Etiqueta: vinho

Harmonizar vinho e massas? Há vida mais além do Lambrusco!

 TAGS:undefinedJá muitos sabemos que a harmonização é uma arte que através do tempo e da experiência se vai aperfeiçoando. As nossas recomendações de hoje não fazem parte de uma ciência exacta, mas são, no entanto, boas opções para saborear massas e vinhos. Para além dos gostos pessoais, que são quase tantos como pessoas, os nossos conselhos têm a intenção de lhe proporcionar mais opções de combinações com massas., fugindo ao costumado Lambrusco.

Chaves para harmonizar la pasta em função do seu sabor

Normalmente, o sabor das massas está relacionado com o tipo de molho que a acompanhantes e é por essa razão que aqui se apresenta uma lista dos vinhos mais adequados para cada molho:

Molhos ou acompanhamentos à base de verduras – o ideal é escolher um vinho rosé com corpo e acidez

Molhos à base de pesto e cogumelos – Uma delicia melhorada quando acompanhada de brancos envelhecidos ou um Sauvignon blanc.

Molhos de tomate – são provavelmente os pratos mais populares, e igualmente saborosos. É recomendável harmonizá-los com vinhos rosé suaves, já que a sua acidez é bastante equilibrada para o tomate. Se prefere manter a tradição italiana, acompanhe com Chianti

Massas com marisco e peixe – a melhor escolha são os brancos, especialmente um Pinot ou um Malvasía. Se preferir, pode e debe acompanhar com um bom cava ou champanhe seco.

Massas com carnes- um bom vinho tinto, encorpado, proporciona uma satisfação total ao paladar.

Massas suaves – com um pouco de mozzarella, vinagreta ou azeite de manjericão, casam bem com os vinhos rosé.

Agora já não tem desculpa para não preparar a sua massa preferida ou brindar-se com uma bela refeição de massa num restaurante italiano, evidentemente com a companhia do seu vinho preferido. Bom apetite!

 TAGS:Quinta do Portal Rosé 2014Quinta do Portal Rosé 2014

Quinta do Portal Rosé 2014

 

 

 TAGS:Quinta Vallado Douro Branco 2015Quinta Vallado Douro Branco 2015

Quinta Vallado Douro Branco 2015

 

 

É possível harmonizar vinho e fruta?

 TAGS:undefinedSe for um amante do vinho, tal como nós, certamente gosta de o tomar acompanhado pelos seus pratos e petiscos preferidos. E aproveitando o calor dos últimos dias, decidimos publicar algumas propostas de harmonização de vinho e fruta.

No geral, muitos vinhos leves, doces e frutados vão bem com fruta, mas também é recomendável experimentar combinações com vinho rosé e vinho espumante, já que os seus pratos ficarão a ganhar com a companhia.

Recomendações especiais

A manga é, sem dúvida, uma das frutas mais deliciosas com que a mãe natureza nos brindou. Para além de ser extremamente popular, especialmente no Verão, é fácil encontrar esta fruta entre os ingredientes de uma salada ou sobremesa nesta época do ano.
O Riesling é uma boa opção para acompanhar pratos que incluam manga, já que ambos estabelecem uma certa sintonia cítrica. Também pode optar por um Sauvignon blanc cítrico e já maduro.

Se o prato for um pouco mais pesado; frango ou peixe com molho de manga, por exemplo, um Chardonnay doce será uma grande escolha.
Quando a preferência recai sobre a laranja, o pêssego, ou os morangos, o melhor é procurar um vinho tinto frutado e fresco, e se puder, leve um Pinot noir.

Uma das boas sobremesas tradicionais do Mediterrâneo, os pêssegos macerados em vinho, é bastante fácil, delicioso e recomendado para esta época.

Saladas e moscatel

Finalmente, não deixe passar a possibilidade de um encontro entre vinho de uva moscatel e uma salada de Verão. Ainda que sejam vinhos, geralmente, com mais corpo harmonizam muito bem com a frescura da fruta de textura média.

 TAGS:Naia 2015Naia 2015

Naia 2015

 

 

 TAGS:Ekam 2015Ekam 2015

Ekam 2015

Buon appetito! Gastronomia italiana para iniciados

 TAGS:undefinedClaro que em Itália há vida para além da pizza, e tudo com muita cor; os verdes das ervas aromáticas, os vermelhos do tomate e do pimento, os diversos brancos e amarelos dos seus excelentes queijos e as corres terra dos vários tipos de cogumelo.

A gastronomia italiana está repleta de gozo visual e sabores equilibrados de paladar. Aqui deixamos alguns dos pratos mais habituais:

Massas: Sempre deliciosas. Com molho de tomate fresco, cogumelos, manjericão ou simplesmente um bom azeite virgem, estes pratos são excelentes acompanhantes de um vinho Merlot, Carmenère ou Shiraz, ou de um rosé à base de Syrah. Neste tipo de harmonização, também são bem-vindas os pratos de massa como os gnocchi à romana, com natas e cogumelos, o rigatone com ragu de lebre e doce de mirtilos, os cappellacci di Zucca e o penne rigate com ragu de cabrito, ou ainda, a massa com grão-de-bico e curgete. Se o seu prato preferido for lasanha, abra um Cabernet sauvignon.

Arrozes: Em Itália, arroz é sinónimo de risotto; um arroz tradicional cozido em caldo e com um tempo de elaboração extremamente preciso. Duas das receitas mais famosas de risotto (existem inúmeros modos de preparação) têm origem na Região de Veneto: o risotto ai funghi e o risi e bisi, que significa arroz com ervilhas. Em relação aos vinhos para acompanhar este prato, o ideal são brancos como o Chardonnay, Pinot grigio e Pinot blanc.

Polenta: A polenta, farinha de milho, procede do Norte de Itália. É um prato polivalente e muito saboroso, especialmente aquele que se prepara com cogumelos. Não duvide em acompanhar a polenta de um vinho Malbec ou Syrah. 

Sopas: No Inverno são imprescindíveis. Uma das nossas preferidas é a sopa de grão-de-bico e castanhas frescas, elaborada, sobretudo, no centro de Itália. Outra opção é o famoso minestrone. Acompanhe com Pinot noir ou Merlot.

Sobremesas: É um apaixonado por doces? Não perca os biscoitos meini, normalmente feitos para o Dia de Todos os Santos, a Schiacciata all’uva; uma foccaia com uvas da Região da Toscana feita em Setembro. Mas a lista não termina aqui; pode deliciar-se com o Shwarzplententorte; uma tarte de maçã e trigo mourisco, tradicional no Norte de Itália, e a conhecida Panna Cotta, que significa “creme” e vem de Piemonte. Harmonizar com vinho branco, seja seco, seja doce.

 

 TAGS:Tommasi Chiaretto Bardolino Rosé 2015Tommasi Chiaretto Bardolino Rosé 2015

Tommasi Chiaretto Bardolino Rosé 2015

 

 

 TAGS:Comincioli Chiaretto DiamanteComincioli Chiaretto Diamante

Comincioli Chiaretto Diamante

8 cocktails com vinho para celebrar a chegada do bom tempo

 TAGS:undefined

Vai um cocktail à base de vinho? Hoje temos algumas propostas:

Com cola: Em Espanha este cocktail chama-se Kalimotxo. Se gostas de vinho tinto mas por vezes apetece-te de tomar uma bebida diferente, experimenta misturar cola e vinho em proporções iguais. Junta algum gelo e umas gotas de sumo de limão. 

Água com gás: Juntando 1 parte de água com gás e 2 partes de vinho bem frio com gelo e umas gotas de sumo de limão, obténs o cocktail ideal para refrescar os dias mais quentes.

Com fruta e brandy: Outra forma de transformar o vinho: 4 chávenas de vinho + 1 ou 2 chávenas de fruta cortada em quadrados + 2 colheres de brandy + 2 colheres de xarope de açúcar e um pouco de água com gás.

Com rodelas de ananás: Seja com vinho branco, rosé, tinto ou um espumante, sempre se podem juntar umas rodelas de ananás ao copo para obter uma bebida mais doce e também atraente.

Com melão: Com vinho branco ou rosé, juntar uns cubinhos de melão, polvilhar de hortelã picada e decorar com uma rodela de limão

Com limonada: É simples, vinho branco e limonada em partes iguais, um pouco de gelo picado, água com gás e…Voilá!

Com néctar: Se o objectivo é o de improvisar um Bellini, junta ao teu vinho, um pouco de néctar de fruta. Podes fazê-lo com espumante ou água com gás.

Granizado: Com uma chávena de vinho e duas colheres de xarope de açúcar no congelador, tens uma sobremesa fresca ou um cocktail granizado para as tardes de Verão.

 TAGS:Enate Chardonnay 234 2015Enate Chardonnay 234 2015

Enate Chardonnay 234 2015: um vinhos branco com D.O. Somontano vinificado com chardonnay de 2015 e com 13.5º de teor de álcool. Enate Chardonnay 234 2015 pode maridar com massa fresca e mariscos.

 

 

 TAGS:El Perro Verde 2015El Perro Verde 2015

El Perro Verde 2015: um vinhos branco da D.O. Rueda realizado com verdejo de 2015 e de um grau alcoólico de 13º. 

 

 

11 falsas lendas sobre o vinho que deves conhecer agora mesmo

Se o vinho branco é apenas para peixes, se a rolha é melhor ou pior… Como em tantas outras áreas, há muitas idéias sobre o vinho que, apesar de amplamente compartilhadas, não são inteiramente certas.
 
Dê uma olhada em nosso infográfico sobre as falsas lendas mais comuns sobre o vinho e deixe de lado as dúvidas. Diga adeus a mal-entendidos!

Harmonizações infalíveis com salmão fumado

 TAGS:undefinedQuando pensamos em harmonizar salmão, normalmente as primeiras opções são vinho branco ou champanhe. No entanto, existem muitas outras harmonizações. Sejam vinhos, cervejas ou inclusive destilados, temos uma ampla variedade à nossa disposição, é só uma questão de arriscar em algo novo.

Vinhos

Sancerre, Pouilly-Fumé e outros Sauvignon da Região do Loire: Estes vinhos, de mineralidade bastante seca, apresentam delicados sabores de groselha e são perfeitos para acompanhar salmão fumado. Outros Sauvignon, também podem funcionar, sempre e quando não tenham paladar de ervas demasiado acentuado.

Chablis: Especialmente os Chablis novos, sem madeira, de frescura limpa e a acidez necessária para equilibrar o excesso de gordura do salmão. Os Chardonnay mais saborosos vão bem com salmão fumado quente.

Riesling: Os vinhos alemães de Riesling, os novos como o Kabinett, com os seus sabores intensos de maçãs verdes, combinam especialmente bem. Também os vinhos novos da Alsácia e os Riesling australianos podem ser uma boa opção.
Gewurztraminer. O gewurztraminer e o salmão fumado são um una excelente par. Não se deve deixar de provar.

Xerez muito seco com toque de manzanilla. Se gostas do Xerez seco, esta é a opção para harmonizar salmão fumado. O sabor salgado e picante do Xerez seco é perfeito, isso sim, acabado de abrir e bem frio.

 TAGS:Grand Régnard 2012Grand Régnard 2012

Grand Régnard 2012:  um vinhos branco da D.O. Chablis realizado com chardonnay da colheita 2012.

 

 

 TAGS:Jerez del PrincipeJerez del Principe

Jerez del Principe: um vinhos generoso da D.O. Montilla-Moriles elaborado com uvas jerez.

 

 

Cervejas e destilados

Cerveja Pilsner checa ou alemã. Ligeiramente amarga e fresca, a pilsen é perfeita para equilibrar o sabor denso do salmão.

Weissbier, Witbier ou cerveja de trigo. As cervejas ‘brancas’ vão bem com a maioria do marisco e do peixe fumado. Uma opção mais fresca e uma boa escolha para as tuas refeições de salmão.

Whisky de malte. Talvez não seja a primeira harmonização com salmão a que recorras, mas pode ser uma boa ideia num momento de improvisação. Escolhe um whisky de malte leve se o sabor fumado do salmão for suave ou um whisky de Islay se o prato tiver um sabor acentuado.

Aquavit. Destilado aromático característico dos países nórdicos, é uma opção muito original para acompanhar salmão. Os seus aromar de aneto e coentros fazem dele o companheiro perfeito para este peixe.

Vodka. Com uma vodka polaca bem fria dás uma volta surpreendente à tua refeição.

 TAGS:Linie Aquavit 1LLinie Aquavit 1L

Linie Aquavit 1L: um licores e cremes originário de Noruega. 

 

 

 TAGS:Lagavulin 16 AnosLagavulin 16 Anos

Lagavulin 16 Anos: um uísque Single Malt originário de Escócia com 43º de teor de álcool. 

 

 

Apaixonados por garrafas de vinho? Podem ter uma 2ª vida

 TAGS:undefinedSe a tua garrafa de vinho ficou vazia e ficaste com vontade de lhe conceder uma segunda vida útil, existem diferentes modos de lhes tirar partido dentro de casa e facilmente realizável.

Irrigador por gotejo lento para plantas: Se tens garrafas de vinho vazias, um jardim e pouco tempo livre, podes regar as tuas plantas perfurando uma rolha de cortiça e mantendo a garrafa sempre cheia de água no canteiro que desejares.

Alimentador de aves: Se és um amante das aves e gostas de as ouvir cantar de manhã, podes fazer uma base de madeira para colocar a garrafa invertida, carregada de sementes e com apenas uma parte da rolha. Certamente que as aves irão visitar a tua casa.

Jarra: Se te ofereceram uma flor podes encher de água aquela garrafa de vinho vazia de que gostas muito para colocar a flor.

Limites para o jardim: Criar um caminho no teu jardim pode ser uma oportunidade para fazer algo original. As garrafas são enterradas pelo gargalo deixando apenas uma pequena parte à vista, que transformará o teu jardim e lhe dará um toque muito mais interessante do que as pedras.

Para manter a forma das botas: Para quem usa botas altas, evitar que se deformem costuma ser alvo de alguma preocupação. A opção mais económica e eficaz é a de introduzir uma garrafa em cada bota.

Quadro para mensagens: Podes submergir as tuas garrafas de vinho vazias numa panela velha com tinta para efeito ardósia e depois deixar que sequem ao ar livre. Estas garrafas, bem divertidas, serão o teu modo de escrever mensagens a giz.

Candeeiros: Se tens uma maquina que permita perfurar azulejo (ou um amigo que o empreste) podes fazer um pequeno furo na base da garrafa de vinho vazia, depois introduzir um cordão de luzes e apreciar o teu candeeiro novo.

Suporte de livros: É quase sempre desejável ter um suporte para que alguns livros não caiam como peças de dominó. Podes fabricar o teu suporte enchendo a garrafa vazia com areia.

Para guardar pequenas coisas: Se não tens muitos recipientes mas sim garrafas de vinho transparentes, podes retirar-lhes a etiqueta com água quente e colocar sementes, frutos secos ou aquilo que quiseres usar na tua cozinha.

Experimentaste alguma destas ideias? Tens outras que possam ajudar a reciclar as garrafas de vinho?

 

 

 TAGS:El Perro Verde 2014El Perro Verde 2014

El Perro Verde 2014: El Perro Verde 2014 pode maridar com mariscos e arroz. A comumidade de Uvinum classifica El Perro Verde 2014 com 4 pontos de 5.

 

 

 TAGS:Moët & Chandon Brut ImpérialMoët & Chandon Brut Impérial

Moët & Chandon Brut Impérial: um vinhos espumantes da D.O. Champagne vinificado sobre as variedades pinot noir e pinot meunier e com 12,5º de teor de álcool. 

 

 

Como organizar uma prova de vinhos

 TAGS:undefined

Habitualmente uma prova de vinhos realiza-se com o objectivo de classificar as propriedades visuais e o paladar de um vinho por meio dos seus aromas, sabores e cores e costuma ser dirigida por profissionais ou enólogos, porém, também é verdade que cada vez mais estas actividades se estendem a muitos outros públicos; amadores, apreciadores e curiosos sobre a cultura vinícola no geral.

Geralmente, uma prova costuma apresentar cinco vinhos diferentes, para melhor poder apreciar a diversidade de tons, cores, aromas, sabores e texturas e assim poder atribuir uma nota a cada um dos vinhos. Estas provas devem ser efectuadas em espaços bem iluminados, sem cheiros e boas condições de temperatura. Os copos utilizados devem ser transparentes e adequadas à prova.

Fases da prova de vinhos

São fundamentalmente três, as fases de uma prova de vinhos: Visual, olfactiva e gustativa. Normalmente inicia-se com uma explicação do enólogo (ou do técnico que dirige a prova) sobre os vinhos para depois se passar à parte prática. Cada uma das fases deve ser acompanhada por uma explicação das diferentes propriedades e os vinhos podem ser provados com alimentos para deste modo medir a potência dos sabores.

  • Fase visual – O vinho é observado a contraluz, sempre em fundo branco ou com luz natural para poder distinguir cores e tons. A fase visual fornece bastante informação sobre a qualidade e idade do vinho.
  • Fase olfactiva – O copo aproxima-se do nariz para que possamos sentir os diferentes aromas do vinho. Aqueles que primeiro nos chegam são os aromas primários, ao mover o copo obtemos os aromas secundários e se continuarmos a movê-lo podemos sentir também os aromas terciários, que muitas vezes revelam os vinhos de maior qualidade.
  • Fase gustativa – Provar o vinho talvez seja o passo mais importante. Deve ser retido na boca e depois cuspido (no recipiente indicado) para voltar a beber e desta vez engolir para obter todas as sensações possíveis ao paladar.

Algumas recomendações para a tua prova de vinhos:

 

 TAGS:Carvalhas Vinhas Velhas 2011Carvalhas Vinhas Velhas 2011

Carvalhas Vinhas Velhas 2011 é o produtor de Carvalhas Vinhas Velhas 2011, um vinhos tinto da D.O. Douro cujo coupage contém uvas de 2011. 

 

 

 TAGS:Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2011Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2011

Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas 2011 é um vinhos tinto da D.O. Douro com uvas 2011 e 14.5º de álcool en volume.

 

Imagens: Uvinum e Oscar Mateu

 

Menos homem se beberes vinho?

 TAGS:undefinedOs homens britânicos reconheceram recentemente ter medo de ser ridículos quando bebem vinho com os seus amigos, claro está referido a bares, não à intimidade dos seus lares.

Quando assistimos aos hábitos de outros países sempre se encontram diferenças, no que diz respeito ao consumo de vinho é semelhante, neste caso, alguns estudos lançam dados inesperados. Segundo um estudo realizado pela Associação de vinhos de Côte du Rhone com 1500 homens, 9 de cada 10 homens apreciam beber uma garrafa de vinho em casa, mas apenas 1 de cada 4 o faz em noites de copos com os amigos, por temor à troça.

O motivo da ?troça? talvez esteja associado a ser identificado como ?conhecedor do mundo do vinho? ou ainda pelo facto do indivíduo em questão não consumir bebidas mais fortes e populares, como outros homens. Seja como for, a verdade é que estas opiniões geram um padrão de consumo diferente do nosso, no Reino Unido.

Este estudo foi encomendado pela Associação de vinhos de Côte du Rhone, nele foi descoberto que uma quarta parte dos homens serve vinho nas suas reuniões para impressionar os convidados.

Estes dados demonstram que o vinho é mais apreciado nos jantares íntimos, em casa e entre amigos, ou nos brindes com almoços familiares. Talvez por esta razão seja habitual ver os compradores de vinho efectuar escolhas muito específicas.
E tu? Verias com maus olhos o amigo que pedisse vinho? Se tens coragem, recomendamos-te 2 vinhos excepcionais de Côtes du Rhone:

 TAGS:Coudoulet de Beaucastel 2010Coudoulet de Beaucastel 2010

Coudoulet de Beaucastel 2010

 

 

 TAGS:Louis Bernard Côtes du Rhône 2011Louis Bernard Côtes du Rhône 2011

Louis Bernard Côtes du Rhône 2011

Uvas tintas, uma questão de taninos

 TAGS:E continuamos a falar de uvas! Neste caso, aqui ficam as uvas tintas internacionais mais famosas e sugestivas…

Cabernet Franc

Reconhecida pela sua elegância e aromafloral, a uva Cabernet Franc é prima da Cabernet Sauvignon e é extensamente cultivada em Bordeaux. No Uruguai, é utilizada para conferir delicadeza, a uma base de Cabernet Sauvignon e Tannat. Sem a mistura de outras castas, esta uva produz um vinho leve e suave.

Cabernet Sauvignon

Esta é a cepa mais expandida no mundo e quando alcança o estado ótimo de maturação assemelha-se ao cassis (groselha negra), enquanto que sem amadurecer completamente, revela notas vegetais como de pimenta verde e de enlatados ou cozidos como a azeitonas pretas. Na representatividade da Cabernet Sauvignon, os peritos encontram notas de especiarias tipo pimenta preta ou vermelha e identificam a sua cor com a ausência de brilho, enquanto que as suas tonalidades passam dos violetas, quando jovem, a cor-de-tijolo com o passar dos anos.

Merlot

Framboesa e ameixas secas são os sabores que os provadores utilizam para descrever esta fruta. Demasiado amadurecida, proporciona notas de chocolate amargo e as violetas são as flores escolhidas para caracterizar o seu perfume. Esta uva é uma parte essencial das grandes misturas francesas e é fundamental nos vinhos com reconhecimento como o Petrus. Em garrafas jovens predominam os aromas de frutas vermelhas e por essa razão é incluída em rosés.

Pinot Noir

Diz-se que é a culminação de todos os produtores e a preferida de qualquer provador. Com uma resistência nula a geadas, chuvas e calor, esta variedade tem uma maturação complicada. Apesar da baixa intensidade de cor, dada a reduzida quantidade de antocianina, e a sua difícil preservação, resultado da escassa presença de taninos, a Pinot Noir, oferece vinhos novos frutados e robustos néctares envelhecidos. Os seus aromas e sabores são frequentemente associados a amoras e cerejas, com odores de relva cortada, chá preto e couro.

Syrah ou Shiraz

Framboesas e amoras frescas, ameixas secas e marmelada, pimenta preta, couro e inclusive alcatrão, são as descrições utilizadas para identificar esta variedade típica de França, que hoje em dia se pode encontrar na sua melhor forma na Austrália.

Tannat

Reconhecida no Rio de la Plata como casta emblemática, esta variedade possui folhas verde escuras, de tamanho médio e o seu fruto é violeta carregado, quase negro. Em vinhos novos é associada a framboesas, marmelada e figos, que se transforma num intenso aroma de couro, com adstringência marcada, resultado da elevada percentagem de taninos.

Tinta Roriz

A uva Tinta Roriz, também chamada Tempranillo ou Tinta del país, é a chave da maioria dos vinhos portugueses e espanhóis. Não é habitual encontrar esta casta em vinhos monovarietais fora de Portugal e Espanha, porque apesar de produzir um vinho de cor intensa, a sua acidez é extremamente baixa e é pobre em taninos.

Malbec

Denominada ?Côt? ou ?Côt Noire? em França, pode ser reconhecida pela sua cor intensa, quase negra. Adotada pelos argentinos como casta tinta emblemática, esta variedade pode ser convertida tanto em vinho novo de guarda prolongada, como em rosé e sempre revela aromas semelhantes ao da cereja, groselha negra e perfume de violetas. Na vinificação tinta também oferece notas de especiarias como a do anis ou do alcaçuz.