Etiqueta: harmonizações

Harmonizar com vinho do Porto

 TAGS:undefinedOs vinhos do Porto são sinónimo de qualidade. Fazem parte dos vinhos mais conhecidos na Europa e podem ser combinados em numerosas ocasiões com diferentes pratos. São excelentes para eventos e cocktails, já que podem ser usados com todo o tipo de aperitivos. Com salmão fumado ou tâmaras, saladas e petiscos, também os Portos brancos são extremamente recomendáveis sendo servidos bem frios!

Para massas e peixe, o branco continua a ser o melhor. Por outro lado, os pratos de carnes, patês e especiarias pedem o acompanhamento de um Porto tawny, envelhecido em madeira.

Evidentemente que também os queijos são perfeitos para acompanhar um Porto, especialmente durante uma prova de queijos que inclua queijos curados, alguns azuis e, mesmo, Roquefort.

Em relação a sobremesas, o cheesecake é bastante aconselhável, e se pretende o toque doce e algo amargo do chocolate preto, escolha um Porto jovem e frutado. E os vinhos do Porto também se escolhem depois das refeições: café+um tawny de 20 anos, e, se apetecer um charuto, tenha em conta um porto vintage.

Quando nos referimos a vinhos vintage, é importante salientar que estes são vinhos de colheitas submetidas a envelhecimento de dois anos em barril de madeira e, como tal, são grandes vinhos para harmonizar tanto com carnes como chocolate.

O late bottle vintage é elaborado à semelhança do vintage, mas tendo mais tempo em barril.

 TAGS:Sandeman RubySandeman Ruby

Sandeman Ruby: Vinho do Porto com Tinta barroca, Touriga franca, Tinta cão, Tinta amarela, Tinta roriz y Touriga nacional. Graduação alcoólica de 19.5º. 

 

 

 TAGS:Ferreira TawnyFerreira Tawny

Ferreira Tawny: Vinho do Porto com Denominação de Origem. a partir de las variedades Tinta barroca, Touriga franca, Tinta amarela, Tinta cão, Bastardo, Tinta roriz,Touriga nacional.19.50º de graduação alcoólica. 

Harmonização de vinhos e queijos do mundo

 TAGS:undefinedDurante séculos, queijo e vinho, foram servidos para deleitar os paladares mais exigentes. Embora se possa dizer que estes dois sabores são totalmente opostos, é, precisamente, por essa razão que os dois casam tão bem; o sabor da proteína do queijo e a acidez do vinho podem chegar a formar um duo absolutamente perfeito. Hoje trazemos-lhe as melhores harmonizações, para que seja o juiz do seu próprio gosto.

Harmonizações com queijo Brie, Tomme e outros queijos cremosos
São suaves e cremosos e com uma casca completamente comestível. A sua textura amanteigada deixa vestígios de proteína na língua e, como tal, os melhores vinhos para o acompanhar são aqueles que “limpam”, ou seja; que reestruturam o paladar devido à sua acidez, carbonatação ou taninos.
Estes queijos, de sabores delicados são indicados para vinhos de sabor igualmente subtil ou ligeiramente frutado (vinho Chardonnay, vinho Pinot Noir, vinhos Espumantes, vinho Riesling Schiava seco, entre outros.)

Harmonizações com Chèvre e outros queijos de cabra
Os queijos de cabra são inconfundivelmente frescos e de sabores alternados, entre o azedo e o terroso, que dependem do tempo de cura. Estes sabores intensos são recomendáveis para vinhos encorpados, especialmente, aqueles que envelheceram em madeira de carvalho e que podem fornecer alguma oxidação ao processo. O Sauvignon Blanc, Chenin Blanc ou uma Mescla Bordeaux (Cabernet-Merlot) são boas opções.

Harmonizações com queijos suíços
São queijos duros ou semi-duros e de textura cremosa com sabores a noz e amêndoa. Fáceis de harmonizar com uma grande variedade de vinhos. Brancos com notas doces, ligeiramente amargos e de acidez média: Riesling, Pinot gris, Syrah, Madeira ou Porto.

Harmonizações com queijo “manchego” e outros queijos de ovelha
Queijos duros, na sua maioria, de Portugal e Espanha, extremamente versáteis para harmonizar, ou seja: será difícil errar na sua escolha. Experimente vinhos da Península Ibérica como Verdejo, Cava Rosé, Tempranillo, Vinho Verde, Grenache ou Alicante Bouschet.

 TAGS:Barbeito 3 Years DryBarbeito 3 Years Dry

Barbeito 3 Years Dry

 

 

 TAGS:Graham's 10 YearsGraham’s 10 Years

Graham’s 10 Years

Vinhos para casais

 TAGS:undefinedNum jantar romântico, o chocolate e as ostras formam um efeito algo afrodisíaco, tal como o vinho, e há sempre um tinto, um branco ou um espumante ideal para partilhar num ambiente a dois.

Um vinho branco cai sempre bem, especialmente com massas, arrozes ou peixe, já que são vinhos normalmente secos e muito frescos. Recomendam-se os brancos elaborados com Cabernet sauvignon, Malvasia ou Grenache, normalmente são vinhos que vão bem com quase tudo, de modo que se há algum prato de caça na mesa, o branco também é bem-vindo.

Quando se trata de tintos, Portugal tem uma enorme variedade com qualidade, como por exemplo a Denominação de Origem do Douro. São vinhos intensos e com corpo, o que pode ser um ponto a favor para ele e para ela, já que que cada vez são mais as mulheres que saboreiam um tinto com personalidade.

Uma sugestão: reservem os tintos para pratos de carnes, carpaccios e sobremesas de chocolate. As castas Grenache e Merlot, por exemplo, resultam em vinhos delicados, longos no paladar e muito saborosos.

Em casal podemos permitir-nos o mimo de provar vinhos de qualidade, se a garrafa o merece, compensa pagar um pouco mais, seja em casa ou num restaurante. De qualquer modo, hoje em dia há vinhos de grande qualidade, por menos de 10€, e que possuem todas as qualidades para fazer uma harmonização fantástica.

Se o que pretendemos é seduzir… talvez o ideal seja um vinho espumante. As borbulhas são puro movimento e esta é uma bebida sensual por natureza, que pode ser a companhia perfeita para sobremesas ou mesmo fazer parte dos aperitivos.

 TAGS:Gran Passione 2015Gran Passione 2015

Gran Passione 2015

 

 

 TAGS:Amor de Madre Crianza 2014Amor de Madre Crianza 2014

Amor de Madre Crianza 2014

Algumas recomendações para harmonizar vinhos e enchidos

 TAGS:undefinedSão duas das melhores combinações possíveis: o vinho e os enchidos oferecem sabores de resultado extraordinário numa harmonização.

Normalmente gordurosos, fumados e muito aromáticos, os enchidos vão bem com vinhos Sauvignon blanc, Pinot, vinhos tintos intensos e alguns espumantes brancos.

Em Espanha, por exemplo, para o presunto (o protagonista das carnes secas espanholas) o ideal é acompanhá-lo com um vinho tinto encorpado, generoso, tintos novos, leves e secos e aqueles que são elaborados com Cabernet sauvignon. Por outro lado, o fino e o manzanilla, são bons com todo o tipo de enchidos e casam sempre bem com presunto.

O prato de ovos estrelados com chistorra (um enchido com origem no País Vasco e Navarra) pode ser uma verdadeira delicatessen quando acompanhado por um vinho tinto de guarda ou um branco com mais corpo do que o habitual.

O lombo pode ser preparado de vários modos; acompanhado de pão e tomate, com pimentão e azeite ou cortado fino com um queijo forte e amanteigado. A harmonização costuma ser feita com vinho tinto, envelhecido, Merlot ou Tempranilho. Existem muitas denominações de origem que encaixam bem com este enchido, mas a recomendação vai para os vinhos de Ribera del Duero, que marcam o sabor fumado do lombo.

Em relação aos chouriços, os vinhos podem variar; branco ou tinto, ainda que este último seja o favorito, e de preferência com notas de frutos vermelhos e uma ligeira acidez. Os vinhos Syrah são muito recomendáveis, desde os Rioja aos vinhos menos conhecidos da Denominação de Origem de Alicante.

O salame, pelos seus ingredientes, pode harmonizar com vinho rosé ou um tinto novo, enquanto que os enchidos mais frescos como o salsichão casam melhor com vinhos novos.

 TAGS:Pruno 2014Pruno 2014

Pruno 2014

 

 

 TAGS:Pago de los Capellanes Crianza 2012Pago de los Capellanes Crianza 2012

Pago de los Capellanes Crianza 2012

Quais as harmonizações para este Natal?

 TAGS:undefinedÉ claro que os vinhos vão estar presentes nestas festas, como tal, é importante escolher o vinho adequado para cada refeição. O Natal é recheado de refeições bem variadas e que dependem da geografia do país. Marisco, carne, peixe, abundantes sobremesas e queijos; vamos ajudar a escolher o vinho para cada um dos pratos.

Vinhos e peixe

Para o peixe, aconselhamos servir vinhos novos, tintos, rosés, brancos. A ocasião exige qualidade, por essa razão a Denominação de Origem do Bierzo sempre será uma boa opção, assim como os brancos, alvarinhos e rosés do Norte de Espanha e Portugal.
O vinho também pode variar segundo o tipo de peixe, quando se trata de robalo e tamboril, o ideal é regá-los com vinhos de toque frutado (como os de Rueda) ou Sauvignon blanc. O peixe no forno, preparado com molhos, harmoniza bem com com um verdejo branco, e como já foi dito, os tintos jovens são uma boa combinação para o paladar mais exigente. Com bacalhau e salmão: maduro tinto.

Vinhos e marisco

E se há marisco na mesa de Natal, podem servir-se muitos dos vinhos que já referimos, especialmente os brancos mais leves. O verdejo é sempre uma boa opção, para além do chardonnay, também pode servir tinto novo se optar por polvo ou gambas.

Vinhos e carne

Peru, frango, vitela ou lombo de porco no forno, fumados, entre outras especialidades do Natal, podem e devem ser acompanhadas de vinhos tintos; a Syrah e a Pinot noir são as preferidas do peru.
Para fumados e carnes de sabores mais intensos, prove os tintos espanhóis, como o tinto de toro, os tintos do Penedès, na Catalunha ou os excelentes Somontano e Cariñena. O frango e o peru recheado vão bem com alguns brancos, como por exemplo os alemães riesling.

Vinhos e queijo/foie

E uma boa mesa de Natal não dispensa os produtos gourmet. Para o foie é aconselhável um vinho tinto, que pode ser inclusive doce. O vinho Pedro Ximénez, algumas vezes usado em cozinha, pode ser servido em copo, para acompanhar pratos de foie e carnes. Em relação aos queijos, é certo que existe uma enorme variedade dependendo da sua origem, teor de gordura e tipo de cura. De um modo geral, pode dizer-se que os queijos de cabra vão bem com vinhos brancos frutados, mas também com algum vinho tinto novo do Douro. Se o queijo é amanteigado e de sabor apimentado, nada como os tintos de guarda de Portugal e França.

Vinhos e sobremesas de Natal

Sobremesas? Fundamentais, claro. Rabanadas, doce de ovos, pudim, bolo-rei, arroz doce e leite creme fazem abrir o champanhe e o cava, mas também alguns brancos deliciosos como um Malvasia, ou os vinhos doces da Denominação de Origem de Alicante, cada vez más populares, os Monastrell, e o Pedro Ximénez, genial com sobremesas.

Algumas das nossas propostas de hoje vão certamente equilibrar lindamente o seu jantar de Natal. Boas Festas!

 

 TAGS:Nisia 2015Nisia 2015

Nisia 2015

 

 

 TAGS:Victorino 2012Victorino 2012

Victorino 2012

 

 

 TAGS:Pedro Ximénez Reserva de Familia 50clPedro Ximénez Reserva de Familia 50cl

Pedro Ximénez Reserva de Familia 50cl

Salada e vinho: um prazer divino (e saudável)

 TAGS:undefinedNestes dias de calor, a melhor opção para uma refeição é uma salada, que pode preparar de mil e um modos diferentes. Se for acompanhada de um bom vinho, ainda melhor. Hoje propomos-lhe algumas saladas, e vinhos correspondentes, para que que possa saborear um menu de verão.

1. Salada de arroz

Ingredientes:

  • 200gr de arroz basmati
  • 6 azeitonas pretas
  • 12 alcaparras
  • 2 ovos cozidos
  • 1 lata de atum
  • 2 rodelas de ananás de conserva
  • 4 tomates cherry
  • 16 uvas passas
  • 6 lagostins
  • Sal a gosto

Tempero:

  • 4 colheres de sopa de azeite virgem
  • 2 colheres de sopa de mostarda
  • 1 colher de nata líquida

Preparação:

  1. Cozinhar o arroz. Deixar arrefecer sob um jorro de água e escorrer.
  2. Cozer os ovos. Deixar as passas de molho para que se hidratem.
  3. Cortar os restantes ingredientes em pedacinhos. Misturar todos os ingredientes na saladeira e decorar com os pedaços grandes de atum.

Para esta receita, recomendamos um vinho tinto jovem e ligeiramente de agulha, como o Baigorri; um vinho de maceração carbónica, ideal para acompanhar saladas complexas.

2. Salada de feijão-verde e batata

Ingredientes:

Para a vinagreta:

  • 20 mililitros de vinagre de maçã
  • 60 mililitros de azeite virgem
  • 1 colherzinha de mostarda Dijon
  • 1 dente de alho
  • Pimenta preta a gosto
  • Sal a gosto

Para a salada:

  • 100gr de feijão-verde
  • 1/2 colherzinha de bicarbonato
  • 50gr de atum em azeite
  • 100gr de batata cozida para guarnição
  • 50gr de tomate cherry
  • 30gr de azeitonas pretas sem caroço
  • 4 ou 5 anchovas
  • 1 ovo cozido

Preparação:

  1. Colocar todos os ingredientes da vinagreta numa taça. Bater à mão até emulsionar. Reservar.
  2. Lavar o feijão-verde e retirar os extremos. Quando a água com bicarbonato ferver, deitar o feijão-verde e cozer durante 5 minutos.
  3. Retirar o feijão-verde e colocar num recipiente com água gelada, Deixar arrefecer, escorrer, secar e reservar.
  4. Escorrer o atum e partir em pedaços com as mãos. Cortar as batatas pequeninas, os tomates, as anchovas e as azeitonas a meio. Misturar todos os ingredientes.
  5. Descascar o ovo cozido, cortar em quatro partes e reservar. Regar a salada com a vinagreta e decorar com ovo.

E que tal um vinho rosé francês para uma salada do mesmo país? Este é um bom momento para saborear um bom rosé?

 

3. Salada de talharins de curgete

Ingredientes:

  • 4 curgetes
  • 8 tomates cherry
  • 2 fatias de presunto
  • 80gr de queijo parmesão
  • 40gr de pinhões
  • 1 dente de alho
  • 5 colheradas de azeite virgem
  • 1 molho de manjericão
  • Sal e pimenta a gosto

Preparação:

  1. Cortar o presunto em tiras finas. Dourar os pinhões numa frigideira.
  2. Lavar los tomates, secar e cortar em quartos. Lavar o manjericão e secar bem.
  3. Reservar alguns raminhos para decorar no final e cortar o resto.
  4. Cortar o queijo em fatias finas. Descascar o dente de alho e picar.
  5. Lavar as curgetes e cortar em lâminas finas sem chegar à parte central das sementes.
  6. Aquecer 3 colheradas de azeite. Dourar a curgete a fogo forte durante 2 minutos.
  7. Mexer continuamente com uma colher de madeira.
  8. Deitar o alho e os tomates, temperar com sal e pimenta recém moída. Cozinhar durante mais um minuto.
  9. Apagar o lume, polvilhar o manjericão e o parmesão, juntar os pinhões e o presunto e misturar bem.
  10. Empratar os talharins com um fio de azeite. Decorar com manjericão e servir.

Na nossa selecção não podia faltar um vinho branco. O corpo delicado e um tanto oleoso do Enate Chardonnay 234 2015, pode funcionar muito bem com esta suave salada.