Etiqueta: malvasía

Quais as harmonizações para este Natal?

 TAGS:undefinedÉ claro que os vinhos vão estar presentes nestas festas, como tal, é importante escolher o vinho adequado para cada refeição. O Natal é recheado de refeições bem variadas e que dependem da geografia do país. Marisco, carne, peixe, abundantes sobremesas e queijos; vamos ajudar a escolher o vinho para cada um dos pratos.

Vinhos e peixe

Para o peixe, aconselhamos servir vinhos novos, tintos, rosés, brancos. A ocasião exige qualidade, por essa razão a Denominação de Origem do Bierzo sempre será uma boa opção, assim como os brancos, alvarinhos e rosés do Norte de Espanha e Portugal.
O vinho também pode variar segundo o tipo de peixe, quando se trata de robalo e tamboril, o ideal é regá-los com vinhos de toque frutado (como os de Rueda) ou Sauvignon blanc. O peixe no forno, preparado com molhos, harmoniza bem com com um verdejo branco, e como já foi dito, os tintos jovens são uma boa combinação para o paladar mais exigente. Com bacalhau e salmão: maduro tinto.

Vinhos e marisco

E se há marisco na mesa de Natal, podem servir-se muitos dos vinhos que já referimos, especialmente os brancos mais leves. O verdejo é sempre uma boa opção, para além do chardonnay, também pode servir tinto novo se optar por polvo ou gambas.

Vinhos e carne

Peru, frango, vitela ou lombo de porco no forno, fumados, entre outras especialidades do Natal, podem e devem ser acompanhadas de vinhos tintos; a Syrah e a Pinot noir são as preferidas do peru.
Para fumados e carnes de sabores mais intensos, prove os tintos espanhóis, como o tinto de toro, os tintos do Penedès, na Catalunha ou os excelentes Somontano e Cariñena. O frango e o peru recheado vão bem com alguns brancos, como por exemplo os alemães riesling.

Vinhos e queijo/foie

E uma boa mesa de Natal não dispensa os produtos gourmet. Para o foie é aconselhável um vinho tinto, que pode ser inclusive doce. O vinho Pedro Ximénez, algumas vezes usado em cozinha, pode ser servido em copo, para acompanhar pratos de foie e carnes. Em relação aos queijos, é certo que existe uma enorme variedade dependendo da sua origem, teor de gordura e tipo de cura. De um modo geral, pode dizer-se que os queijos de cabra vão bem com vinhos brancos frutados, mas também com algum vinho tinto novo do Douro. Se o queijo é amanteigado e de sabor apimentado, nada como os tintos de guarda de Portugal e França.

Vinhos e sobremesas de Natal

Sobremesas? Fundamentais, claro. Rabanadas, doce de ovos, pudim, bolo-rei, arroz doce e leite creme fazem abrir o champanhe e o cava, mas também alguns brancos deliciosos como um Malvasia, ou os vinhos doces da Denominação de Origem de Alicante, cada vez más populares, os Monastrell, e o Pedro Ximénez, genial com sobremesas.

Algumas das nossas propostas de hoje vão certamente equilibrar lindamente o seu jantar de Natal. Boas Festas!

 

 TAGS:Nisia 2015Nisia 2015

Nisia 2015

 

 

 TAGS:Victorino 2012Victorino 2012

Victorino 2012

 

 

 TAGS:Pedro Ximénez Reserva de Familia 50clPedro Ximénez Reserva de Familia 50cl

Pedro Ximénez Reserva de Familia 50cl

Mais variedades de uvas brancas

 TAGS: Muitos de vós comentaram a publicação anterior no Twitter, dizendo que faltavam alguns tipos de uva branca. Tal como já foi comentado, a publicação referia-se a algumas uvas brancas. Porém, como os vossos desejos são ordens, aqui ficam mais algumas, para que possam comprar vinho sabendo qual o sabor que se pretende:

Verdejo

A uva Verdejo é uma uva em elevado auge nos últimos anos, nos quais saltou deRueda, a sua origem e onde era a rainha, até muitas outras zonas que atualmente a investigam e trabalham com algum êxito. Os vinhos de verdejo costumam ter uma cor muito clara, algo que é dado como uma virtude e um sabor entre o ácido e o amargo (ácido no princípio e travo ligeiramente amargo no final). Por isso, normalmente os aromas ácidos da uva se identificam com os da maçã verde, com os cítricos (limão, lima e toranja) e inclusive ananás e banana. Um bom vinho de verdejo costuma sair bastante barato comparado com outras uvas, como o Afortunado 2009, que é bastante bom.

Malvasía

A Malvasía é uma uva que produz vinhos de cor amarela dourada intensa, com aromas de pêssego, lichia, ananás… Tal como a verdejo, tem sabores entre o ácido e o amargo, a malvasía fica entre o ácido e o doce, ainda que geralmente predomine o último. É uma planta pouco resistente, pelo que não existem muitas vinhas de Malvasía, ainda que se costume utilizar para dar um toque doce a alguns vinhos brancos, exceto nas Canárias, onde se produzem grandes vinhos desta variedade, como por exemplo o Grifo Blanco Seco 2008.

Macabeo (ou Viura)

A Macabeo/Viura é uma das uvas de utilização mais alargada, porque resiste muito bem ao frio e é sensível ao Botytris, um fungo utilizado para produzir determinados vinhos doces como o Tokaji. Produz um vinho com um delicado aroma de erva fresca, feno, flores brancas e uma cor amarelo pálido palha, com tons verdes e pouco alcoólico. É ideal para acompanhar arroz branco ou gnocchis. É muito utilizado como mescla para a elaboração de cava. Não se fazem muitos monovarietais de Macabeo, que habitualmente são muito secos. Ainda assim, há bons vinhos brancos de Macabeo, como o Albet I Noya 3 Macabeus 2009, um vinho delicado e especial.

Moscatel

Continuamos com a uva Moscatel, que tanto pode ser preta, como branca, ainda que quase sempre se utilize apenas em vinhos brancos. Como é a casca da uva aquilo que dá a cor ao vinho, quando se utiliza a uva moscatel preta, o mosto tem de ser separado imediatamente da casca para que não ganhe cor. Ainda assim os vinhos de Moscatel têm normalmente tons âmbar ou cobre. Tal como a Malvasía, ao ter bastante açúcar, costumam aguentar bem o passar do tempo e a uva passa pode ser utilizada para elaborar vinhos doces (os vinhos moscatéis que conhecemos desde sempre). Tem aromas de mel, pêssego em calda, fruta cristalizada…Um muito bom Moscatel novo (menos doce) a um preço fantástico é o Reymos, da D.O. De Valência.

Riesling

Por último, e ainda que faltem muitas, terminamos, pelo menos por hoje, com a Riesling, uma uva da qual saem vinhos com cores muito claras, com reflexos brilhantes e aromas a maçã verde, cítricos e flores como a de laranjeira. É um vinho com pouca graduação e que se usa especialmente em zonas frias, porque, de contrário pode resultar pouco aromático. Se pretendem provar um vinho saboroso desta uva, Sumarroca produz o Sumarroca Riesling 2009,com uma muito boa relação qualidade-preço.