Etiqueta: curiosidades

O vodka não é só para beber

Todos nós conhecemos a vodka como uma bebida, porque se combina com muitos outros ingredientes para obter os melhores cocktails. Mas certamente que não conhecias os diferentes usos que se podem dar à vodka para além de apenas bebida. Vamos descobrir para que serve a vodka no dia-a-dia.

cocktail vodka

Evitar que a cor das peças de vestuário se deteriore

Seguramente já utilizámos vários truques em casa quando lavamos roupa e ainda assim a cor continua a desvanecer-se. Para conservar as cores da tua roupa, dilui uma parte de vodka e uma parte de água e aplica a mistura na tua roupa antes de lavar. Desta forma, a cor resistirá mais tempo a sucessivas lavagens.

Limpeza de janelas

Há muitos produtos para limpar janelas. Mas talvez acumulem menos sujidade se aplicarmos esta bebida directamente no pano para, de forma simples, terminar com a gordura que normalmente se acumula nas janelas da cozinha.

Contra picadas de insectos

No Verão, as picadas de insectos podem causar-nos uma série de problemas. Por um lado, o mosquito tigre causa um inchaço na nossa pele e produz mordidelas realmente significativas, algumas das quais acabam nas urgências. Para evitar ser mordido por insectos em geral, podemos aplicar uma mistura de vodka e água sobre as pernas e braços. Talvez os bichos se perguntem antes de nos morderem.

Menos odor a pés

Se os teus pés tendem a cheirar pior que o normal, existem alguns produtos para mitigá-lo, mas podes sempre fazer uma mistura caseira em casa e banhar os pés com esta bebida para assim eliminar este incómodo odor.

Aumentar a vida útil das flores cortadas

Já sabemos que quando cortamos flores para decorar a nossa sala elas acabam por murchar ao fim de alguns dias. Bem, aparentemente se adicionarmos algumas gotas de vodka à água, podemos fazê-las perdurar um pouco mais.

flores cortadas

Obter um cabelo mais brilhante

Se costumas ter o cabelo bastante áspero e pouco sedoso, o condicionador e a máscara estão muito bem, mas outra utilidade da vodka é ser capaz de oferecer um cabelo muito mais brilhante. Basta lavá-lo com um pouco de vodka que se pode aplicar junto com o champô.

Mais brilho à prata

Não é só o cabelo que se torna mais brilhante. A Vodka também pode ser um excelente remédio para polir as peças de prata velha que temos em casa e parecem estragadas quando realmente não estão.

 

 TAGS:Grey Goose Vodka

Grey Goose Vodka

De França, tem um teor alcoólico de 40º. A comunidade Uvinum classificou o Grey Goose Vodka com 3,8 pontos em 5.

 TAGS:Cîroc Vodka

Cîroc Vodka

De França, tem um teor alcoólico de 40º. A comunidade Uvinum classificou o Cîroc Vodka com 4,1 pontos em 5.

Dionísio: o deus do vinho e do teatro

Deus do êxtase, do vinho e da libertação dos sentidos. A figura de Dionísio, identificada pelos romanos como Baco, está intimamente ligada ao nascimento do teatro. O teatro, de facto, haverá nascido como uma celebração religiosa em honra do deus Dionísio, amante da dança e da música.

Fruto da relação extraconjugal entre Zeus e Sèmele, a bela filha do Rei de Tebas, Dionísio foi levado assim que nasceu para Nisa, uma montanha cuja localização ninguém conhecia, para escapar da vingança de Hera, esposa do soberano dos deuses. Aí viveu na companhia de Sileno, seu mestre, e de ninfas numa caverna coberta de videiras selvagens.

A descoberta do vinho

Dionísio era uma criança barulhenta e animada, – a palavra italiana “baccano” vem de “Bacco” – apaixonada por caçar e passear nos bosques e no campo. Extremamente intrigado por aquelas plantas que cresceram na natureza ao redor de sua caverna, o deus fez uma descoberta: o vinho. Um dia, de facto, apanhou um cacho de uvas, espremeu-o num copo dourado e obteve uma bebida alcoólica de cor vermelho púrpura. O néctar foi capaz de lhe fazer passar a fadiga e esquecer os seus problemas, dando-lhe uma sensação de euforia. O jovem também notou que quanto mais o vinho era deixado em descanso nas taças, mais a sensação de embriaguez aumentava: acabando assim por descobrir a fermentação.
Dionísio apresentou o vinho a todas as criaturas da floresta, Ninfas, Sátiros e Horas, que começaram a consumi-lo como bebida para as suas festas. O deus começou também uma viagem ao redor do mundo para tornar conhecida a toda a humanidade a sua preciosa descoberta, vivendo pelo caminho diversas aventuras, tendo constantemente que se proteger da ira de Hera.

O nascimento do teatro

Durante as festividades dionisíacas, celebradas no outono e na primavera, havia folia e cantavam-se canções – os ditirambos – que contavam os feitos e as aventuras do deus Dionísio. O ditirambo, uma antiga forma de poesia lírica coral grega, era inicialmente rude e vulgar, mas com o tempo tornou-se numa verdadeira forma de arte à qual se dedicaram muitos poetas. Além disso, a canção era frequentemente acompanhada de danças e rituais. Foi assim que começou o drama e, consequentemente, a história do teatro.

 TAGS:Bafarela Grande Reserva 2015

Bafarela Grande Reserva 2015

Bafarela Grande Reserva 2015 é um vinho tinto com DO Douro com as melhores uvas de tinta roriz, touriga nacional e touriga franca de 2015. Vinho tinto classificado com 4 pontos em 5, segundo os utilizadores da Uvinum

 TAGS:Herdade São Miguel Colheita Seleccionada 2016

Herdade São Miguel Colheita Seleccionada 2016

Herdade São Miguel Colheita Seleccionada 2016é  um vinho tinto da DO Alentejo com o melhor da vindima de 2016 cuja graduação alcoólica é de 13º. Segundo os utilizadores da Uvinum, este tinto merece uma classificação de 4 pontos em 5.

O vinho ajuda a reduzir a mortalidade

O vinho ajuda a reduzir a mortalidade - Uvinum

As bondades do vinho são muitas: reduzem o colesterol e previnem o risco de sofrer doenças relativas ao coração. Um novo estudo indica também que pode reduzir a mortalidade. A investigação destaca que o vinho pode ajudar a reduzir a mortalidade no geral, sendo parte integrante de uma dieta anti-inflamatória.

Segundo um estudo efectuado pela Universidade de Ciências de Varsóvia (Polónia) e publicado no Journal of Internal Medicine, consumir alimentos e bebidas com propriedades anti-inflamatórias é realmente importante relativamente à redução do risco de morte.

Dieta anti-inflamatória

Os investigadores indicam que uma alimentação anti-inflamatória (verduras, frutas cereais, queijo, azeite virgem, nozes, chocolate, chá e café) é útil para a diminuição da mortalidade devida a qualquer causa. Assim, consumir uma quantidade de vinho moderada é benéfico para a saúde, especialmente a nível dos processos anti-inflamatórios. Também a dieta mediterrânica aconselha o consumo de muitos destes alimentos e especifica a ingestão de um copo de vinho tinto por dia.

alimentação anti-inflamatória vinho - Uvinum

Neste estudo, realizado na Suécia, foram analisadas quase 70.000 pessoas de ambos os sexos, entre 45 e 83 anos. Partindo do princípio de que o sistema imunológico desencadeia a inflamação quando o corpo enfrenta uma potencial ameaça, como um químico prejudicial ou um micróbio, este processo pode tornar-se problemático quando a inflamação se converte em estado predeterminado do corpo. Os investigadores detectaram, então, que aquelas pessoas com uma alimentação repleta de alimentos anti-inflamatórios tinham 18% menos de possibilidades de morte quando comparadas com aqueles que consumiram uma menor quantidade destes alimentos.

O estudo também concluiu que em relação aos fumadores, praticar uma alimentação anti-inflamatória aumentava as possibilidades de sobrevivência.

Outros benefícios do vinho

benefícios do vinho - Uvinum

  • Aumenta as endorfinas. Quando bebemos vinho libertamos endorfinas e temos sensação de relaxamento.
  • Antioxidantes. Os polifenóis das uvas proporcionam uma acção antioxidante, verdadeiramente importante, que desacelera o envelhecimento da pele; que se renova e aumenta a textura lisa.
  • Combate as infecções urinarias. Graças à sua quantidade de vitaminas e minerais e aos antioxidantes evita que as bactérias fiquem aderidas à bexiga ou aos rins, melhorando a função de filtragem e a depuração destes órgãos.

O que precisa de saber sobre tendências e restaurantes

Não temos uma varinha mágica para conhecer aquilo que será a gastronomia mas, analisando as modas e aquilo que detectamos nos restaurantes, podemos ter uma ideia daquilo que virá a nível de tendências dos restaurantes. Vamos saber?

Tendências em restauração - Uvinum

Tendências em restauração

Apostar em produtos locais

É algo actual, e que continuaremos a ver nos próximos anos. O gosto por aquilo que é ecológico estende-se aos produtos da terra e da região, e se for de um produtor que conhecemos, ainda melhor. A alimentação saudável une-se à economia da zona.

Flexitarianismo

É uma tendência estabelecida pelos responsáveis da Feira Internacional de Restauração, Hotelaria e Alimentação – Sirha, celebrada em Lyon de 26 a 30 de Janeiro – e que segue quatro conceitos: consciência, bem-estar, territorialidade e experiência aumentada. Esta tendência alimentar integra a presença de vegetais e também de peixe fresco, baseando-se na saúde mas sem chegar a extremismos.

O que precisa de saber sobre tendências e restaurantes - Uvinum

Saúde

Une-se aos dois pontos anteriores. Já são muitos os sítios onde se oferece comida vegetariana e vegana paralelamente aos pratos tradicionais, já que assim o grupo que procura um restaurante pode encontrar uma diversidade saudável. Também no mundo do vinho esta tendência cresce através dos vinhos ecológicos e veganos.

Responsabilidade

Outra tendência estabelecida pela Sirha. Quando nos referimos a restauração, este conceito procura o modo como se produz, conserva, transporta e consome, sempre sem alterar o Meio Ambiente, optando por soluções ecológicas e sustentáveis.

Criar momentos

Há já tempo que os consumidores procuram mais do que um almoço ou jantar fora de casa. Aquilo que desejam é um verdadeiro ritual de emoções formado pelo produto, o menu e o ambiente. Um verdadeiro desafio para os donos dos restaurantes que necessitam criar lugares muito especiais.

Um site prático

Esta tendência explica a era digital em que vivemos. As reservas online e as entregas a domicílio já são algo quotidiano em que os restaurantes devem estar presentes para aumentar a sua facturação. Para isto é necessário poder contar com um site prático, em que as reservas e os pedidos possam ser feitos com apenas um click e através de um telemóvel.

O vinho mais antigo do mundo: como é?

Os amantes do vinho não procuram apenas notícias para conhecer mais deste mundo, também se interessam pelas curiosidades. Por exemplo: soube-se há pouco tempo que o vinho mais antigo do mundo tem cerca de 8.000 anos. Parece ser que a primeira vinificação do mundo, encontrada nas escavações de Geórgia, data do período neolítico, por volta de 6000 a.C.

Os investigadores da Universidade de Toronto e do Museu Nacional de Georgia trabalharam a cerca de 50Km de Tbilisi, a capital georgiana, em dois sítios com vestígios do Neolítico: Gadachrili Gora e Shulaveris Gora. Foram encontrados restos de cerâmica utilizadas entre 6.000 e 4.500 a.C. Os responsáveis por esta investigação acreditam que estão perante o exemplo mais antigo da utilização da videira eurasiática, de crescimento espontâneo, na produção de vinho. Isto porque os jarros encontrados nas escavações foram submetidos a análise e no seu interior encontraram-se restos de ácido tartárico, o composto que permite identificar as uvas e o vinho.

As zonas da escavação, efectuada pela Universidade de Toronto e pela equipa do Museu Nacional da Geórgia, correspondem a duas aldeias datadas do Neolítico.

Os investigadores confirmam que a cerâmica era ideal para armazenar bebidas fermentadas e que foi criada durante o período do Neolítico. Esta equipa explicou também que beber e oferecer vinho era extremamente importante em muitos aspectos da vida da época, especialmente em actos religiosos e celebrações.

Para além de outras conclusões resultantes das análises dos achados, sabe-se agora que a Vitis vinifera abundava nestas regiões, que hoje em dia são grandes produtoras de vinho de alta qualidade, da Itália e do Sul de França.

 

 TAGS:Papa Figos 2015Papa Figos 2015

Papa Figos 2015

 

 

 TAGS:Piorro Reserva Grande 2009Piorro Reserva Grande 2009

Piorro Reserva Grande 2009

Do vinho azul ao vinho verde

 TAGS:undefinedAinda que a tradição seja muito importante para os amantes do vinho, a inovação também é uma característica a apreciar. É por essa razão, que as adegas mais novas trabalham para desenvolver novas receitas e fórmulas capazes de surpreender inclusive os paladares mais especializados, não apenas através do sabor, mas também utilizando a cor.

Há um ano falámos do nascimento do Gik Live, o primeiro vinho azul do mundo, criado por jovens empreendedores do País Vasco.

Agora queremos apresentar-vos o vinho verde: uma bebida que une os efeitos embriagantes do álcool e os da cannabis.

O verdadeiro nome desta bebida é Canna Vine, e consiste num vinho de cânhamo destilado, produzido na Califórnia, o único lugar do mundo em que a sua venda é permitida. O consumo da bebida está regulado e a venda é destinada, exclusivamente, para uso terapêutico, com receita médica.

A actual fama do vinho verde deve-se a celebridades como a cantora Melissa Etheridge, ou a apresentadora Chelsea Handler, que admitiram publicamente consumir este vinho, desde que recebem os seus respectivos tratamentos de quimioterapia. Esta bebida está tão adaptada aos seus estilos de vida que já não a consideram uma parte do tratamento, mas sim um elemento que faz parte do dia-a-dia, chegando mesmo a servi-lo durante jantares nas suas casas, tal como confessou a cantora Etheridge, numa entrevista publicada pela revista Bon Appetit.

Pensa-se que, futuramente, a bebida será comercializada livremente, sempre que as leis dos diversos países o permitam. No entanto, o seu elevado preço – 120 e 400 dólares por garrafa – representa uma restrição para a imensa maioria dos bolsos, e pelo qual se considera uma bebida de luxo.

Ainda assim, a oferta de vinho verde produzido na Califórnia, aumenta diariamente, seja através de adegas especializadas que abrem caminho por entre as grow shops medicinais, como pelas adegas que deram fama aos vinhos desta região americana.

 TAGS:Gïk Live (vinho azul)Gïk Live (vinho azul)

Gïk Live (vinho azul)

 

 

 TAGS:Pasion Blue Chardonnay (vinho azul) 2015Pasion Blue Chardonnay (vinho azul) 2015

Pasion Blue Chardonnay (vinho azul) 2015

Para viver 110 anos, um gole de whisky por dia

 TAGS:undefinedO habitual é pensar que o facto de viver muitos anos está unido a uma vida saudável, uma alimentação equilibrada e actividade física regular.

Não obstante, e ainda que estes factores sejam absolutamente necessários, as pessoas mais longevas do mundo referem que o álcool faz parte da sua dieta diária, e pensam que este hábito as ajudou a viver tanto tempo.

Grace Jones, é a décima pessoa mais velha do Reino Unido. Tem 110 anos e “confessou” que o segredo da sua longevidade é tomar um pequeno gole de whisky todas as noites. “ Nunca salto o meu copo noturno e é o único que tomo”. Conta a Senhora Jones, que há 60 pratica este costume. “O whisky faz bem à saúde. Comecei a tomá-lo quando fiz 50 anos, nunca mais parei nem tenho intenção de o fazer. O médico disse-me que continuasse a fazê-lo já que é bom para o coração”.

Sabe-se que Grace Jones não é uma excepção; uma mulher de 102 anos acredita que a sua idade é consequência do consumo de cerveja, e um produtor espanhol de vinho, com 107 anos, garante que os seus anos de vida se devem ao consumo diário de vinho.

Jones festejou o seu aniversário no passado mês de Setembro, juntamente com a sua filha de 78 anos, os amigos, comidas, bebidas e o seu costumado gole de whisky. G.J. nasceu em 16 de Setembro de 1906 em Liverpool. Recebeu sete cartas de parabéns da Rainha de Inglaterra, e pelo visto, virão mais.

 TAGS:Lagavulin 16 AnosLagavulin 16 Anos

Lagavulin 16 Anos

 

 

 TAGS:The Yamazaki Distiller's ReserveThe Yamazaki Distiller’s Reserve

The Yamazaki Distiller’s Reserve

Estudos: os lémures e o álcool

 TAGS:undefinedAlgumas espécies de animais ingerem álcool de modo espontâneo, através da fermentação da fruta e de outros alimentos no seu habitat natural. Um rasgo que muitos pensamos ser exclusivamente humano, mas na verdade é partilhado com determinadas espécies de primatas prossímios, como os lémures, os aie-aie ((Daubentonia madagascarienses) e os lóris lentos.

Um estudo efectuado pelos cientistas de Dartmouth College, em New Hampshire, nos EUA, revelou recentemente, tal como informa o portal Sciencealert.com, que estas espécies de primatas mostram uma clara preferência pelo álcool de graduação mais elevada. Os animais utilizados na investigação foram capazes de detectar a concentração de álcool, optando normalmente pelo teor alcoólico mais alto.
Apesar do que possa parecer, o objectivo da investigação não era o de embebedar os pequenos animais, mas sim averiguar qual o tipo de alimentos fermentados que preferiam. Deste modo seria possível compreender melhor como funciona a digestão dos néctares, sumos e fruta fermentada de forma natural.

O investigador principal do estudo, Samuel Gochman, explicou: “Ainda que a hipótese mais forte seja a de que o álcool é tóxico, que afecta negativamente o controle motor, a sobrevivência e a forma física, no entanto, as calorias derivadas são uma fonte importante para os primatas de elevado metabolismo, pelo que, do ponto de vista nutritivo, pode ser benéfico consumir quantidades moderadas de álcool, especialmente para as espécies que desenvolveram um sistema digestivo capaz de decompor eficientemente o álcool, tal como a nossa”.

Para o estudo foi utilizada uma solução de sacarose, oferecida aos lémures, que simulava o néctar que encontram no seu habitat natural, e com diferentes concentrações de álcool; desde 0.0 até 5.0%. Os resultados demonstraram que os animais preferiram as soluções mais concentradas, chegando inclusive a esvaziar completamente os recipientes.

O mais surpreendente, é que nenhum dos “participantes mostrou sintomas de intoxicação durante a experiência, mantendo os níveis habituais de coordenação e comportamento, algo que talvez possa ser explicado pela adaptação evolutiva, e que apoia a teoria de que os alimentos fermentados desempenharam um papel importante na alimentação dos nossos antepassados.

 

 TAGS:Quinta de Cabriz Selected Harvest 2014Quinta de Cabriz Selected Harvest 2014

Quinta de Cabriz Selected Harvest 2014

 

 

 TAGS:Herdade da Bombeira 2012Herdade da Bombeira 2012

Herdade da Bombeira 2012

3 filmes em que o Champanhe é protagonista

 TAGS:undefinedTal como uma taça de bom champanhe, a sétima arte constitui um prazer para os sentidos, e a verdade é que esta bebida já gozou alguns momentos de glória no grande ecrã. Existem pelo menos 3 filmes de referência em que o Champanhe actuou como protagonista.

James Bond: Já é um clássico no Reino Unido, e talvez também no mundo inteiro. O glamour e a exclusividade estão presentes em cada um dos filmes da saga, portanto, não podia faltar o Champanhe. O nosso espião tem bom gosto: Bollinger e Dom Pérignon, pois claro!

Champagne: Evidentemente que este filme tinha que estar na lista. A famosa obra do realizador Alfred Hitchcock, um filme mudo que decorre nos anos 20, conta-nos a história de uma rapariga que gozava de uma boa vida devido ao negócio do seu pai; o champanhe. O início e o final de este filme é constituído pela conhecida imagem de uma grande taça de champanhe, uma imagem copiada inúmeras vezes ao longo do percurso cinematográfico.

O Grande Gatsby: Do cinema actual, existe esta versão baseada na obra de F. Scott Fitzgerald, em que Leonardo DiCaprio desempenha o papel protagonista: Gatsby. O champanhe estava presente em todas as grandes festas representadas no filme, já que não podia faltar espumante nas diversões da época. Ainda que o livro de Scott Fitzgerald não mencione nunca qualquer tipo de Casa ou marca específica, os guionistas do filme de 2013 decidiram adoptar a marca Moët & Chandon, que aparece ao longo de todo o filme. No fundo, são mais de 2h de publicidade à casa francesa.

“Muito de seja o que for talvez seja mau, porém, muito champanhe é exactamente aquilo que se necessita”.

 

 TAGS:Moët & Chandon Brut ImpérialMoët & Chandon Brut Impérial

Moët & Chandon Brut Impérial

 

 

 TAGS:Moët & Chandon Ice ImpérialMoët & Chandon Ice Impérial

Moët & Chandon Ice Impérial

De onde vem a palavra whisky?

 TAGS:undefinedA palavra apareceu no princípio do séc. XVIII, como sendo uma tradução do gaélico ao termo latino aqua vitae – água da vida- que em língua celta se diz uisge beatha, ainda que provavelmente o seu uso venha de séculos atrás.

Na verdade, whisky, é um entre os muitos termos adaptados à grafia e pronuncia inglesa que se utilizaram até aos meados de 1700, quando aparecem os primeiros escritos a utilizar a palavra tal como chegou aos nossos dias, e agora utilizado apenas para designar os destilados de grão e cereais da Irlanda e EUA, que porém, na sua origem era usado sem distinção entre whisky e whiskey.

Ainda que a destilação de whisky provenha dos antigos celtas, as primeiras referências escritas aparecem apenas no final do séc. XV, quando os monges escoceses utilizavam o whisky como sendo uma bebida medicinal.

Existe a teoria de que a diferença entre whisky e whiskey, deriva do empenho a que se lançaram as destilarias dos EUA e da Irlanda, por volta de 1870, para se distinguirem das destilarias escocesas, que naquela época produziam um destilado considerado de qualidade inferior.

Seja ou não, a explicação correcta, a verdade é que hoje em dia, o segundo termo é utilizado para os destilados produzidos na Irlanda (cevada e destilação tripla) e nos EUA (de milho e adição de trigo, centeio ou cevada maltada).

O termo whisky reserva-se para os escoceses, elaborados com cevada maltada, e para os canadianos (de centeio e milho), para além daqueles que são produzidos no País de Gales e no Japão, que seguem o processo de elaboração dos whiskies escoceses.

Outro tema, é o uso do termo abreviado “scotch”,que se refere exclusivamente aos whiskies da Escócia.

 TAGS:Glenmorangie SignetGlenmorangie Signet

Glenmorangie Signet

 

 

 TAGS:Lagavulin 16 AnosLagavulin 16 Anos

Lagavulin 16 Anos