Etiqueta: mosel

As zonas vitivinícolas alemãs (II/III)

 TAGS:undefinedGraças aos grandes contrastes de temperatura, a Alemanha possui diversas zonas vinícolas que produzem vinhos brancos e tintos. Já aqui foram descritas algumas destas rgiões no nosso primeiro artigo, desta vez revelamos algumas zonas mais onde é elaborado o bom vinho alemão.

Zona de Franken ou Francónia

São 6.040ha junto ao rio Main. Uma grande parte destes vinhedos encontra-se na Cidade de Würzburg e seus arredores e os vinhos que aqui se produzem são diversos, destacando-se entre eles: Steinwein, Silvaner e Müller-Thurgau. No vinho tinto as referências são as castas Domina e Spätburgunder (Pinot noir). Nesta zona agrupam-se mais de 5.400 empresas viticultoras, com vinhas de grande reputação como os de Homburger Kallmuth, Rödelseer Küchenmeister, Randersackerer Pfülben e Escherndorfer Lump.

Zona de Mosel-Saar-Ruwer

Esta região de vinho alemão é a mais antiga do país. Ocupa 10.400ha e possui vários microclimas que possibilitam a elaboração de um dos vinhos mais conhecidos do país, o famoso Riesling, vinho de acidez equilibrada e considerado um dos melhores brancos do mundo. A sua especialidade é a antiga variedade de uva Elbling, para além da Müller-Thurgau, a Burgunder Weiß e a Grau. No total, existem cerca de 2000 terrenos de vinha, cujos donos produzem os seus próprios vinhos. O enoturismo está bastante vinculado a esta zona onde se realizam provas de vinho muito variadas.

Comarca vitivinícola Hessische Bergstraße

Ainda sendo a mais pequena do país, é uma das zonas com mais história. São 440ha de superfície vitícola, onde, tal como em outras regiões, a preferência é dada aos vinhos brancos Neste caso as castas Riesling, Grauburgunder, Weißburgunder, Müller-Thurgau e Silvaner. As variedades tintas são a Blauer Spätburgunder, Dornfelder e Gewürztraminer.

Se pretende saber mais sobre as zonas vitivinícolas alemãs, não perca a primeira parte desta série de artigos, As zonas vitivinícolas alemãs (I/III).

 TAGS:Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014

Hoffmann Simon Guts-Riesling Trocken 1L 2014: um vinhos branco Mosel com os mejores cachos de riesling de 2014 e 10º de álcool en volume

 

 

 TAGS:Dr Loosen Dr L Riesling 2015Dr Loosen Dr L Riesling 2015

Dr Loosen Dr L Riesling 2015: Vinho branco Mosel-Saar-Ruwer com Riesling de 2015. 9º de graduação alcoólica.

 

 

Vinhos da Alemanha

 TAGS:Sobre os vinhos da Alemanha pode dizer-se que representam o triunfo do trabalho humano sobre as forças da natureza. O frio clima do Norte da Europa torna difícil o cultivo e a maturação da uva necessária, e, como tal, constitui um autêntico logro através de muitos anos de dedicação.

Se, em França, a divisão entre parcelas pode estabelecer a classificação ou não de um vinho como Grand Cru, na Alemanha, pelo seu clima e a enorme diferença de solos, esta diferença tem um papel ainda mais determinante.

Além de que, a presença de um microclima determinado em cada zona, que de algum modo defenda a vide das inclemências climáticas, é fundamental.

Em relação às uvas, o mais habitual é o cultivo da uva branca, mais resistente ao frio e menos exigente no que se refere a calor no amadurecimento. Oferecem uns vinhos que, geralmente, contêm um baixo grau alcoólico, ao contrário da acidez, elevada, ou seja, seguindo um esquema de menos calor= menos açúcar= menos álcool + acidez. São vinhos muito aromáticos e que graças a essa elevada acidez podem ser conservados e brilhar durante anos.

As variedades mais utilizada são as castas Riesling, Gewürztraminer e a Müller-Thurgau, uma variedade autóctone.

As zonas de cultivo mais antigas e mais desenvolvidas são as das proximidades do Rio Mosela e do Rio Rhin, onde a uva começou a ser cultivada já na época romana. É de aqui que surgem as atuais denominações de Mosel-Saar-Ruwer e Rheinhessen. O facto de que a maior parte das zonas de produção esteja junto ao rio deve-se a que aqui, as geadas são menos frequentes.

Os vinhos alemães possuem vários tipos de classificação porque são divididos por zona geográfica, nível de qualidade e conteúdo de açúcar do mosto, o que faz com que, por vezes, sejam difíceis de identificar.

De forma a que te possas guiar, explicamos a seguir o que significam algumas das palavras básicas que e encontram sobre os vinhos alemães:

  • Kabinett: Significa que se trata de um vinho de qualidade, o equivalente a um vinho com Denominação de Origem em Portugal.
  • Spätlese: Sao os vinhos produto de vindima tardia e portanto com mais corpo que o habitual. Não todos são necessariamente doces.
  • Auslese: Vinhos de vindima selecionada. Tal como os Spätlese, nem todos são doces.
  • Beerenauslese: Vinho licoroso, de uva muito madura e selecionada bago a bago.
  • Trockenbeerebauslese (TBA): Assim como os Beerenauslese mas elaborados com uva seca e afetada pelo fungo Botrytis, com o qual se obtêm vinhos mais doces, densos e valorizados (e ainda muito caros).
  • Eiswein: Os famosos vinhos de gelo. Ainda que sejam mais conhecidos os da Áustria ou do Canadá, na Alemanha também se elaboram grandes vinhos de gelo.

Queres provar os vinhos alemães? Na Uvinum recomendamos-te alguns:

 TAGS:Blue Nun Winemaker's Passion Riesling 2011Blue Nun Winemaker’s Passion Riesling 2011

Blue Nun Winemaker’s Passion Riesling 2011:  A Alemanha tem fama de ser o país que elabora os melhores vinhos Riesling do mundo. Prova este Blue Nun e perceberás porquê.

 

 

 TAGS:Weinhaus Barzen Riesling Trocken 2008Weinhaus Barzen Riesling Trocken 2008

Weinhaus Barzen Riesling Trocken 2008: Um vinho de gelo alemão, especialmente dedicado aos gulosos que desfrutamos este tipo de vinho.

 

 

 TAGS:Weinhaus Barzen Sekt 2008Weinhaus Barzen Sekt 2008

Weinhaus Barzen Sekt 2008: Um espumante de Riesling. Também se fazem bons espumantes de uva Riesling na Alemanha. Ainda que este contenha mais álcool, é aromático, seco e potente. Diferente.