As zonas vitivinícolas alemãs (I/III)

 TAGS:undefinedOs vinhos alemães já fazem parte de uma longa tradição e cada vez obtêm maior presença no mercado internacional de vinho. Para conhecer os seus vinhos é necessário saber quais são as principais regiões produtoras de vinho na Alemanha.

São 13, as zonas com uma extensão média de 100.000ha e a grande maioria concentra-se a Sul e Sudoeste, dadas as condições climáticas que permitem melhores resultados.

As castas principais são a Riesling e a Müller-Thurgau; as mais vendidas e exploradas a nível comercial, que apresentam vinhos frescos, na sua maioria brancos. A exportação dos vinhos alemães na Europa é feita principalmente para a Grã-Bretanha, fora do continente é vendido sobretudo nos EUA.

Algumas das suas regiões vinícolas são: Ahr, Baden, Franken, Hessische Bergstraße, Mittelrhein, Nahe, Pfalz, Rheinhessen, Saale-Unstrut e Württemberg.

Comarca vinícola de Ahr

As paisagens desta região têm como protagonista o rio com o mesmo nome. O Ahr possui 552ha de superfície plantada de vinha. A grande maioria da produção concentra-se nos vinhos tintos das castas Spätburgunder, Portugieser (que os ampelográfos suspeitam ter origem portuguesa e mais concretamente, no Porto), Dornfelder e Frühburgunder. A uva branca mais utilizada é a Riesling, que ocupa cerca de 41ha de plantação.
A maior parte dos produtores desenvolve uma atividade secundaria, ainda que se denote um crescimento a nível de uma nova geração de viticultores, o que provoca a reactivação do sector.

Zona de Baden

Baden, com um clima mais quente e paisagens belíssimas, é uma das melhores zonas para a produção de vinho. 60% do seu cultivo diz respeito a uva branca, enquanto que o restante 40% pertence à uva tinta. A casta de maior importância é a Spätburgunder, e a sua conhecida variedade Burgunder (da família da Pinot); para além dos brancos Riesling e Müller-Thurgau. De um modo geral, o vinho encontra-se em mãos de adegas familiares e conta com 77 cooperativas de viticultores e 400 plantações de vinha.

 

 TAGS:Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013

Klumpp Cuvée N°1 Trocken 2013

 

 

 TAGS:St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014

St. Urbans-Hof Wiltinger Alte Reben Riesling Kabinett 2014

 

 

Quais são os alimentos mais afrodisíacos?

 TAGS:undefinedO chocolate, os morangos… são alimentos bem conhecidos por reavivar a paixão. Haverá mais alimentos afrodisíacos? A resposta é sim, há muitas e algumas que certamente nem conhece. Hoje mostramos-lhe algumas:

Amêndoas

Talvez pareça estranho que um fruto seco esteja entre os alimentos que afecte a libido. Mas para além das amêndoas, há mais frutos secos e podemos recordar que na obra, O Conde de Montecristo, o protagonista jantava sopa de amêndoas sempre que tinha um encontro amoroso.

Ostras

Entre os diversos moluscos com capacidade afrodisíaca (e existem vários), podemos dizer que as ostras ganham a medalha de ouro. Têm muitas propriedades benéficas para o organismo, como o zinco, que eleva a produção de esperma e de testosterona. Uma noite de prazer fica garantida.

Mel e canela

Para temperar diversos alimentos, o melhor é que seja com mel e canela, uma junção totalmente afrodisíaca e com muitos benefícios para a mente e para o corpo.

Cebola

O seu sabor é potencia a pulsão sexual, porém muitas pessoas não acham o “hálito de cebola” muito adequado para uma noite que promete. De qualquer forma, é recomendável em caso de impotência.

Vinho e cava

As bebidas são imprescindíveis para acompanhar um jantar romântico. Nada melhor que o vinho, ou as borbulhas do cava ou do champanhe para obter uma noite de sexo, principalmente o vinho tinto que proporciona uma série de vantagens ao organismo e aumenta a nossa qualidade de vida sexual.

Abacate

Utilizado por várias civilizações para potenciar o sexo, a árvore deste fruto significa “árvore dos testículos”. O abacate é rico em ácido fólico, vitamina B6, potássio, ácidos gordos Ómega-3 e ácido oleico, de modo que já sabemos que melhora o nosso estado de modo geral.

 TAGS:Pack Entre Burbujas Rose - para ella (Entre Bolhas Rose - para ela)Pack Entre Burbujas Rose – para ella (Entre Bolhas Rose – para ela)

Pack Entre Burbujas Rose – para ella (Entre Bolhas Rose – para ela)

 

 

 TAGS:Pack Fantasías Nómadas (Fantasias Nômadas) 2010Pack Fantasías Nómadas (Fantasias Nômadas) 2010

Pack Fantasías Nómadas (Fantasias Nômadas) 2010

 

Chaves para desfrutar uma prova de vinhos

 TAGS:undefinedNo mundo da gastronomia e do turismo, o prazer sensorial vai ganhando um grande protagonismo. A busca é a do prazer oferecido pela comida e pela bebida. Por essa razão, as melhores provas são aquelas que proporcionam o máximo prazer no momento de beber, por exemplo, vinho.

1. Bem rodeados. Uma cata deste tipo pede o melhor ambiente possível, seja com a família ou os amigos, o importante é que sejam pessoas que nos façam sentir bem ao mesmo tempo que saboreamos um bom vinho. Está tudo ligado: relaxamento e ambiente descontraído.

2. Divertimento. Para lá das provas profissionais, uma prova especialmente boa, procura a diversão, beber vinho por puro prazer, porque gostamos e nos entusiasma, sem obrigações.

3. Desfrutar dos sentidos. Neste tipo de prova entra, sem dúvida, a união dos sentidos. A visão, o olfato e o paladar são indispensáveis para aprender a procurar novos sabores e aromas que depois nos permitem distinguir vinhos, porém, sempre com o prazer da prova.

4. Vinhos cativantes. Segundo os especialistas, este tipo de provas são feitas com vinhos que fascinam e cativam, diferentes, talvez, ou um clássico imperdível.

5. Pode ser organizada em qualquer sítio. Ao contrário das provas profissionais, por vezes um pouco empertigadas, estas provas podem ser feitas onde o organizador queira; em casa, no jardim ou num bar, com amigos e alguém que entenda um pouco deste tema e ajude a desenvolver novos conhecimentos do paladar.

 

 TAGS:Quinta do Portal Grand Reserva 2011Quinta do Portal Grand Reserva 2011

Quinta do Portal Grand Reserva 2011: um vinhos tinto de D.O. Douro vendimiado en 2011 e 13º de teor de álcool. 

 

 

 TAGS:Carm cm 2011Carm cm 2011

Carm cm 2011: um vinhos tinto com D.O. Douro com uvas 2011.

 

 

5 destinos enoturísticos a não perder II

 TAGS:undefined

No nosso primeiro artigo sobre os melhores destinos enoturisticos, recomendámos alguns dos lugares onde o vinho é um centro de atenção cultural. Hoje, trazemos mais cinco destinos onde pode saborear a pérola dos líquidos.

1. País Vasco, Espanha

Uma das regiões onde a gastronomia tem que se lhe diga. Igualmente, os seus vinhos, e portanto, a sua localização junto às vinhas de Rioja e Navarra.
Nas suas cidades, ao longo da costa, podemos desfrutar os restaurantes com estrelas Michelín, as suas sidrerías e caseríos, onde a boa mesa é fundamental, ainda que não sejam parte de nenhum Guia conhecido.
Em San Sebastián, é recomendável visitar a Lukas Gourmet Benta-Berri, uma peculiar loja de vinhos com bar e restaurante.

2. Franschhoek, África do Sul

Os vinhos da África do Sul estão a ganhar uma grande aceitação a nível internacional. Em Franschhoek, encontram-se muitas adegas e ladeiras repletas de vinha, que desce ao encontro do rio. Existem muitos sítios para tomar um bom vinho, um deles, o Hotel Le Quartier Français, que, para além de excelentes vinhos, serve um menu com 8 pratos de inspiração africana, criados pela Chef Margot Janse.

3. Alentejo, Portugal

Esta é uma das regiões de um país onde a a gastronomia é um pilar importante da cultura.O Alentejo possui milhares de vinhas e uma gastronomia variada com base no peixe, na carne e nas verduras. A Tasquinha do Oliveira, em Évora, serve bons vinhos e acompanhamentos e o restaurante da Herdade do Esporão é uma verdadeira experiência para conhecer a adega, a esplanada, e provar vinhos de elevada classificação.

4. Burgenland, Áustria

À distância de uma hora de carro de Viena, Burgenland possui uma natureza impressionante, para além dos seus lagos, é um paraíso para os amantes de vinho. As visitas às adegas fazem parte da rota do seu enoturismo, para além dos restaurantes Gut Purbach, Mooslechner Bürgerhaus, na bela cidade de Rust, o Reiter Supreme Hotel, situado no extremo Sul de Burgenland.

5. Ashland, Estados Unidos

A história do vinho de Oregon já não começa e acaba em Willamette Valley Pinot noir. A região vinícola de Ashland alberga muitas das 120 adegas situadas em torno da cidade, que é sobretudo conhecida pelo seu festival anual – Oregon Shakespeare.

 

 TAGS:Abadía Retuerta Selección Especial 2011Abadía Retuerta Selección Especial 2011

Abadía Retuerta Selección Especial 2011: um vinhos tinto com D.O. VT Castilla y León vinificado com syrah e tempranillo de 2011 e com um grau alcoólico de 14º.

 

 

 TAGS:José Pariente Verdejo 2015José Pariente Verdejo 2015

José Pariente Verdejo 2015:  um vinhos branco com D.O. Rueda está elaborado com verdejo de 2015 e 13.5º de grau alcoólico.

 

 

Alteração climática e vinhos. Qual é a relação?

 TAGS:undefinedÉ por todos conhecido, que a actividade industrial das últimas décadas, caracterizada pelo uso intensivo dos combustíveis fosseis, tem responsabilidade sobre as lentas, porém dramáticas, alterações climáticas produzidas no planeta. A temperatura global aumentou e por consequência, também as características climáticas de cada zona sofrem alterações.

Esta situação é algo que devemos começar a controlar antes de que o processo seja acelerado. Porém, em determinadas regiões, esta mesma alteração tem vindo a possibilitar produções até hoje impensáveis. É precisamente o que está a suceder na produção de vinho sueco e de vinho inglês. O aumento de temperatura, permite agora, que as estações quentes destes países sejam cada vez mais longas, o que não apenas facilita o trabalho dos viticultores, como também aumenta a qualidade do seu vinho, cada vez mais apreciado dentro e fora do contexto nacional.

Na Região de Malmö, uma das maiores cidades suecas, as vinhas gozam verões um mês mais longos do que há 50 anos. Em Hällåkra, por exemplo, há mais de 20.000 vinhas numa superfície de aproximadamente 6 hectares.
O aumento de temperatura nesta latitude foi superior à média global, o que converteu a viticultura nórdica numa séria alternativa comercial, até à data vista como um hobby de reformados.

Apesar de que o vinho sueco seja ainda um grande desconhecido entre os apreciadores de vinho, a actividade destes pequenos produtores começa a despertar o interesse dos restaurantes locais com alta cozinha. Especialmente os vinhos brancos e os espumantes, já incluídos nas carta de vinhos destes restaurantes.

 TAGS:Vinzel Chasselas 1990Vinzel Chasselas 1990

Vinzel Chasselas 1990: um vinhos branco da D.O. Canton de Vaud elaborado com chasselas de 1990.

5 destinos enoturísticos a não perder (I/II)

 TAGS:undefinedO enoturismo é sempre importante para um amante do vinho. Este é o nosso primeiro artigo sobre 10 lugares inesquecíveis.

1. Las Vegas

Em Las Vegas, onde se pode encontrar de tudo, também é possível descobrir alguns recantos onde saborear um bom vinho. Ainda que sem vinhas à vista, pode participar em provas que reúnem surpresas, vinhos novos, luxuosos ou atrevidos. Um dos bares recomendados é o Cosmopolitan Hotel, especializado em vinho italiano de gama alta.

2. Bordeaux

Esta região francesa não é nenhum segredo, pelo contrário é bem conhecida pelos seus vinhos. Para além das vinhas, que formam belas paisagens, em Bordeaux poderá visitar algumas das adegas mais antigas do mundo. Recomendamos a escolha de um dos seus restaurantes com estrelas Michelin, como o de Joël Robuchon, La Grande Maison Hotel ou o do famoso Gordon Ramsay no Grand Hôtel de Burdeos, Le Pressoir d’Argent.

3. Margaret River

A região vinícola de Margaret River localiza-se na ponta oeste da Austrália. Tradicionalmente vinícola, este território não apenas surpreende pela qualidade dos seus vinhos, mas também pelas suas praias de água cristalina. O Rio Margaret já se associa às castas Cabernet sauvignon e Chardonnay, assim como Sauvignon blanc, Malbec e Chenin Blanc.

4. Alto Adige

Fica nos Alpes italianos, entre a Áustria e a Suíça e é considerada a região vitivinícola mais a Norte na Itália. A sua paisagem é, por si só, uma boa razão para a visitar, mas pode somar-lhe também a cozinha de montanha regada por vinhos excepcionais.

5. Paso Robles

Esta zona norte americana, entre San Francisco e Los Angeles, possui uma boa cerveja artesanal e oferece actividades relacionadas com o vinho, belas paisagens onde pode passear ou se preferir algo mais movimentado, andar de caiaque no Lago de Santa Margarita.

 

 TAGS:Château Lynch-Moussas 2010Château Lynch-Moussas 2010

Château Lynch-Moussas 2010: Vinho tinto com Denominação de Origem Pauillac, das adegas Château Lynch Moussas. Castas: Merlot e Cabernet sauvignon de 2010. 

 

 

 TAGS:Château Faugères 2009Château Faugères 2009

Château Faugères 2009: Vinho tinto com Denominação de Origem Saint-Émilion Grand Cru, das adegas Château Cap de Faugères. Catas: Merlot e Cabernet sauvignon de 2009. 

 

Ideias para reciclar barris de vinho

 TAGS:undefinedPara além do seu lugar assegurado nas adegas, os barris de vinho podem ter muitas outras funções.

Alguma vez pensou em usá-los como decoração?

Aqui vão algumas ideias. Anote!

Utilizado como balde de gelo

Após cumprir a função original e uma vez cortados a meio, os barris podem encher-se com gelo e servir como recipiente de bebidas frescas em eventos e comemorações organizados para espaços de tamanho médio.

Como cofre ou baú

Depois de restaurado, o barril de vinho pode ser utilizado como baú para guardar o que desejar. Graças à beleza da madeira, é um objeto útil para decoração.

E um candeeiro?

Outro modo de reciclar um barril, é transformando-o em candeeiro. Não é difícil, ainda que necessite um pouco de habilidade, basta perfurar o barril em vários pontos e introduzir um cabo eléctrico e uma lâmpada no seu interior. O resultado é um belo candeeiro de jardim.

Como mesa

Neste caso devemos cortar o barril a meio. A sua forma circular é ideal para uma mesa de apoio, e qualquer casa de estilo rural agradece a sua presença.

Como apoio para diversos usos

Não é necessário um grande trabalho. O barril, pela sua altura, peso e largura, serva para suportar uma tábua ou uma superfície plana que permita servir como espaço de apoio num evento, por exemplo.

Como estante

Para transformar o seu barril em estante é preciso ter um pouco mais de trabalho, mas é simples, basta cortar os barris em “fatias” circulares e depois pendurar as suas estantes redondas onde quiser.

 TAGS:Old St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 AñosOld St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 Años

Old St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 Años: 4 pontos de 5 es la classificação que os utilizadores de Uvinum colocaram a Old St Andrews Scotch Whisky Barril de Malta 10 Años.

 

As melhores esplanadas para beber um copo (quase nas nuvens)

 TAGS:undefinedGostarias de visitar e beber um copo em algumas das esplanadas mais espetaculares da Europa?

Hoje partilhamos a selecção publicada por El Viajero, que nos mostra alguns dos sítios mais belos da Europa para beber um copo e gozar as vistas desde as alturas.

  • Searcys, The Gherkin: Situado nos últimos 3 andares de um arranha-céus em forma de bala, The Gherkin, localiza-se na zona financeira de Londres. O edifício foi desenhado pelo arquitecto britânico Norman Foster e a sua descrição poderia levar a pensar que este é um sítio onde apenas os executivos vão beber depois do trabalho. Errado! Está aberto ao público em horário e datas específicas. Podes reservar mesa e saborear um jantar sob a fantástica cúpula de vidro.
  • Sky Pod, Sky Garden: Perto do do Rio Tâmisa e da ponte de Londres, localizam-se dois restaurantes e um café-bar. Este último chama-se Sky Pod, de manhã serve pequenos-almoços e à noite cocktails que podes saborear com vistas para o arranha-céus The Shard.
  • Vertigo 42 champagne Bar: No último piso do arranha-céus Tower 42, na rua Old Broad. Neste bar não se paga entrada mas a mesa deve ser reservada com antecedência e indicação do tempo que se pretende estar. As cadeiras em forma de cisne são deliciosas e desenhadas por Arne Jacobsen.
  • Skynight Bar, Hotel Silken Puerta América: O hotel Silken Puerta América fica em Madrid, no último andar (13) e tem um bar com esplanada. O Skynight foi projectado pelo arquitecto francês Jean Nouvel.
  • Sky Bar, Grand Hotel Central: Em Barcelona. O bar abre as portas entre Abril e Outubro no terraço do edifício. Desde as alturas, podes contemplar a Basílica de Santa María del Mar, as Torres Mapfre e a praia.
  • Eclipse Bar, Hotel W: Situado no piso 26 do conhecido Hotel W, em Barcelona, o bar Eclipse é famoso pelas suas festas e noites com djs convidados. Tens à tua disposição diversas bebidas e um menu de sushi.
  • Ciel de Paris: Este bar restaurante parisiense oferece um menu para pequenos-almoços, almoços, jantares e à noite, um bom copo de champanhe. Tem uma vista impressionante da Torre Eiffel.
  • Monkey Bar, 25 Hours Hotel Bikini: No último andar do Hotel 25 Hours Bikini, em Berlim, podes assistir a sessões com djs e desfrutar uma esplanada com vista panorâmica de 360 graus, para além das vista do Zoológico de Berlim. Variedade de cocktails e snacks, a não perder.
  • Puro The Bar: Mais um bar que não deve deixar de ser visitado em Berlim. Tem um amplo grupo de djs fixos, uma luz ténue (que deveria ter qualquer lounge) e vistas de 360 graus sobre a cidade, a Igreja Memorial de Berlim e o parque de Tiergarten, entre outros.
  • Terraza del Hotel Lamée: Localizado no nono piso do Hotel Lamée, tem uma vista belíssima sobre o centro histórico de Viena. Oferece bebidas e uma elegante carta de pratos.
  • The Loft, Hotel Sofitel: Outro bar para visitar em Viena. The Loft, fica no andar 18 do Hotel Sofitel. Aqui podes apreciar a Catedral de Viena e tens vistas sobre os telhados do centro histórico da cidade.

 TAGS:Mumm Cordon RougeMumm Cordon Rouge

Mumm Cordon Rouge: um vinhos espumantes da D.O. Champagne vinificado com pinot meunier e chardonnay e 12º de grau alcoólico

 

 

 TAGS:Moët & Chandon Brut ImpérialMoët & Chandon Brut Impérial

Moët & Chandon Brut Impérial: um vinhos espumantes com D.O. Champagne com um coupage a base de pinot noir e pinot meunier e 12,5º de álcool. 

 

Alguns truques para harmonizar sobremesas

 TAGS:undefinedCombinar vinho e sobremesa é uma das melhores opções para conseguir um bom contraste de sabores. Toma nota dos nossos conselhos e elabora as melhores combinações para servir um final de refeição fantástico aos teus convidados ou fazer a experiência num bom restaurante.

Tartes e pastéis: Vinhos doces como o Sauternes de Nourdeaux, vão bastante bem com sobremesas à base de fruta fresca e nozes, do mesmo modo que o rosé meio-seco e o espumante harmonizam bem com sobremesas com cremes.

Sobremesas de chocolate: Muitas sobremesas com chocolate podem ser acompanhadas por vinho branco doce, licores ou vinho doce natural. O *Porto* é a opção por excelência para evitar qualquer tipo de risco de má combinação.

Licores e aguardentes: São bastante utilizados na preparação de bolos e biscoitos ou em caldas e por vezes gelados. Como por exemplo: A aguardente Poire Williams com pêra; Marasquino com cerejas; Grand Marnier com laranja e conhaque e brandy com chocolate. Nestes casos recomendamos que o licor servido seja o mesmo da preparação da sobremesa.

Fruta cristalizada: Tais como: figos, passas, tâmaras e alperces, combinam bastante bem com Porto, moscatel velho ou vinhos do tipo Pedro Ximénez.

Frutos secos: Castanhas, nozes, amêndoas, avelãs, pinhões e amendoins harmonizam com vinhos generosos de sabor marcado e persistente.

Fruta vermelha e preta: cereja, framboesa, morango e abrunho vão bem com tintos novos, de cor arroxeada. 

Cítricos: Com vinhos doces de notas cítricas intensas, como o moscatel velho.

É bom lembrar que: ao harmonizar é importante ter em conta o equilíbrio entre os aromas das frutas e os dos vinhos, assim como a cor, que deve ser semelhante.

 TAGS:Pedro Ximenez Reserva de Familia 50clPedro Ximenez Reserva de Familia 50cl

Pedro Ximenez Reserva de Familia 50cl: um vinhos doce com D.O. Málaga das variedades pedro ximénez e possui um grau alcoólico de 17.00º. 

 

 

 TAGS:Ferreira Dona Antonia ReservaFerreira Dona Antonia Reserva

Ferreira Dona Antonia Reserva:  um vinhos generoso com D.O. Porto cujo coupage contém tinta çao e port e com 20.00º de teor de álcool. F

 

 

8 cocktails com vinho para celebrar a chegada do bom tempo

 TAGS:undefined

Vai um cocktail à base de vinho? Hoje temos algumas propostas:

Com cola: Em Espanha este cocktail chama-se Kalimotxo. Se gostas de vinho tinto mas por vezes apetece-te de tomar uma bebida diferente, experimenta misturar cola e vinho em proporções iguais. Junta algum gelo e umas gotas de sumo de limão. 

Água com gás: Juntando 1 parte de água com gás e 2 partes de vinho bem frio com gelo e umas gotas de sumo de limão, obténs o cocktail ideal para refrescar os dias mais quentes.

Com fruta e brandy: Outra forma de transformar o vinho: 4 chávenas de vinho + 1 ou 2 chávenas de fruta cortada em quadrados + 2 colheres de brandy + 2 colheres de xarope de açúcar e um pouco de água com gás.

Com rodelas de ananás: Seja com vinho branco, rosé, tinto ou um espumante, sempre se podem juntar umas rodelas de ananás ao copo para obter uma bebida mais doce e também atraente.

Com melão: Com vinho branco ou rosé, juntar uns cubinhos de melão, polvilhar de hortelã picada e decorar com uma rodela de limão

Com limonada: É simples, vinho branco e limonada em partes iguais, um pouco de gelo picado, água com gás e…Voilá!

Com néctar: Se o objectivo é o de improvisar um Bellini, junta ao teu vinho, um pouco de néctar de fruta. Podes fazê-lo com espumante ou água com gás.

Granizado: Com uma chávena de vinho e duas colheres de xarope de açúcar no congelador, tens uma sobremesa fresca ou um cocktail granizado para as tardes de Verão.

 TAGS:Enate Chardonnay 234 2015Enate Chardonnay 234 2015

Enate Chardonnay 234 2015: um vinhos branco com D.O. Somontano vinificado com chardonnay de 2015 e com 13.5º de teor de álcool. Enate Chardonnay 234 2015 pode maridar com massa fresca e mariscos.

 

 

 TAGS:El Perro Verde 2015El Perro Verde 2015

El Perro Verde 2015: um vinhos branco da D.O. Rueda realizado com verdejo de 2015 e de um grau alcoólico de 13º.