4 cocktails de vinho perfeitos para o bom tempo

 TAGS:undefinedÉ certo que o Verão ainda não chegou mas a Primavera também é um bom momento para dar as boas-vindas a um clima mais temperado com bons cocktails, simples e refrescantes. Aqui ficam algumas receitas que certamente irá querer provar:

1. Sumo de lima com vinho tinto e morangos frescos
Tal como em outras estações, na Primavera surgem determinadas frutas que começam a estar disponíveis nos mercados. O aparecimento dos morangos é uma boa razão para entrar nesta estação com um bom cocktail na mão. Misture duas partes de sumo de lima e uma parte de vinho tinto num copo com morangos frescos. Em vez de usar gelo, congele a fruta para manter o cocktail fresco.

2. Sangria picante para uma Primavera fresca
A sangria é provavelmente uma das bebidas de vinho mais populares da Península e com centenas de receitas diferentes. Enquanto esperamos pelo Verão, ainda podem chegar alguns dias de Primavera mais frios. Para aquecer, experimente esta receita de sangria.

Ingredientes:

  • Vinho tinto
  • Bourbon de Kentucky
  • 1 limão
  • 1 laranja
  • 1 pauzinho de canela
  • 1 maçã
  • Xarope de açúcar

Corte a fruta em rodelas e coloque-a numa jarra de vidro juntamente com o pau de canela. Encha a jarra (até ? da sua capacidade) com o seu vinho tinto preferido e adicione aproximadamente 2 colheres de xarope de açúcar. Depois junte o bourbon à sangria- cerca de 1 onça por pessoa.

3. Spritzer de vinho branco clássico
Um dos cocktails de vinho branco mais fáceis de elaborar, para além de ser ideal se procura frescura num dia já quente. Apenas necessita de vinho branco e refresco de soda. Junte-lhe um toque de lima para dar um pouco de acidez.

4. Vodka Martini com um toque de limão e lima
Outro cocktail clássico que pode transformar usando igualmente Martini mas misturando-o com vodka. Para lhe fornecer um toque de acidez e decorar o copo, coloque uma rodela de limão e outra de lima ao terminar o cocktail.

Com estes simples cocktails de vinho pode despedir-se do Inverno e preparar-se para melhor clima. E já agora, prove alguns dos nossos vinhos nas suas receitas de cocktails desta Primavera.

 

 

 TAGS:Quinta de Arcossó Branco 2017Quinta de Arcossó Branco 2017

Quinta de Arcossó Branco 2017

 

 

 TAGS:Carm Reserva 2016Carm Reserva 2016

Carm Reserva 2016

Vinho e Fast food; combinação possível?

 TAGS:undefinedOnde está escrito que não se pode combinar pizza ou cachorro-quente com um bom vinho ? Esta é uma das versatilidades do vinho, o poder ser combinado com um número de pratos quase infinito. E isto é dito pelos especialistas como Nicolás Boise, escanção do Restaurante Mugaritz, que afirmou ao jornal El País que o fast food é perfeitamente harmonizável com vinho.

Mas que tipo de harmonizações podemos realmente fazer? Depende, sobretudo, dos ingredientes. No caso do cachorro-quente, depende do tipo de salsicha, dos molhos, do queijo e da mostarda.
Os cachorros-quentes básicos (com mostarda e ketchup apenas) vão bem com vinhos brancos , tipo Gewürztraminer . Se lhe adicionarmos cebola estaladiça, então o lugar é do rosé ou do espumante.

Hoje é dia de pizza e vinho! A cerveja não é a única bebida que pode acompanhar a pizza, o vinho rosé também é uma boa opção, assim como os tintos do ano. Se a pizza tiver anchovas (algo que cada vez se vê menos) podemos escolher um vinho branco para equilibrar o sabor, e se o prato forte for um churrasco, é recomendável um vinho tinto mais encorpado, como um Merlot.

As sobremesas de chocolate acompanham perfeitamente muitos tipos de vinho. Muitos dos batidos servidos em sítios de comida rápida são bastante enjoativos, e se já começou o seu jantar com vinho, pode continuar até à sobremesa.
Na verdade já se efectuam algumas provas de vinho e chocolate, que potenciam ao máximo estes sabores, e os favoritos são os vinhos tintos .
Para pratos fortes com especiarias, como o kebab, a melhor combinação é um vinho intenso. Para os hambúrgueres, também os tintos são os preferidos.

 

 TAGS:Soalheiro Alvarinho 2016Soalheiro Alvarinho 2016

Soalheiro Alvarinho 2016

 

 

 TAGS:Titular Jaen 2014Titular Jaen 2014

Titular Jaen 2014

O vinho na dieta mediterrânica

 TAGS:undefined

Já são bem conhecidos os diversos benefícios que proporciona o seguimento da alimentação mediterrânica. Previne as doenças relacionadas com o coração, elimina o colesterol mau e fornece os nutrientes necessários ao desenvolvimento do organismo e dos processos mentais

O vinho está incluído nesta dieta, em qualquer das duas refeições principais, já que é uma bebida que oferece vários benefícios.

A Fundación Dieta Mediterránea reconhece que “o vinho é uma bebida a que tradicionalmente se associaram tanto efeitos bons como prejudiciais para a saúde. O factor que determina a inclinação da balança para um lado ou outro é o consumo diário e o tipo de alimentação seguido”.

“Os maiores benefícios são conseguidos quando o consumo é moderado e se encontra incluído num padrão dietético saudável como a dieta mediterrânica”, explica Ramón Estruch, um dos coordenadores do grupo de investigação Predimed, do Centro de Investigación Biomédica en Red Fisiopatología de la Obesidad y Nutrición (CIBERobn)

Assim, a importância do vinho nesta dieta é elevada. Quando falamos de consumo moderado, é necessário sublinhar que a quantidade máxima para os homens é de três copos por dia, e para as mulheres um copo e meio.

O catálogo e guia da Fundación Dieta Mediterránea indica que a água é a bebida do Mediterrâneo por excelência, logo é básica, enquanto que o vinho deve ser tomado com moderação e acompanhando as refeições. Ao ser um elemento tradicional nesta dieta, o vinho pode ter efeitos benéficos para a saúde, sempre que a moderação seja levada em conta. O ideal é que o vinho seja incluído num contexto alimentar com produtos de época, verduras, cereais, peixe, carnes vermelhas (moderadamente), fruta fresca e fruta seca, lácteos e azeite virgem.

É preciso não esquecer que esta alimentação deve ser acompanhada de exercício físico…

 TAGS:M:O.B Dão 2011M:O.B Dão 2011

M:O.B Dão 2011

 

 

 TAGS:Monte da Penha Grand Reserva 2005Monte da Penha Grand Reserva 2005

Monte da Penha Grand Reserva 2005

 

 

O vinho sem dor de cabeça

 TAGS:undefinedAinda que não suceda a todos, após beber vinho, algumas pessoas sentem dor de cabeça, o que normalmente se deve a alergias provocadas pela histamina da fermentação da uva, algo que sucede cada vez mais em muitos vinhos.

Porém, agora há uma boa notícia: foi criado um vinho elaborado sem esta molécula, a histamina. Este vinho foi produzido através da investigação da Universidad Politécnica de Madrid (UPM) e da Universidad de Valencia, e teve uma grande repercussão, incluindo a sua publicação no International Journal of Food Microbiology.

O estudo assenta na base de que as bactérias seleccionadas conseguem deslocar, naturalmente, as comunidades de bactérias produtoras de histamina; aquilo que provoca a alergia. Deste modo, a fermentação não é gerada nesta composição.

Parece ser que a histamina provoca várias reacções alérgicas; redução de tensão arterial, pele vermelha e dor de cabeça, problemas que são habitualmente incómodos e levam muita gente a dizer “não” ao vinho.

Este vinho é realmente uma grande descoberta, já que a histamina é cada vez mais utilizada na elaboração de vinhos e talvez este estudo consiga provar que não é um componente tão necessário.

Os responsáveis pela investigação explicam que a redução dos níveis de histamina é benéfica a nível da segurança alimentar do vinho.

Sobre o estudo

A investigação teve início por volta de 2010, e para tal foram utilizados dois depósitos de características semelhantes. Enquanto que em um deles se elaborou a fermentação maloláctica, com estirpes de bactérias lácticas não produtoras de histamina, no outro depósito utilizaram-se os procedimentos habituais. Pouco a pouco verificou-se a produção do efeito biológico de deslocação das bactérias produtoras de aminas biógenas.

 

 

 TAGS:Elpenor 2011Elpenor 2011

Elpenor 2011

 

 

 TAGS:Clama Reserva 2011Clama Reserva 2011

Clama Reserva 2011

 

 

Cocktails com whisky

 TAGS:undefinedLonge das combinações ligeiramente picantes, ou refrescantes e com cítricos, do Verão, nesta época do ano apetecem cocktails mais consistentes. Trazemos-lhe algumas recomendações de cocktails com whisky. Preparados?

O cocktail Manhattan é já bem conhecido por todos: 2 partes de whisky, 1 de vermute, dois toques de Bitters e gelo picado. A sua preparação é extremamente fácil, basta misturar o whisky e o vermute e adicionar-lhe gelo picado. Depois vai-se juntando um pouco de Bitters. Pode ser decorado com uma cereja.

O cocktail Esmeralda leva whisky irlandês e uma parte de vermute italiano. Depois mistura-se um pouco de laranja amarga ou de limão, que fica ao gosto de cada um. Não há qualquer mistério na sua preparação, basta agitar a mistura num shaker.

O café irlandês é o verdadeiro clássico desta época do ano, e a verdade é que apetece mesmo a seguir a uma copiosa refeição. Para preparar este cocktail necessita 2 partes de whisky irlandês, 5 a 6 partes de café, açúcar e creme de leite ou leite normal. Primeiro deve misturar o whisky com o café e o açúcar, depois junte uma capa de creme previamente batido. Também se pode servir com natas por cima. Antes de o tomar, misture.

Chai Limantour é um cocktail doce e não muito conhecido. A fórmula é a de juntar whisky, leite gordo e leite evaporado, licor de whisky e xarope de especiarias.

November Rain é um cocktail criado por Javier de las Muelas. Nesta textura fina e cremosa, o whisky continua a ser o protagonista. Tome nota: whisky Maker’s Mark, umas gotas de Droplets Tonka Bean, gelado de torrão e licor de chocolate preto. É muito fácil de preparar; bata todos os ingredientes num shaker Boston durante 10 segundos e, depois, pode decorar com alguns grãos de café. É aconselhável prová-lo em alguma das casas de cocktails de Javier de las Muelas, em Barcelona e Madrid.

 TAGS:Jameson Select ReserveJameson Select Reserve

Jameson Select Reserve

 

 

 TAGS:Johnnie Walker Double BlackJohnnie Walker Double Black

Johnnie Walker Double Black

 

 

Como escolher o melhor vinho para o seu peixe

 TAGS:undefinedO peixe é um dos alimentos mais saudáveis para o organismo. Nutritivo, com benefícios para o coração, vitaminas e minerais. Como é aconselhável integrá-lo na nossa alimentação ao longo de todo o ano, também é bom saber que é um excelente alimento para acompanhar com vinho.

Vinho branco
É completamente indicado para acompanhar o peixe e outros produtos do mar; com arroz de marisco, peixe branco… Especialmente o vinho verde ou sauvignon blanc. Os brancos afrutados, frescos e aromáticos são os melhores. A uva moscatel também é bastante apreciada na cozinha e com todo o tipo de peixe.

Vinho rosé
Juntamente com o vinho branco, o vinho rosé é outra grande opção quando nos decidimos por pratos de peixe, seja ele branco ou azul. Por exemplo, o bacalhau, o salmão e o salmonete podem ser regados com um rosé mais encorpado e intenso.

Vinho tinto
Sim. Os tintos também são para peixe. Essa “certeza” dos tintos para a carne e os brancos acompanham o peixe, já passou à história. Especialmente quando nos referimos a peixe azul, como o atum, recomendam-se os tintos jovens. Se o seu sabor for frutado, ainda melhor. O peixe fumado também se faz acompanhar por tintos, já que o sabor do peixe é avivado pelo vinho.

Vinhos para marisco
As ostras, por exemplo, vão bem com vinho branco e espumante, ainda que o cava seco é a melhor bebida para as acompanhar.
Por outro lado, o polvo precisa de vinhos mais fortes, um tinto pode ser uma boa opção. Nos últimos tempos, a harmonização de vinho e peixe cresce em opções e experiências…

 

 

 TAGS:Quinta de Linhares Azal Branco 2016Quinta de Linhares Azal Branco 2016

Quinta de Linhares Azal Branco 2016

 

 

 TAGS:Soalheiro Alvarinho 2016Soalheiro Alvarinho 2016

Soalheiro Alvarinho 2016

2 Sopas de cerveja

 TAGS:undefined

Diz-se que é a terceira bebida mais consumida no mundo, a seguir à água e ao chá. Mas seja ela loura, morena ou negra, a cerveja possui uma longa tradição que a considera um alimento.

A sua composição é exactamente igual à do pão. As primeiras cervejas eram feitas com farinha de cereais fermentada, uma constituição muito semelhante à do pão. A única variável culinária era a proporção de água: com mais farinha fazia-se pão, e com mais água, cerveja.

 TAGS:undefined

Talvez por isso lhe chamassem o “pão líquido”. Muitas vezes, o pão, já cozido, era mergulhado em água para que fermentasse. O resultado era uma espécie de sopa, um líquido denso e doce com graduação alcoólica (o que explica a sua fácil conservação), que, para além de ser um alimento, tinha a vantagem de ser também água desinfectada, algo difícil de obter na época.

As sopas de cerveja chegam com o Outono e o Inverno. Bom apetite!

Sopa de cerveja e aipo

Ingredientes:

  • 2 colheres de sopa de farinha
  • 1L de cerveja
  • 2 dentes de alho
  • 2 cebolas
  • 2 cenouras
  • 1 aipo
  • 1 colher de manteiga
  • azeite
  • pimenta
    sal

Preparação:

– Lavar as verduras e retirar a casca das cenouras. Cortar em pedaços pequenos.
– Colocar o azeite com a manteiga numa panela e refogar as verduras.
– Quando estiverem douradas juntar a farinha mexendo continuamente.
– Adicionar a cerveja e o alho e temperar com sal e pimenta.
– Cozinhar durante uma hora e servir bem quente com pão torrado ou fresco.

Sopa de cerveja alemã (Biersuppe)

Ingredientes:

  • 300ml de cerveja tipo Pilsen
  • 300ml de cerveja tipo Malzbier
  • Meio litro de leite
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 150g de queijo creme
  • 1 ovo batido
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de açúcar
  • 50g de passas pretas

Preparação:

– Misturar as duas cervejas numa panela e aquecer.
– Deixar ferver o leite em outra panela maior. Uma vez fervido, misture as cervejas.
– Misturar a farinha de trigo com o queijo creme e adicionar ao leite com as cervejas.
– Cozinhar até engrossar e temperar com sal e açúcar.
– Retirar a panela do lume e juntar o ovo batido, misturando rapidamente.
– Servir com as uvas passas.

As nossas recomendações de cervejas na Uvinum:

 TAGS:Paulaner 50clPaulaner 50cl

Paulaner 50cl

 

 

 TAGS:OrvalOrval

Orval

Uma cerveja por dia pode ajudar a reduzir o risco de ataque cardíaco

 TAGS:undefinedO título já diz tudo: uma cerveja por dia pode ajudar a reduzir o risco de sofrer um ataque cardíaco e outros problemas cardiovasculares. Esta foi a conclusão do estudo apresentado pela Universidade Estatal da Pensilvânia, durante a última reunião da Associação Americana do Coração, a maior referência de cardiologia do mundo.

O estudo baseou-se na análise de amostras de sangue de 80 mil adultos, analisadas juntamente com os seus hábitos de consumo de bebidas alcoólicas durante cada trimestre dos últimos seis anos. Estas amostras de sangue permitiram que os investigadores medissem, entre outros factores, os níveis de lipoproteína de alta densidade. São precisamente os níveis saudáveis desta lipoproteína (mais conhecida como “colesterol bom”) que ajudam a prevenir a obstrução das artérias, uma das principais causas dos acidentes vasculares cerebrais e das doenças cardiovasculares.
Os resultados demonstram que as pessoas com consumo moderado de álcool, mantêm um nível saudável de “colesterol bom”. Este efeito positivo foi mais notado nas amostras de sangue dos consumidores habituais de cerveja do que naqueles que consumiam outras bebidas alcoólicas.
Trata-se, sem dúvida, de um argumento que suporta a conclusão dos benefícios de consumir uma cerveja diária. “Uma razão para levantar o braço e brindar, ainda que, provavelmente, seja melhor fazê-lo apenas uma vez”, diz Shue Huang, o autor principal deste estudo.
Ainda que este seja um dos maiores estudos nesta área, não é o único. Na verdade, na Uvinum já tínhamos falado sobre os efeitos positivos do consumo moderado de cerveja, em outros artigos: desde as suas qualidades estimulantes na actividade cerebral e na memória, até à redução dos problemas de saúde como as doenças cardiovasculares, artrite ou mesmo o envelhecimento da pele.

Não há dúvida de que esta notícia alegra todos aqueles que saboreiam uma cerveja fria com os seus amigos, depois do trabalho. Por eles: Tchim-tchim!

 TAGS:Rochefort 6Rochefort 6

Rochefort 6

 

 

 TAGS:Westvleteren 12Westvleteren 12

Westvleteren 12

Harmonizar com vinho do Porto

 TAGS:undefinedOs vinhos do Porto são sinónimo de qualidade. Fazem parte dos vinhos mais conhecidos na Europa e podem ser combinados em numerosas ocasiões com diferentes pratos. São excelentes para eventos e cocktails, já que podem ser usados com todo o tipo de aperitivos. Com salmão fumado ou tâmaras, saladas e petiscos, também os Portos brancos são extremamente recomendáveis sendo servidos bem frios!

Para massas e peixe, o branco continua a ser o melhor. Por outro lado, os pratos de carnes, patês e especiarias pedem o acompanhamento de um Porto tawny, envelhecido em madeira.

Evidentemente que também os queijos são perfeitos para acompanhar um Porto, especialmente durante uma prova de queijos que inclua queijos curados, alguns azuis e, mesmo, Roquefort.

Em relação a sobremesas, o cheesecake é bastante aconselhável, e se pretende o toque doce e algo amargo do chocolate preto, escolha um Porto jovem e frutado. E os vinhos do Porto também se escolhem depois das refeições: café+um tawny de 20 anos, e, se apetecer um charuto, tenha em conta um porto vintage.

Quando nos referimos a vinhos vintage, é importante salientar que estes são vinhos de colheitas submetidas a envelhecimento de dois anos em barril de madeira e, como tal, são grandes vinhos para harmonizar tanto com carnes como chocolate.

O late bottle vintage é elaborado à semelhança do vintage, mas tendo mais tempo em barril.

 TAGS:Sandeman RubySandeman Ruby

Sandeman Ruby: Vinho do Porto com Tinta barroca, Touriga franca, Tinta cão, Tinta amarela, Tinta roriz y Touriga nacional. Graduação alcoólica de 19.5º. 

 

 

 TAGS:Ferreira TawnyFerreira Tawny

Ferreira Tawny: Vinho do Porto com Denominação de Origem. a partir de las variedades Tinta barroca, Touriga franca, Tinta amarela, Tinta cão, Bastardo, Tinta roriz,Touriga nacional.19.50º de graduação alcoólica. 

Harmonização de vinhos e queijos do mundo

 TAGS:undefinedDurante séculos, queijo e vinho, foram servidos para deleitar os paladares mais exigentes. Embora se possa dizer que estes dois sabores são totalmente opostos, é, precisamente, por essa razão que os dois casam tão bem; o sabor da proteína do queijo e a acidez do vinho podem chegar a formar um duo absolutamente perfeito. Hoje trazemos-lhe as melhores harmonizações, para que seja o juiz do seu próprio gosto.

Harmonizações com queijo Brie, Tomme e outros queijos cremosos
São suaves e cremosos e com uma casca completamente comestível. A sua textura amanteigada deixa vestígios de proteína na língua e, como tal, os melhores vinhos para o acompanhar são aqueles que “limpam”, ou seja; que reestruturam o paladar devido à sua acidez, carbonatação ou taninos.
Estes queijos, de sabores delicados são indicados para vinhos de sabor igualmente subtil ou ligeiramente frutado (vinho Chardonnay, vinho Pinot Noir, vinhos Espumantes, vinho Riesling Schiava seco, entre outros.)

Harmonizações com Chèvre e outros queijos de cabra
Os queijos de cabra são inconfundivelmente frescos e de sabores alternados, entre o azedo e o terroso, que dependem do tempo de cura. Estes sabores intensos são recomendáveis para vinhos encorpados, especialmente, aqueles que envelheceram em madeira de carvalho e que podem fornecer alguma oxidação ao processo. O Sauvignon Blanc, Chenin Blanc ou uma Mescla Bordeaux (Cabernet-Merlot) são boas opções.

Harmonizações com queijos suíços
São queijos duros ou semi-duros e de textura cremosa com sabores a noz e amêndoa. Fáceis de harmonizar com uma grande variedade de vinhos. Brancos com notas doces, ligeiramente amargos e de acidez média: Riesling, Pinot gris, Syrah, Madeira ou Porto.

Harmonizações com queijo “manchego” e outros queijos de ovelha
Queijos duros, na sua maioria, de Portugal e Espanha, extremamente versáteis para harmonizar, ou seja: será difícil errar na sua escolha. Experimente vinhos da Península Ibérica como Verdejo, Cava Rosé, Tempranillo, Vinho Verde, Grenache ou Alicante Bouschet.

 TAGS:Barbeito 3 Years DryBarbeito 3 Years Dry

Barbeito 3 Years Dry

 

 

 TAGS:Graham's 10 YearsGraham’s 10 Years

Graham’s 10 Years