde se destaca o cultivo de Riesling, e outras variedades como Spätburgunder, Müller-Thurgau, Ehrenfelser, Weißburgunder. Também as castas internacionais como a Chardonnay e a Sauvignon blanc fazm parte da produção regional.

Se pretende conhecer mais sobre as regiões vitivinícolas alemãs, não perca os dois artigos anteriores desta série: As zonas vitivinícolas alemãs (I/III) e As zonas vitivinícolas alemãs (II/III).

 TAGS:Markus Pfaffmann Riesling Trocken 2015Markus Pfaffmann Riesling Trocken 2015

Markus Pfaffmann Riesling Trocken 2015: Vinho branco com Denominação de Origem Pfalz. Colheita de 2015. Graduação alcoólica- 12.5º

 

 

 TAGS:Klumpp Grauburgunder Trocken 2015Klumpp Grauburgunder Trocken 2015

Klumpp Grauburgunder Trocken 2015: Vinho branco com Denominação de Origem Baden das adegas Klumpp elaborado com uvas de 2015. 

 

 

As zonas vitivinícolas alemãs (II/III)

 TAGS:undefinedGraças aos grandes contrastes de temperatura, a Alemanha possui diversas zonas vinícolas que produzem vinhos brancos e tintos. Já aqui foram descritas algumas destas rgiões no nosso primeiro artigo, desta vez revelamos algumas zonas mais onde é elaborado o bom vinho alemão.

Zona de Franken ou Francónia

São 6.040ha junto ao rio Main. Uma grande parte destes vinhedos encontra-se na Cidade de Würzburg e seus arredores e os vinhos que aqui se produzem são diversos, destacando-se entre eles: Steinwein, Silvaner e Müller-Thurgau. No vinho tinto as referências são as castas Domina e Spätburgunder (Pinot noir). Nesta zona agrupam-se mais de 5.400 empresas viticultoras, com vinhas de grande reputação como os de Homburger Kallmuth, Rödelseer Küchenmeister, Randersackerer Pfülben e Escherndorfer Lump.

Zona de Mosel-Saar-Ruwer

Esta região de vinho alemão é a mais antiga do país. Ocupa 10.400ha e possui vários microclimas que possibilitam a elaboração de um dos vinhos mais conhecidos do país, o famoso Riesling, vinho de acidez equilibrada e considerado um dos melhores brancos do mundo. A sua especialidade é a antiga variedade de uva Elbling, para além da Müller-Thurgau, a Burgunder Weiß e a Grau. No total, existem cerca de 2000 terrenos de vinha, cujos donos produzem os seus próprios vinhos. O enoturismo está bastante vinculado a esta zona onde se realizam provas de vinho muito variadas.

Comarca vitivinícola Hessische Bergstraße

Ainda sendo a mais pequena do país, é uma das zonas com mais história. São 440ha de superfície vitícola, onde, tal como em outras regiões, a preferência é dada aos vinhos brancos Neste caso as castas Riesling, Grauburgunder, Weißburgunder, Müller-Thurgau e Silvaner. As variedades tintas são a Blauer Spätburgunder, Dornfelder e Gewürztraminer.

Se pretende saber mais sobre as zonas vitivinícolas alemãs, não perca a primeira parte desta série de artigos, As zonas vitivinícolas alemãs (I/III).

 TAGS:Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014

Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014: um vinhos branco Mosel com os mejores cachos de riesling de 2014 e 10º de álcool en volume

 

 

 TAGS:Dr Loosen Dr L Riesling 2015Dr Loosen Dr L Riesling 2015

Dr Loosen Dr L Riesling 2015: Vinho branco Mosel-Saar-Ruwer com Riesling de 2015. 9º de graduação alcoólica.

 

 

As zonas vitivinícolas alemãs (I/III)

 TAGS:undefinedOs vinhos alemães já fazem parte de uma longa tradição e cada vez obtêm maior presença no mercado internacional de vinho. Para conhecer os seus vinhos é necessário saber quais são as principais regiões produtoras de vinho na Alemanha.

São 13, as zonas com uma extensão média de 100.000ha e a grande maioria concentra-se a Sul e Sudoeste, dadas as condições climáticas que permitem melhores resultados.

As castas principais são a Riesling e a Müller-Thurgau; as mais vendidas e exploradas a nível comercial, que apresentam vinhos frescos, na sua maioria brancos. A exportação dos vinhos alemães na Europa é feita principalmente para a Grã-Bretanha, fora do continente é vendido sobretudo nos EUA.

Algumas das suas regiões vinícolas são: Ahr, Baden, Franken, Hessische Bergstraße, Mittelrhein, Nahe, Pfalz, Rheinhessen, Saale-Unstrut e Württemberg.

Comarca vinícola de Ahr

As paisagens desta região têm como protagonista o rio com o mesmo nome. O Ahr possui 552ha de superfície plantada de vinha. A grande maioria da produção concentra-se nos vinhos tintos das castas Spätburgunder, Portugieser (que os ampelográfos suspeitam ter origem portuguesa e mais concretamente, no Porto), Dornfelder e Frühburgunder. A uva branca mais utilizada é a Riesling, que ocupa cerca de 41ha de plantação.
A maior parte dos produtores desenvolve uma atividade secundaria, ainda que se denote um crescimento a nível de uma nova geração de viticultores, o que provoca a reactivação do sector.

Zona de Baden

Baden, com um clima mais quente e paisagens belíssimas, é uma das melhores zonas para a produção de vinho. 60% do seu cultivo diz respeito a uva branca, enquanto que o restante 40% pertence à uva tinta. A casta de maior importância é a Spätburgunder, e a sua conhecida variedade Burgunder (da família da Pinot); para além dos brancos Riesling e Müller-Thurgau. De um modo geral, o vinho encontra-se em mãos de adegas familiares e conta com 77 cooperativas de viticultores e 400 plantações de vinha.

 

 TAGS:Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013

Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013

 

 

 TAGS:St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014

St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014

 

 

8 cocktails com vinho para celebrar a chegada do bom tempo

 TAGS:undefined

Vai um cocktail à base de vinho? Hoje temos algumas propostas:

Com cola: Em Espanha este cocktail chama-se Kalimotxo. Se gostas de vinho tinto mas por vezes apetece-te de tomar uma bebida diferente, experimenta misturar cola e vinho em proporções iguais. Junta algum gelo e umas gotas de sumo de limão. 

Água com gás: Juntando 1 parte de água com gás e 2 partes de vinho bem frio com gelo e umas gotas de sumo de limão, obténs o cocktail ideal para refrescar os dias mais quentes.

Com fruta e brandy: Outra forma de transformar o vinho: 4 chávenas de vinho + 1 ou 2 chávenas de fruta cortada em quadrados + 2 colheres de brandy + 2 colheres de xarope de açúcar e um pouco de água com gás.

Com rodelas de ananás: Seja com vinho branco, rosé, tinto ou um espumante, sempre se podem juntar umas rodelas de ananás ao copo para obter uma bebida mais doce e também atraente.

Com melão: Com vinho branco ou rosé, juntar uns cubinhos de melão, polvilhar de hortelã picada e decorar com uma rodela de limão

Com limonada: É simples, vinho branco e limonada em partes iguais, um pouco de gelo picado, água com gás e…Voilá!

Com néctar: Se o objectivo é o de improvisar um Bellini, junta ao teu vinho, um pouco de néctar de fruta. Podes fazê-lo com espumante ou água com gás.

Granizado: Com uma chávena de vinho e duas colheres de xarope de açúcar no congelador, tens uma sobremesa fresca ou um cocktail granizado para as tardes de Verão.

 TAGS:Enate Chardonnay 234 2015Enate Chardonnay 234 2015

Enate Chardonnay 234 2015: um vinhos branco com D.O. Somontano vinificado com chardonnay de 2015 e com 13.5º de teor de álcool. Enate Chardonnay 234 2015 pode maridar com massa fresca e mariscos.

 

 

 TAGS:El Perro Verde 2015El Perro Verde 2015

El Perro Verde 2015: um vinhos branco da D.O. Rueda realizado com verdejo de 2015 e de um grau alcoólico de 13º. 

 

 

8 harmonizações para esquecer

 TAGS:undefinedAlgumas combinações de vinho com determinados pratos devem realmente ser evitadas e por vezes é mais importante saber quais as harmonizações que não se devem fazer do que seguir recomendações sobre as uniões gastronómicas ideais. Uma combinação infeliz pode provocar ressaca, azia ou arruinar completamente o sabor de um prato.

Com champanhe não deve… Uma das piores combinações com o champanhe seco são os bolos habitualmente servidos nas festas de casamento. Um sabor contraria o outro e o paladar é convertido num campo de batalha sem vencedores. A mesma fórmula é válida para caril com champanhe vintage.

O Cabernet Sauvignon não é grande amigo de… Um vinho Cabernet com elevada presença de taninos não deve ser acompanhado de gelado, o resultado é um vinho amargo e um gelado excessivamente doce. As ostras, também não são uma boa companhia para este vinho, a sua textura torna-se arenosa com um sabor desagradavelmente metálico, tal como o linguado, que ao ser combinado com Cabernet perde o sabor delicado que o caracteriza.

Pinot Noir com… Se o prato a saborear é um frango avinagrado com estragão, é melhor esquecer o Pinot Noir, o vinagre de ervas, tal como qualquer condimento de elevada acidez, reduz substancialmente o sabor frutado deste vinho.

Se o Sauvignon Blanc for um dos favoritos… O ideal é ficar longe de caviar e queijo azul, com o primeiro o vinho perde todas as suas características e com o segundo gera-se uma verdadeira competição no paladar.

O Chardonnay é inimigo de… Talvez a combinação de Chardonnay e gelado possa parecer interessante, porém esta é a receita infalível para ter uma ressaca inesquecível. É também recomendável manter a distância entre este vinho e peixes gordurosos como a cavala, que modificam totalmente o paladar do vinho, ou as ostras, que perdem o seu sabor subtil. Finalmente, o Chardonnay perde vida quando acompanhado por alimentos picantes.

Chianti, melhor longe de… Não é o melhor vinho para acompanhar uma salada de atum ou pratos similares, o vinho ganha um sabor metálico, nada equilibrado.

Não estragues o Merlot… Se as alcachofras, as couves de Bruxelas e o feijão verde são alguns dos pratos predilectos, é melhor guardar o Merlot tinto para outras refeições. No geral, com estes vegetais vai melhor um vinho branco.

Não desperdices uma garrafa de Borgonha… Lasanha e Borgonha, é um desses casamentos de final infeliz, ou seja, azia.
Borgonha, queijo e molho de tomate é uma associação demasiado fortes para o estômago.

 

11 falsas lendas sobre o vinho que deves conhecer agora mesmo

Se o vinho branco é apenas para peixes, se a rolha é melhor ou pior… Como em tantas outras áreas, há muitas idéias sobre o vinho que, apesar de amplamente compartilhadas, não são inteiramente certas.
 
Dê uma olhada em nosso infográfico sobre as falsas lendas mais comuns sobre o vinho e deixe de lado as dúvidas. Diga adeus a mal-entendidos!

Como mudou o consumo de vinho nos últimos anos

 TAGS:undefinedTal como o mercado gastronómico avança, também os consumidores se tornaram mais exigentes e o aumento do consumo de vinho não é excepção. Hoje fazemos um resumo sobre o consumo dos nossos dias.

Não qualquer vinho. Um excesso de informação nos últimos anos levou os novos, e os não tão novos, consumidores de vinho a aumentar o nível de exigência: qualidade e profissionalismo.

Novos consumidores. Uma das consequências do aparecimento das redes sociais e dos blogs foi o número de pessoas que passou a deixar-se guiar/informar pelas opiniões e comentários alheios. Normalmente consumidores dispostos a aprender, na sua maioria jovens. Ainda que as suas compras não sejam em grande quantidade, é um público que pede novas colheitas e Denominações de Origem menos conhecidas.

Onde compram o seu vinho. Segundo os estudos da SymphonyIRI, os consumidores já não compram apenas em adegas ou lojas especializadas. Uma grande maioria, em primeiro lugar procura e compra vinho de qualidade em supermercados e hipermercados, e em segundo lugar em sítios especializados como as cooperativas, por exemplo. A compra de vinho online, também aumentou, evidentemente.

Onde consomem o seu vinho. Os sítios onde os “novos” consumidores bebem vinho, também mudou. Não só em restaurante, o hábito ampliou-se, ou voltou: às tascas, às pequenas e médias adegas urbanas e aos bares com organização de provas de vinhos e gastronomia. Os marketplace de vinhos, também passaram a fazer parte desta lista.

 

 TAGS:Porca de Murça 2013Porca de Murça 2013

Porca de Murça 2013: um vinho tinto com D.O. Douro cujo coupage contém tinta roriz e touriga nacional de 2013 e tem um volume de álcool de 13º.

 

 

 TAGS:Quinta do Vale Bragão Colheita Branco 2014Quinta do Vale Bragão Colheita Branco 2014

Quinta do Vale Bragão Colheita Branco 2014: um vinho branco com D.O. Douro elaborado com uvas de 2014 e 13º de álcool en volume.