Etiqueta: queijo

Harmonização de vinhos e queijos do mundo

 TAGS:undefinedDurante séculos, queijo e vinho, foram servidos para deleitar os paladares mais exigentes. Embora se possa dizer que estes dois sabores são totalmente opostos, é, precisamente, por essa razão que os dois casam tão bem; o sabor da proteína do queijo e a acidez do vinho podem chegar a formar um duo absolutamente perfeito. Hoje trazemos-lhe as melhores harmonizações, para que seja o juiz do seu próprio gosto.

Harmonizações com queijo Brie, Tomme e outros queijos cremosos
São suaves e cremosos e com uma casca completamente comestível. A sua textura amanteigada deixa vestígios de proteína na língua e, como tal, os melhores vinhos para o acompanhar são aqueles que “limpam”, ou seja; que reestruturam o paladar devido à sua acidez, carbonatação ou taninos.
Estes queijos, de sabores delicados são indicados para vinhos de sabor igualmente subtil ou ligeiramente frutado (vinho Chardonnay, vinho Pinot Noir, vinhos Espumantes, vinho Riesling Schiava seco, entre outros.)

Harmonizações com Chèvre e outros queijos de cabra
Os queijos de cabra são inconfundivelmente frescos e de sabores alternados, entre o azedo e o terroso, que dependem do tempo de cura. Estes sabores intensos são recomendáveis para vinhos encorpados, especialmente, aqueles que envelheceram em madeira de carvalho e que podem fornecer alguma oxidação ao processo. O Sauvignon Blanc, Chenin Blanc ou uma Mescla Bordeaux (Cabernet-Merlot) são boas opções.

Harmonizações com queijos suíços
São queijos duros ou semi-duros e de textura cremosa com sabores a noz e amêndoa. Fáceis de harmonizar com uma grande variedade de vinhos. Brancos com notas doces, ligeiramente amargos e de acidez média: Riesling, Pinot gris, Syrah, Madeira ou Porto.

Harmonizações com queijo “manchego” e outros queijos de ovelha
Queijos duros, na sua maioria, de Portugal e Espanha, extremamente versáteis para harmonizar, ou seja: será difícil errar na sua escolha. Experimente vinhos da Península Ibérica como Verdejo, Cava Rosé, Tempranillo, Vinho Verde, Grenache ou Alicante Bouschet.

 TAGS:Barbeito 3 Years DryBarbeito 3 Years Dry

Barbeito 3 Years Dry

 

 

 TAGS:Graham's 10 YearsGraham’s 10 Years

Graham’s 10 Years

Vinho e queijo: Harmonizações recomendadas por especialistas

 TAGS:undefinedA harmonização de vinho e queijo é uma garantia de qualidade bem conhecida e sempre em continua experimentação. Tinto, branco, vinhos novos ou de guarda, e inclusive cerveja, são acompanhantes para todo o tipo de queijos.

Os queijos de maior qualidade são harmonizados com vinhos de reputação, e com especial cuidado quando a obra é de escanções ou provadores profissionais.

Em homenagem aos queijos suíços, o escanção Ferran Centelles, colaborador do Bulli Foundation, propõe algumas harmonizações bastante recomendáveis; queijo Gruyère com cerveja branca belga (suave); queijo Emental com Chardonnay clássico; Etivaz com um Sauvignon do Jura, que aprofunda os sabores; e o queijo Sprinz, bem acompanhado com um vinho Dolcetto de Piemonte.

Para os queijos franceses, alguns especialistas aconselham: Brie, com Pinot noir ou Alsácia, tintos frutados e tintos jovens; o Roquefort equilibra a sua intensidade com Porto, Xerez meio seco ou vinhos Malvasia da Madeira.

O sabor forte do gorgonzola italiano é uma das características deste queijo, que pode ser doce ou picante, e casa bem com vinhos mais secos como o Dolcetto e o vinho de Marsala.

Os queijos holandeses, conhecidos pelo Gouda e pelo Edam, são perfeitos para vinhos tintos frutados, alguns brancos leves e rosés de agulha.

 

 TAGS:Pio Cesare Dolcetto D'Alba 2015Pio Cesare Dolcetto D’Alba 2015

Pio Cesare Dolcetto D’Alba 2015

 

 

 TAGS:Carlo Pellegrino Marsala Fine RubinoCarlo Pellegrino Marsala Fine Rubino

Carlo Pellegrino Marsala Fine Rubino

Harmonizações imbatíveis com vinho rosé

 TAGS:undefinedUma das coisas que mais apetece no Verão é beber um rosé junto ao mar. Frescos e com aromas de fruta, os rosés mais ambiciosos podem harmonizar-se com vários alimentos. 

Os rosés da Toscana servem-se com massas e aperitivos, como por exemplo os crostinis; tostas variadas com tomate, paté, carne, peixe, queijos e verduras. Os rosés australianos vão bem com queijos suaves, e os de Espanha e Portugal, normalmente são aconselháveis com peixe e determinadas carnes.
É preferível servi-lo frio, mas não excessivamente: um pouco acima da temperatura do vinho branco e mais frio do que um tinto.
Agora venha conhecer alguns dos alimentos que este vinho pode, e deve, regar.

Vinho rosé e carne
Embora o casamento preferido, ou mais habitual, do rosé seja com peixe, a carne é uma boa surpresa. É recomendável ser acompanhado por enchidos e carnes vermelhas, especialmente se forem vinhos de cor vermelha intensa e com um pouco mais de corpo. A uva Monastrell harmoniza com carne de porco, especialmente, assada na brasa.

Com marisco
O rosé mais leve é perfeito com marisco, sobretudo os vinhos de aroma e paladar frutados, que têm a capacidade de realçar os sabores de determinados mariscos.

Com peixe
Para além do branco, o rosé é um dos vinhos que melhor combina com todo o tipo de peixe, ainda que o peixe branco seja o favorito.

Com queijo
São muito bons aliados. O queijo de cabra, camembert ou brie e rosé formam uma união muito equilibrada de sabores.

Com massas e saladas
Os pratos frescos e leves de Verão, como massas e arrozes, harmonizam bastante bem com a suavidade e frescura do rosé.

Com fruta
Com sobremesas e fruta vão sempre bem.

 

 TAGS:Quinta do Portal Rosé 2014Quinta do Portal Rosé 2014

Quinta do Portal Rosé 2014

 

 

 TAGS:Mateus RoseMateus Rose

Mateus Rose