Etiqueta: harmonização

Alguns truques para harmonizar sobremesas

 TAGS:undefinedCombinar vinho e sobremesa é uma das melhores opções para conseguir um bom contraste de sabores. Toma nota dos nossos conselhos e elabora as melhores combinações para servir um final de refeição fantástico aos teus convidados ou fazer a experiência num bom restaurante.

Tartes e pastéis: Vinhos doces como o Sauternes de Nourdeaux, vão bastante bem com sobremesas à base de fruta fresca e nozes, do mesmo modo que o rosé meio-seco e o espumante harmonizam bem com sobremesas com cremes.

Sobremesas de chocolate: Muitas sobremesas com chocolate podem ser acompanhadas por vinho branco doce, licores ou vinho doce natural. O *Porto* é a opção por excelência para evitar qualquer tipo de risco de má combinação.

Licores e aguardentes: São bastante utilizados na preparação de bolos e biscoitos ou em caldas e por vezes gelados. Como por exemplo: A aguardente Poire Williams com pêra; Marasquino com cerejas; Grand Marnier com laranja e conhaque e brandy com chocolate. Nestes casos recomendamos que o licor servido seja o mesmo da preparação da sobremesa.

Fruta cristalizada: Tais como: figos, passas, tâmaras e alperces, combinam bastante bem com Porto, moscatel velho ou vinhos do tipo Pedro Ximénez.

Frutos secos: Castanhas, nozes, amêndoas, avelãs, pinhões e amendoins harmonizam com vinhos generosos de sabor marcado e persistente.

Fruta vermelha e preta: cereja, framboesa, morango e abrunho vão bem com tintos novos, de cor arroxeada. 

Cítricos: Com vinhos doces de notas cítricas intensas, como o moscatel velho.

É bom lembrar que: ao harmonizar é importante ter em conta o equilíbrio entre os aromas das frutas e os dos vinhos, assim como a cor, que deve ser semelhante.

 TAGS:Pedro Ximenez Reserva de Familia 50clPedro Ximenez Reserva de Familia 50cl

Pedro Ximenez Reserva de Familia 50cl: um vinhos doce com D.O. Málaga das variedades pedro ximénez e possui um grau alcoólico de 17.00º. 

 

 

 TAGS:Ferreira Dona Antonia ReservaFerreira Dona Antonia Reserva

Ferreira Dona Antonia Reserva:  um vinhos generoso com D.O. Porto cujo coupage contém tinta çao e port e com 20.00º de teor de álcool. F

 

 

8 harmonizações para esquecer

 TAGS:undefinedAlgumas combinações de vinho com determinados pratos devem realmente ser evitadas e por vezes é mais importante saber quais as harmonizações que não se devem fazer do que seguir recomendações sobre as uniões gastronómicas ideais. Uma combinação infeliz pode provocar ressaca, azia ou arruinar completamente o sabor de um prato.

Com champanhe não deve… Uma das piores combinações com o champanhe seco são os bolos habitualmente servidos nas festas de casamento. Um sabor contraria o outro e o paladar é convertido num campo de batalha sem vencedores. A mesma fórmula é válida para caril com champanhe vintage.

O Cabernet Sauvignon não é grande amigo de… Um vinho Cabernet com elevada presença de taninos não deve ser acompanhado de gelado, o resultado é um vinho amargo e um gelado excessivamente doce. As ostras, também não são uma boa companhia para este vinho, a sua textura torna-se arenosa com um sabor desagradavelmente metálico, tal como o linguado, que ao ser combinado com Cabernet perde o sabor delicado que o caracteriza.

Pinot Noir com… Se o prato a saborear é um frango avinagrado com estragão, é melhor esquecer o Pinot Noir, o vinagre de ervas, tal como qualquer condimento de elevada acidez, reduz substancialmente o sabor frutado deste vinho.

Se o Sauvignon Blanc for um dos favoritos… O ideal é ficar longe de caviar e queijo azul, com o primeiro o vinho perde todas as suas características e com o segundo gera-se uma verdadeira competição no paladar.

O Chardonnay é inimigo de… Talvez a combinação de Chardonnay e gelado possa parecer interessante, porém esta é a receita infalível para ter uma ressaca inesquecível. É também recomendável manter a distância entre este vinho e peixes gordurosos como a cavala, que modificam totalmente o paladar do vinho, ou as ostras, que perdem o seu sabor subtil. Finalmente, o Chardonnay perde vida quando acompanhado por alimentos picantes.

Chianti, melhor longe de… Não é o melhor vinho para acompanhar uma salada de atum ou pratos similares, o vinho ganha um sabor metálico, nada equilibrado.

Não estragues o Merlot… Se as alcachofras, as couves de Bruxelas e o feijão verde são alguns dos pratos predilectos, é melhor guardar o Merlot tinto para outras refeições. No geral, com estes vegetais vai melhor um vinho branco.

Não desperdices uma garrafa de Borgonha… Lasanha e Borgonha, é um desses casamentos de final infeliz, ou seja, azia.
Borgonha, queijo e molho de tomate é uma associação demasiado fortes para o estômago.

 

Queijo: mais fácil harmonizar com vinho ou cerveja?

 TAGS:undefinedFaz parte da gastronomia de qualquer país, e não é por acaso, é que o queijo, é um dos alimentos com mais matizes e que proporciona uma enorme variedade de combinações subtis.

Segundo as suas características, pode ser ingrediente num número de pratos quase infinito, desde as entradas às sobremesas, frito, gratinado, polvilhado, cortado ou ralado, o queijo pode ser acompanhado por vinho, ou não.

No entanto, parece que a última moda é a de acompanhar o queijo com cerveja, já que esta ultimamente é a verdadeira protagonista das provas organizadas e harmonizações vanguardistas.

Um dos maiores instigadores desta tendência, é o chefe nova-iorquino Daniel Burns.

O seu restaurante, Luksus, em Brooklyn, cuja propriedade partilha com Jeppe Jarnit-Bjergso, já ostente uma estrela Michelin e a sua aposta baseia-se na ideia de que o “espectro de sabor“ da cerveja a torna mais apropriada do que o vinho para acompanhar queijos.

Este restaurante oferece cerca de 21 cervejas de barril diferentes e não possui carta de vinhos.

Segundo Burns, “em comparação com o vinho, a cerveja é simples de harmonizar correctamente e é ainda mais simples obter uma grande harmonização”.

Ainda estando habituados a harmonizar queijo e vinho, mas o novo conceito deste restaurante (o primeiro do mundo com uma estrela Michelin sendo especializado em cerveja) oferece-nos uma perspectiva que merece ser experimentada, sobretudo se tivermos em conta o seu sucesso de aceitação entre a exigente clientela de Nova York. Normalmente repleto, o pequeno restaurante de Greenpoint oferece uma carta de degustação por 95$ e por mais 45$ , pode saborear uma harmonização com cerveja.

Então? Prontos a experimentar a harmonizaçã queijo & cerveja?

 TAGS:OrvalOrval

Orval

 

 

 TAGS:Gulden DraakGulden Draak

Gulden Draak

 

 

Hambúrgueres gourmet: mais do que uma moda

 TAGS:undefinedOs hambúrgueres passaram da perspectiva de comida rápida à qualidade gourmet, uma tendência que não passa despercebida nos bares e restaurantes. O hambúrguer foi, durante muito tempo, um prato ideal para os mais pequenos sobretudo porque a carne é suculenta e tenra. Felizmente, hoje em dia, os seus sabores multiplicaram-se com novos ingredientes e texturas e a harmonização, incluindo com Gin tónico, não só é possível como agradecida.

Hambúrgueres ecológicos: Uma tendência que veio para ficar: cuidar do nosso corpo e da nossa alimentação. Em relação aos hambúrgueres, a carne de vitela ecológica costuma ser servida junto a outros ingredientes mais saudáveis como o pimento, tomate, queijos de processamento ecológico e molhos suaves.

Hambúrgueres de autor: Uma das experiências deste tipo de hambúrgueres, que abandonaram definitivamente o conceito de “comida rápida”, são os mini-hambúrgueres de autor. As miniaturas permitem-nos provar vários sabores: com ou sem pão, com cebola frita ou queijo parmesão, em vinha-d’alhos ou com azeitonas recheadas.

O molho: o segredo: Alguns destes hambúrgueres destacam-se precisamente devido ao molho. Às maioneses e mostardas tradicionais, juntaram-se o vinagrete, a mostarda com mel, molhos de queijo e pesto. Na criatividade vale tudo e os molhos artesanais chegam a ser verdadeiros protagonistas do hambúrguer gourmet.

Pão artesanal: Na procura de qualidade, já não serve qualquer tipo de carne ou de pão. O pão destes hambúrgueres deve ser saboroso, com alguma textura e papel secundário, com ou sem sementes ou ervas aromáticas, mas de qualidade.

Em relação à harmonização, os hambúrgueres de qualidade, vão bem com um tinto novo e frutado, uma boa cerveja ou um gin tónico clássico.

Hoje, estas são as nossas recomendações:

 TAGS:Château Prieuré Lichine 2008Château Prieuré Lichine 2008

Château Prieuré Lichine 2008: um vinhos tinto com D.O. Margaux a base das castas cabernet franc e merlot da colheita 2008 e 12.00º de grau alcoólico. 

 

 

 TAGS:Paulaner 50clPaulaner 50cl

Paulaner 50cl: uma cerveja weißbier da cervejaria Paulaner feita em Alemanha elaborada com fermentação baixa com um ABV de 5.5º.

 

 

Harmonizações infalíveis com salmão fumado

 TAGS:undefinedQuando pensamos em harmonizar salmão, normalmente as primeiras opções são vinho branco ou champanhe. No entanto, existem muitas outras harmonizações. Sejam vinhos, cervejas ou inclusive destilados, temos uma ampla variedade à nossa disposição, é só uma questão de arriscar em algo novo.

Vinhos

Sancerre, Pouilly-Fumé e outros Sauvignon da Região do Loire: Estes vinhos, de mineralidade bastante seca, apresentam delicados sabores de groselha e são perfeitos para acompanhar salmão fumado. Outros Sauvignon, também podem funcionar, sempre e quando não tenham paladar de ervas demasiado acentuado.

Chablis: Especialmente os Chablis novos, sem madeira, de frescura limpa e a acidez necessária para equilibrar o excesso de gordura do salmão. Os Chardonnay mais saborosos vão bem com salmão fumado quente.

Riesling: Os vinhos alemães de Riesling, os novos como o Kabinett, com os seus sabores intensos de maçãs verdes, combinam especialmente bem. Também os vinhos novos da Alsácia e os Riesling australianos podem ser uma boa opção.
Gewurztraminer. O gewurztraminer e o salmão fumado são um una excelente par. Não se deve deixar de provar.

Xerez muito seco com toque de manzanilla. Se gostas do Xerez seco, esta é a opção para harmonizar salmão fumado. O sabor salgado e picante do Xerez seco é perfeito, isso sim, acabado de abrir e bem frio.

 TAGS:Grand Régnard 2012Grand Régnard 2012

Grand Régnard 2012:  um vinhos branco da D.O. Chablis realizado com chardonnay da colheita 2012.

 

 

 TAGS:Jerez del PrincipeJerez del Principe

Jerez del Principe: um vinhos generoso da D.O. Montilla-Moriles elaborado com uvas jerez.

 

 

Cervejas e destilados

Cerveja Pilsner checa ou alemã. Ligeiramente amarga e fresca, a pilsen é perfeita para equilibrar o sabor denso do salmão.

Weissbier, Witbier ou cerveja de trigo. As cervejas ‘brancas’ vão bem com a maioria do marisco e do peixe fumado. Uma opção mais fresca e uma boa escolha para as tuas refeições de salmão.

Whisky de malte. Talvez não seja a primeira harmonização com salmão a que recorras, mas pode ser uma boa ideia num momento de improvisação. Escolhe um whisky de malte leve se o sabor fumado do salmão for suave ou um whisky de Islay se o prato tiver um sabor acentuado.

Aquavit. Destilado aromático característico dos países nórdicos, é uma opção muito original para acompanhar salmão. Os seus aromar de aneto e coentros fazem dele o companheiro perfeito para este peixe.

Vodka. Com uma vodka polaca bem fria dás uma volta surpreendente à tua refeição.

 TAGS:Linie Aquavit 1LLinie Aquavit 1L

Linie Aquavit 1L: um licores e cremes originário de Noruega. 

 

 

 TAGS:Lagavulin 16 AnosLagavulin 16 Anos

Lagavulin 16 Anos: um uísque Single Malt originário de Escócia com 43º de teor de álcool. 

 

 

Comida mexicana: como harmonizar?

 TAGS:undefined

A comida mexicana, rica em sabor picante, não é fácil de harmonizar. Há quem diga que apenas é possível acompanhar um prato mexicano com água, cerveja leve ou inclusive leite.

No entanto, também há quem defenda que esta é uma cozinha de harmonização complexa, e possível. Por esta razão hoje pretendemos partilhar alguns conselhos, tendo em conta as duas harmonizações mais comuns:

  • Por conformidade: quando os sabores do vinho e dos alimentos se assemelham, normalmente esta união reforça o paladar.
  • Por contraste: Quando o vinho possui um sabor intenso e os pratos são pouco intensos e vice-versa. É exactamente por contraste que se acentuam as características dos alimentos e da bebida.

Segundo as afirmações da Associação Nacional de Vitivinicultores (ANV): “na comida mexicana partimos do facto de ser consumida uma grande quantidade de picante em pequenas doses, o que lhe concede algum exotismo, mas que em grandes quantidades adormece o paladar, deixando-o insensível e portanto indiferente ao sabor do vinho. Apenas os vinhos muito estruturados e de aromas complexos, aguentam a carga do picante”.

Estas são as sugestões da A.N.V. para harmonizar vinho e comida mexicana.

  • Viognier: Ideal para acompanhar frango, peixe, sopas de massas, lima e marisco e empadas de cação.
  • Chasselas: Sugestão para acompanhar cochinita pibil, coxas de rã e ovas guisadas.
  • Sauvignon Blanc: A companhia perfeita para Pozole, quesadillas, arroz branco, sopa asteca, picadas de Veracuz, caldo tlalpeño, creme de cogumelos, peru recheado, ovas guisadas, Vuelve a la vida e ovos à mexicana.
  • Chardonnay: Para combinar com Pozole, enfrijoladas, quesadillas, tamales de elote, voul-au-vent de mariscos, sopa asteca, creme de cogumelos, churrasco, mole poblano, peru recheado, peixe em papelote, ovas guisadas e Vuelve a la vida.
  • Chenin Blanc: Servir com Chilaquiles verdes, no forno ou ovos rancheros.
  • Sémillon: O companheiro ideal das picadas de Veracruz.
  • Riesling: Para harmonizar com Chilaquiles verdes, sopa de lima ou pámpano a la campechana.
  • Colombard: Para beber com Chilaquiles no forno.
  • Tinta roriz: Servir com enfrijoladas, chocos com tinta, salada de massa (coditos=cotovelos) ou bife de cebolada.
  • Pinot Noir: Harmonizar com Panuchos de Veracruz e lombo de porco com ameixas.
  • Nebbiolo: O aliado dos famosos chiles recheados, os panuchos de Veracruz, quesadillas, tinga de frango e peixe à Veracruz.
  • Merlot: Para acompanhar enchiladas vermelhas, quesadillas, lombo de porco com ameixas, peixe à Veracruz e curgetes mexicanas.
  • Cabernet Sauvignon: Para combinar com pambazos, enchiladas vermelhas, quesadillas, churrasco, almôndegas, cabrito, bife à tampiqueña, panados de vitela, mole poblano, veado assado, chocos em tinta, peixe à Veracruz e romeritos.
  • Barbera: Para harmonizar com chiles recheados, pambazos, cabrito e bife à tampiqueña.
  • Cabernet Franc:Combinar com machaca de Monterrey e bife à tampiqueña.
  • Zinfandel: Para beber a acompanhar machaca de Monterrey e salada suprema de frango.
  • Syrah: Ideal com lombo de porco com ameixas.
  • Malbec: Servir com enchiladas de pipian, panuchos de Veracruz e machaca de Monterrey.
  • Petit Syrah:Servir com enchiladas de pipián.
  • Petit Verdot: Servir com cabrito.
  • Ruby Cabernet: Servir com cabrito.
  • Vinho Espumante: Grande companhia para pozole, chiles recheados, enfrijoladas, quesadillas, tamal de elote, vol-au-vent de marisco, sopa de lima, creme de cogumelos, churrasco, mole poblano, peru recheado, pejelagarto en chirmol, chilpachole de jaiba, ovas guisadas, vuelve a la vida e ovos à mexicana.

 

 TAGS:Quinta do Vale Meão 2011Quinta do Vale Meão 2011

Quinta do Vale Meão 2011: um vinhos tinto da D.O. Douro realizado com touriga franca e tinta roriz da colheita 2011 e possui um grau alcoólico de 14.5º.

 

 

 TAGS:Moët & Chandon Brut ImpérialMoët & Chandon Brut Impérial

Moët & Chandon Brut Impérial: um vinhos espumantes Champagne das variedades pinot noir e pinot meunier e 12,5º de teor de álcool. 

 

Cozinha indiana e vinho. Como harmonizar?

 TAGS:undefined

A comida picante e o vinho podem combinar-se maravilhosamente se escolhermos o vinho adequado. Alguns vinhos potenciam os sabores das especiarias que estes pratos habitualmente contêm, enquanto que outros os anulam completamente.

A cozinha indiana, uma das mais completas, necessita ser acompanhada de um bom vinho para que os seus pratos sejam ainda melhores. Por vezes não é fácil saber quais os vinhos que melhor combinam com o *caril*, o picante ou as chamuças. Por esta razão, hoje deixamos aqui algumas ideias sobre harmonização de cozinha indiana e vinho.

Caril de peixe

Na cozinha indiana é habitual encontrar caril de vitela, de frango e de peixe. Para este tipo de pratos podemos optar pelos vinhos brancos, ou inclusive um vinho do tipo Txacolí, a especialidade do País Basco.

 TAGS:Txacolí Gorrondona 2012Txacolí Gorrondona 2012

Txacolí Gorrondona 2012: Vinho branco com Denominação de Origem Txacoli De Bizcaia, das adegas Doniene Gorrondona Txakolina, elaborado com a casta Ondarrabi Zuri de 2012 e com 11.5º de graduação alcoólica.  

  

 

Especiarias indianas

Os sabores da cozinha tradicional indiana são protagonizados por uma grande quantidade de especiarias, tais como coentros, cominhos e funcho. São estas, misturas muito saborosas, tanto para as carnes como para o peixe, que podem chegar a ser bastante picantes. Para este tipo de condimento recomendam-se os vinhos Grenache e Syrah.

 TAGS:Montes Alpha Syrah 2011Montes Alpha Syrah 2011

Montes Alpha Syrah 2011: Vinho tinto com Denominação de Origem de Colchagua Valley, das adegas Montes, elaborado com Syrah de 2011 e com 14.75º de graduação alcoólica.

 

 

Para refrescar o paladar

Se os pratos forem muito picantes, algo bastante habitual, podemos acompanhar a refeição com vinho branco, rosé ou espumante.

 TAGS:Château la Rolière Côtes Du Rhône Brézème Rosé 2014Château la Rolière Côtes Du Rhône Brézème Rosé 2014

Château la Rolière Côtes Du Rhône Brézème Rosé 2014: Château la Rolière Côtes Du Rhône Brézème Rosé 2012

 

Outros vinhos brancos

Os vinhos que melhor acompanham este tipo de cozinha devem ser ligeiramente doces, de modo a equilibrar os sabores fortes destes pratos. Alguns deles são vinhos como o Alvarinho ou Riesling.

 TAGS:Hugel Et Fils Riesling Hugel Alsace 2012Hugel Et Fils Riesling Hugel Alsace 2012

Hugel Et Fils Riesling Hugel Alsace 2012: Vinho branco com Denominação de Origem da Alsácia, elaborado com Riesling de 2011 e 13º de graduação alcoólica.

 

 

 

Vinhos tintos

Para além dos brancos, os tintos também podem combinar bem com os pratos picantes indianos. Devem ser vinhos adocicados como o Cabernet Franc ou os vinhos do Loire.

 TAGS:Château Grand Pascaud - Bordeaux. 2010Château Grand Pascaud – Bordeaux. 2010

Château Grand Pascaud – Bordeaux. 2010: um vinhos tinto da D.O. Bordeaux realizado com merlot e cabernet Sauvignon da colheita 2010 e com um grau alcoólico de 13º. 

 

 

2 sobremesas para adoçar a tua Primavera

 TAGS:undefined

Não há nada tão bom como saborear o momento da sobremesa com os teus convidados e esta Primavera é uma ocasião excelente para fazer estas duas tartes.

Tarte Primavera de kiwi

A tarte de kiwi, rico em vitamina C e em fibra, é uma opção saudável e deliciosa.

Ingredientes:

  • 1 placa de massa folhada
  • 6 kiwis
  • 1 pacote de queijo-creme
  • 4 colheres de leite condensado
  • 1 pacote de brilho de tartes ou gelatina neutra

Elaboração:

  1. Forrar uma travessa com papel de forno e e colocar a massa folhada.
  2. Picar a massa folhada com um garfo e espalhar grão-de-bico por cima de modo a evitar que a massa inche ao cozer.
  3. Leva ao forno a 180°c durante 15 minutos.
  4. Para o recheio, descascar e cortar metade dos kiwis e triturar em copo misturador.
  5. Misturar o kiwi triturado, o queijo e o leite condensado num recipiente. Mexer até obter um creme.
  6. Deixar a massa folhada arrefecer e depois deitar-lhe o creme de kiwi e decorar com rodelas descascadas dos kiwis restantes.
  7. Juntar o brilho de tartes ou a gelatina neutra previamente preparada segundo as suas indicações.

Tarte de queijo e cerejas

Esta tarte é ideal para a Primavera e para 4 pessoas.

Ingredientes:

  • 1 pouco de margarina sem sal
  • 1 pacote de bolacha napolitana
  • 50ml de leite condensado
  • 1 pouco de cerejas secas
  • 3 ovos
  • 150ml de nata para bater
  • 250g de queijo fresco sem sal

Elaboração:

  1. Triturar 1 pacote de bolacha napolitana e misturar com a margarina sem sal até formar uma pasta para cobrir uma forma de forno.
  2.  Arrefecer a massa no frigorífico enquanto se termina o recheio.
  3. Juntar 250g de queijo fresco sem sal, 3 ovos, 50ml de leite condensado e 150ml de nata para bater num copo misturador. Misturar bem os ingredientes.
  4. Deitar este creme na massa fria e polvilhar com cerejas secas.
  5. Levar ao forno a 180°c até dourar e depois retirar.

Bom apetite para estas deliciosas sobremesas!

 

 TAGS:Ferreira Vintage 2000Ferreira Vintage 2000

Ferreira Vintage 2000

 

 

 TAGS:Ferreira BrancoFerreira Branco

Ferreira Branco

 

 

Imagem: Uvinum e Manuel  

Sanduíches gourmet e cerveja premium, uma combinação deliciosa

 TAGS:undefined

As sanduíches gourmet são a última moda da gastronomia. Graças aos chamados gastropubs ou gastrobares, lugar onde os petiscos e as sanduíches de sempre assumem novos sabores e texturas, temos por diante um vasto número de pratos excelentes por descobrir.

A harmonização das sanduíches gourmet com cervejas premium promete ser uma experiência com tendência a ser repetida. Hoje apresentamos algumas das combinações possíveis entre sanduíches e cervejas. Água na boca…

Sanduíche de abacate, peru e queijo Emmental: Além de delicioso, é nutritivo e com poucas calorias. A junção de peru e abacate é perfeita para quem pretende conservar a linha. Ideal para o almoço!
Para acompanhar:

 TAGS:St Feuillien BlondeSt Feuillien Blonde

St Feuillien Blonde

 

 

Sanduíche de pepino e queijo fresco: Para saborear entre refeições se a fome apertar. Delicioso, sobretudo com pão de sementes e também salmão fumado.
Para acompanhar:

 TAGS:Er BoquerónEr Boquerón

Er Boquerón

 

 

Pão de quatro queijos: Semelhante a uma pizza, esta sanduíche é feita com pão saloio ou de vários cereais e recheado com queijo e oregãos. Combinada com uma cerveja premium forma um delicioso jantar completo.

Para acompanhar:

 TAGS:Delirium NocturnumDelirium Nocturnum

Delirium Nocturnum

 

 

Hambúrguer de boi com beringela: O hambúrguer clássico com protagonismo da qualidade; Boa carne + o sabor único da beringela.

Para acompanhar:

 TAGS:La SocarradaLa Socarrada

La Socarrada

 

 

Sanduíche de pisto (verduras fritas) com bacalhau: Esta fusão de sabores constitui uma refeição completa. Seja ao almoço ou ao jantar, o bacalhau acompanhado de pimentos, cebola, curgete e beringela fritos em azeite virgem é delicioso em pão e com um molho leve ou maionese de alho.

Para acompanhar:

 TAGS:DuvelDuvel

Duvel

 

 

Mini sanduíches de lombo com queijo brie: Um sabor diferente sobretudo quando acompanhado pela cerveja indicada. Para um jantar informal e com personalidade.

Para acompanhar:

 TAGS:Damm Inedit 75clDamm Inedit 75cl

Damm Inedit 75cl